Eskilstuna

Suécia Eskilstuna

Esquiltuna

 
  Cidade  
Cidade e o rio Eskilstuna
Cidade e o rio Eskilstuna
Símbolos
Brasão de armas de Eskilstuna
Brasão de armas
Localização
Eskilstuna está localizado em: Suécia
Eskilstuna
Localização de Eskilstuna
Coordenadas 59° 22' N 16° 31' E
Região Svealândia
Província Södermanland
Condado Södermanland
Comuna Eskilstuna
Características geográficas
Área total 31,7 km²
População total (2018) 74 920 hab.
Densidade 2 363,4 hab./km²
Sítio www.eskilstuna.se

Eskilstuna (em sueco: Eskilstuna; pronúncia sueca: /ˈɛ̂sːkɪlsˌtʉːna/; Ouça a pronúncia) ou Esquiltuna[1] é uma cidade da província da Södermanland, na região da Svealândia. É a sede da comuna de Eskilstuna, no condado de Södermanland. Possui 31,7 quilômetros quadrados e segundo censo de 2018, tinha 74 920 habitantes. Está situada a 70 km a oeste da cidade de Södertälje. É atravessada pelo rio Eskilstuna (Eskilstunaån), que liga o lago Mälaren ao lago Hjälmaren. [2][3][4][5][6][7]

Etimologia e usoEditar

O nome geográfico Eskilstuna deriva das palavras Eskil (bispo missionário do século XI) e Tuna (antiga diocese sueca). A cidade está mencionada como Tuna em 1120 e como Æskilstunum em 1278. [8]

Em textos em português é usada a forma original Eskilstuna. [9]

HistóriaEditar

 
Vista panorâmica de Eskilstuna no século XVII, segundo a Suecia antiqua et hodierna.

Devido à sua localização geográfica, Eskilstuna foi desde muito cedo um local de trocas comerciais, com destaque para dois lugares chamados Tuna e Fors. No século XVI, a região era um centro de produção de ferro. No século XIX, a cidade era um importante polo industrial, onde eram fabricadas facas, tesouras e outros produtos metalúrgicos. [10]

ComunicaçõesEditar

A cidade de Eskilstuna é atravessada pela estrada europeia E20, ligando Eskilstuna a Estocolmo e a Gotemburgo, e pelas estradas nacionais 53 e 56. Dispõe de ligações ferroviárias a Strängnäs-Södertälje, Västerås-Estocolmo-Uppsala, e Katrineholm-Norrköping. O pequeno aeroporto de Eskilstuna fica a 13 km a leste da cidade. [11]

Património turísticoEditar

  • Parken Zoo (jardim zoológico, piscina, parque de diversões) [7]
  • Rademachersmedjorna (museu ao ar livre em torno das forjas metalúrgicas do século XVII) [7]

DesportoEditar

Há enorme entusiasmo pelo andebol na cidade. O clube Eskilstuna Guif atingiu várias vezes a final do Campeonato de andebol da Suécia (Handbollsligan). A claque de apoio usa camisolas vermelhas e tem o nome de Mar Vermelho (Röda havet).[12]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Alves 1942, p. 110.
  2. Enciclopédia Nacional Sueca (a).
  3. Enciclopédia Nacional Sueca.
  4. Ernby 2001, p. 147.
  5. City Population.
  6. Harlén 2003, p. 83.
  7. a b c Ottosson, Mats; Åsa Ottosson (2008). «Eskilstuna». Upplev Sverige (Conheça a Suécia). En guide till upplevelser i hela landet (em sueco). Estocolmo: Wahlström Widstrand. p. 338. 527 páginas. ISBN 9789146215998 
  8. Wahlberg, Mats (2003). «Eskilstuna». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário dos nomes das localidades suecas) (em sueco). Uppsala: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. p. 70. 422 páginas. ISBN 91-7229-020-X 
  9. Nuno Neves. «Estudo do comportamento de 3aços-ferramenta no processo deprodução de limas». Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Consultado em 30 de julho de 2020. O grupo SNAE surgiu como o fruto do crescimento e desenvolvimento daempresa-mãe sueca, C. O. Oberg & Co., que em 1850 iniciou a sua actividade em Eskilstuna, na Suécia, dedicando-se ao fabrico de limas. 
  10. Svensson, Lars (2001). «Eskilstuna». Värt att se i Sverige [Para ver na Suécia]. En reseguide (em sueco). Estocolmo: Bonnier. p. 232. 383 páginas. ISBN 9100571903 
  11. Lidman Production AB (texto) e Matton (fotografia) (2011). «Södermanland». Libers stora junioratlas (em sueco). Estocolmo: Liber. p. 23. 144 páginas. ISBN 9789147809028 
  12. Ottosson 2012, p. 86.

BibliografiaEditar

  • Alves, Manuel (1942). Brasil e as nações do mundo: história, grandeza e população comparadas com o Brasil. Rio de Janeiro: Edição do Autor 
  • «Eskilstuna». Enciclopédia Nacional Sueca (em sueco). Gotemburgo: Universidade de Gotemburgo 
  • «Eskilstunaån». Enciclopédia Nacional Sueca (em sueco). Gotemburgo: Universidade de Gotemburgo 
  • Ernby, Birgitta; Gellerstam, Martin; Malmgren, Sven-Göran; Axelsson, Per; Fehrm, Thomas (2001). «Eskilstuna». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 767. ISBN 91-7227-186-8 
  • Harlén, Hans; Eivy Harlén (2003). «Eskilstuna; Eskilstunaån». Sverige från A till Ö [A Suécia de A a Ö]. Geografisk-historisk uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Kommentus. p. 83. ISBN 91-7345-139-8 
  • Ottosson, Åsa; Ottosson, Mats (2012). «Sveriges mest sportgalna orter (As cidades mais loucas pelo desporto da Suécia)». Upplev det bästa i Sverige (Conheça o melhor da Suécia). Topplistor landskap för landskap (em sueco). Estocolmo: Bonnier Fakta. 118 páginas. ISBN 978-91-7424-212-6