Enigaldi-Nana

Enigaldi-Nana (Ennigaldi-Nanna), também chama Bel-Salti-Nana, foi uma princesa babilônica. Era filha de Nabonido e irmã de Belsazar[1]. Ela era alta sacerdotisa em Ur. Ela foi chamada sacerdotisa de Sim (o deus da lua na religião mesopotâmica). Além disso ela era administradora da escola de sacerdotisas.

Enigaldi-Nana
Princesa da Babilônia
Nascimento século VI a.C.
Morte século VI a.C.
Pai Nabonido
Mãe Nitócris da Babilônia
Religião Mitologia acadiana

Ela recebeu o nome adicional de Nana quando se tornou alta sacerdotisa de Nana[2] em 547 a.C. Sua avó Adagupi também era sacerdotisa, mas havia morrido na época.[3]

LegadoEditar

Junto com seu pai, Nabonido, Bel-Salti-Nanar é conhecida por ser responsável pela primeira escavação controlada e exibição de museu. Acredita-se que ela ajudou a fundar uma série de museus relacionados às descobertas feitas por Nabonido.[4]

 
Museu de Enigaldi-Nana

MuseuEditar

 Ver artigo principal: Museu de Enigaldi-Nana

Enigaldi é conhecida pelos historiadores como o criadora do primeiro museu do mundo,[5][6] um museu de antiguidades.[7]

A escola de sacerdotisas que Enigaldi operou por volta de 530 AEC era para mulheres jovens da classe alta. Enigaldi gastava muito menos tempo com castigos corporais porque tinha uma audiência cativa devotada, embora, de outro modo, sua escola se assemelhasse às outras escolas de escribas sumérias em suas técnicas de ensino, currículo e equipamento dos alunos. As mulheres alfabetizadas de sua escola recebiam o ensino de um dialeto especial chamado Emesal.[8]

Referências

  1. E. a. Budge Budge; Sir Ernest a. Wallis Budge O Livro da Caverna dos Tesouros - Ed. Cosimo, Inc. p - 278 , ( ISBN 978-1-59605-335-9 ) .
  2. Também chamado de Sim e Nanar.
  3. «The Adad-Guppi Autobiography» 
  4. Ouzman, Sven. 2008. Imprints: an archaeology of identity in post-apartheid southern Africa. Thesis (Ph.D. in anthropology)--University of California, Berkeley, Fall 2008. page 36.
  5. Anzovin, Steven; Kane, Joseph Nathan; Podell, Janet (1997). Famous First Facts. H.W. Wilson. [S.l.: s.n.] ISBN 0-8242-0958-3. The first museum known to historians was that of Ennigaldi-Nanna, the daughter of Nabu-na'id (Nabonidus), the last king to Babylonia 
  6. Harvey, p. 20 Princess Ennigaldi-Nanna collected antiques from the southern regions of Mesopotamia, which she stored in a temple at Ur - the first known museum in the world.
  7. Gathercole, p. 12
  8. León, Vicki (1995). Uppity Women of Ancient Times. Conari Press. [S.l.: s.n.] pp. 36–37. ISBN 1-57324-010-9