Abrir menu principal

Eric Boswell Wynalda (Fullerton, 9 de junho de 1969) é um ex-futebolista, treinador de futebol e comentarista esportivo americano, que jogava como atacante. Até 2007, detinha o posto de maior goleador da Seleção dos EUA na história, quando foi superado por Landon Donovan.

Eric Wynalda
Informações pessoais
Nome completo Eric Boswell Wynalda
Data de nasc. 9 de junho de 1969 (50 anos)
Local de nasc. Fullerton, CA, Estados Unidos
Nacionalidade norte-americano
Altura 1,85 m
Informações profissionais
Posição Atacante
Função Treinador
Clubes de juventude
1987–1989 San Diego State
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1988–1989
1990–1992
1992–1994
1994–1996
1996–1998
1999
1999–2000
2000–2001
2001
2002
2007–2008
San Diego Nomads
Blackhawks (emp.)
Saarbrücken
Bochum
San José Clash
León (emp.)
Miami Fusion
New England Revolution
Chicago Fire
Charleston Battery
Bakersfield Brigade
Seleção nacional
1990–2000 Estados Unidos 0107 00(34)
Times/Equipas que treinou
2010–2011
2012
2012
2014
2017
San Diego Flash (auxiliar-técnico)
Cal FC
Atlanta Silverbacks (interino)
Atlanta Silverbacks
L.A. Wolves FC




Índice

CarreiraEditar

Inicio nos EUAEditar

Wynalda começou a jogar futebol da mesma forma que outros atletas de sua geração, em torneios universitários.

Representou o San Diego State entre 1987 e 1989, jogando no time da Universidade, o San Diego Nomads, assinando seu primeiro contrato profissional com o Blackhawks, em 1990.

Primeiro norte-americano no futebol alemãoEditar

Em 1992, Wynalda tornou-se o primeiro jogador norte-americano a atuar em uma equipe alemã. O destino do atacante foi o Saarbrücken, onde teve destacada passagem (61 partidas e 21 gols marcados). Isso motivou a sua contratação por parte do Bochum, que investiu 850 mil dólares.

Ao contrário de sua boa passagem pelo Saarbrücken, a segunda aventura de Wynalda no futebol alemão foi bem menos satisfatória; em duas temporadas com o Bochum, ele marcou apenas 4 gols em 29 jogos.

Volta aos EUA, passagem rápida pelo México e primeira aposentadoriaEditar

Depois que o Bochum descartou Wynalda de seus planos para 1996, ele retornou a seu país no mesmo ano para defender o San José Clash (atual San José Earthquakes), onde reencontrou seu bom futebol, assinalando 21 gols em 57 partidas com a equipe. O primeiro gol de Wynalda pelo Clash foi histórico para o futebol dos EUA, já que este foi o primeiro gol da história da Major League Soccer.

Em seguida, teve uma curta passagem por empréstimo no León do México em 1999. A trajetória de Wynalda no time foi fugaz: cinco jogos e três gols marcados.

Retornou aos EUA ainda em 1999 para defender o Miami Fusion, onde permaneceu por uma temporada antes de ser contratado pelo New England Revolution, onde atuou em apenas oito jogos. Encerrou sua carreira pela primeira vez no final de 2001, após disputar 21 jogos com a camisa do Chicago Fire. Recebeu proposta do Los Angeles Galaxy para voltar a jogar, e Wynalda chegou a declarar que encerraria a carreira de atleta pela equipe. Mas as negociações com o Galaxy não deram os resultados esperados, porém o atacante mantinha as chances de continuar atuando profissionalmente.

Wynalda treinou no Charleston Battery (time da USL First Division, espécie de "segunda divisão" da MLS) e chegou a atuar em um amistoso de pré-temporada do time da Carolina do Sul, depois de se recuperar de uma ruptura dos ligamentos do joelho. Entretanto, o Battery não contratou o jogador.

Volta aos gramadosEditar

Em 2007, Wynalda, que trabalhava como diretor-técnico do Bakersfield Brigade desde 2005 (única equipe em que exerceu o cargo), aceitou o desafio de regressar aos gramados para disputar as últimas partidas da temporada, assinando um contrato para tal situação. No ano seguinte, renovou o contrato para uma temporada inteira, mas ele não teve uma sequência de jogos, tendo disputado apenas quatro.

Ainda em 2008, jogou no Hollywood United (equipe amadora da Califórnia), reencontrando seus ex-companheiros de Seleção, Alexi Lalas e John Harkes. Além dos três, o time contava com o francês Frank Lebœuf, o galês Vinnie Jones e o ator Anthony La Paglia.

Seleção AmericanaEditar

Wynalda fez a estreia na Seleção dos EUA em 2 de fevereiro de 1990, num jogo contra a Costa Rica. Nesse mesmo ano, foi convocado para a Copa do Mundo realizada na Itália. Com uma equipe jovem e que não disputava a competição desde 1950, o selecionado ianque foi eliminado na primeira fase.

Na Copa de 1994, realizada em solo americano, Wynalda marcou um dos mais belos gols do torneio, ao cobrar perfeitamente uma falta na partida contra a Suíça. O chute teve uma precisão que impediu o goleiro suíço Marco Pascolo de alcançar a bola. Foi o único gol de Wynalda em Copas. Ele ainda disputaria a Copa de 1998, sem sucesso - os EUA amargaram nova queda na primeira fase, tal como em 1990.[1] Depois do torneio, seguiu defendendo a equipe até 2000, quando encerrou a carreira internacional, com 106 partidas e 34 gols marcados.

Carreira de dirigente e comentaristaEditar

Em paralelo com o cargo de diretor-técnico do Bakersfield, Wynalda foi contratado pela ESPN para trabalhar como comentarista na Copa da Alemanha.

Carreira de técnicoEditar

Em 2012, estreou como treinador no Cal FC, após 2 anos como auxiliar-técnico do San Diego Flash. Ainda comandou o Atlanta Silverbacks (interino em 2012, efetivo em 2014), e em 2017 voltou ao futebol, treinando o L.A. Wolves FC, time que disputa a United Premier Soccer League.

Referências

  1. «Elenco EUA na Copa de 1990». Consultado em 16 de agosto de 2016 

Ligações externasEditar