Abrir menu principal

Linha Leste do Metrô de Fortaleza

(Redirecionado de Estação Leonardo Mota)

A Linha Leste (Tiról ↔ Edson Queiroz) será uma das linhas do Metrô de Fortaleza. Uma vez totalmente concluída, atenderá á principal região financeira e comercial de Fortaleza, entre as estações Central-Chico da Silva no centro histórico da cidade e Edson Queiroz na avenida Washington Soares. Será uma linha metroviária subterrânea para transporte de passageiros, contando com 12,4 km de via dupla (11,1km subterrâneos, 0,5km de trecho em transição e 0,8km em superfície), 13 estações (12 subterrâneas e 01 em superfície) e demanda prevista de 400 mil passageiros por dia. A integração com as demais linhas se dará pela Estação-Central Chico da Silva com as Linhas Sul e Oeste, na estação Tiról com a Linha Oeste e pela estação Papicu com a Linha Parangaba-Mucuripe e respectivo terminal Urbano de ônibus. O Material Rodante compreenderá 20 TUE’s (trem unidade elétrico), alimentados através de uma rede aérea de 3.000 volts em corrente contínua, com motor de tração do tipo indução, com controle de tração através de inversores estáticos.

Metrô de Fortaleza
Legenda:
em constr. / em func. 
Linha Sul (Metrô
Unknown route-map component "exBHFq_red" Unknown route-map component "BHFq_red"
 BSicon ICTS.svg
Linha Oeste (VLT
Unknown route-map component "fexBHFq" Unknown route-map component "fBHFq"
 Estação de VLT
Linha Leste (Metrô
Unknown route-map component "exBHFq_yellow" Unknown route-map component "BHFq_yellow"
 BSicon exICTS.svg
Linha P.-M. (VLT
Unknown route-map component "exBHFq_violet" Unknown route-map component "BHFq_violet"
 Estação de VLT
Diagrama:  
Unknown route-map component "d"
Unknown route-map component "d" + Unknown route-map component "fSTR+l"
Unknown route-map component "d" + Unknown route-map component "flBHF"
Unknown route-map component "fSTR+r" Unknown route-map component "d"
 Parque Albano
São Miguel 
Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "fBHF" Unknown route-map component "fBHF" Unknown route-map component "d"
 Conjunto Ceará
Antônio Bezerra 
Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "fBHF" Unknown route-map component "fBHF" Unknown route-map component "d"
 Jurema
Padre Andrade 
Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "fBHF" Unknown route-map component "fBHF" Unknown route-map component "d"
 Araturi
Floresta 
Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "feBHF" Unknown route-map component "feBHF" Unknown route-map component "d"
 Nova Metrópole
Álvaro Weyne 
Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "fKBHFxe" Unknown route-map component "feBHF" Unknown route-map component "d"
 Parque Soledade
Francisco Sá 
Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "fexBHF" Unknown route-map component "fKBHFe" Unknown route-map component "d"
 Caucaia
Tiról 
Unknown route-map component "fexdBHF-L" Unknown route-map component "exdKBHFa-R yellow" Unknown route-map component "d"
 
 
Unknown route-map component "dKBHFa-L red" Unknown route-map component "fexdKBHFe-M" Unknown route-map component "exdBHF-R_yellow"
 Central - Chico da Silva
José de Alencar 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "exBHF_yellow"
 
São Benedito 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "exBHF_yellow"
 Colégio Militar
Benfica 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "exBHF_yellow"
 Luiza Távora
Nunes Valente 
Unknown route-map component "STR_red" Unknown route-map component "exBHF_yellow" Unknown route-map component "exKBHFa_violet"
 Iate
Leonardo Mota 
Unknown route-map component "STR_red" Unknown route-map component "exBHF_yellow" Unknown route-map component "exBHF_violet"
 Mucuripe
Padre Cícero 
Unknown route-map component "BHF_red"
Unknown route-map component "STR+l violet" + Unknown route-map component "exSTRl yellow" + Unknown route-map component "lINT~L"
Unknown route-map component "exSTRr violet" + Unknown route-map component "exSTR+r yellow" + Unknown route-map component "lINT~R"
 Papicu
Antônio Sales 
Unknown route-map component "STR_red" Unknown route-map component "BHF_violet" Unknown route-map component "exBHF_yellow"
 H.G.F.
Pontes Vieira 
Unknown route-map component "STR_red" Unknown route-map component "BHF_violet" Unknown route-map component "exBHF_yellow"
 Cidade 2000
Porangabussu 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "BHF_violet" Unknown route-map component "exSTR_yellow"
 São João do Tauape
Couto Fernandes 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "BHF_violet" Unknown route-map component "exSTR_yellow"
 Borges de Melo
Jusc. Kubitschek 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "BHF_violet" Unknown route-map component "exSTR_yellow"
 Vila União
 
Unknown route-map component "STR_red" Unknown route-map component "BHF_violet" Unknown route-map component "exSTR_yellow"
 Montese
Parangaba 
Unknown route-map component "BHF-L_red" Unknown route-map component "KBHFe-R violet " Unknown route-map component "exBHF_yellow"
 Bárbara de Alencar
Vila Pery 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "exBHF_yellow"
 Centro de Eventos
Manoel Sátiro 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "exKBHFe_yellow"
 Edson Queiroz
Mondubim 
Unknown route-map component "BHF_red"
 
Esperança 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "KDSTa_red"
 (centro de manutenção)
Aracapé 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "BHF_red"
 Carlito Benevides
Alto Alegre 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "BHF_red"
 Jereissati
Rachel de Queiroz 
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "BHF_red"
 Maracanaú
 
Unknown route-map component "d" + Unknown route-map component "STRl red"
Unknown route-map component "d" + Unknown route-map component "lBHF_red"
Unknown route-map component "STRr red"
 Virgílio Távora
Fontes:

A linha tinha projeção inicial de ser construída de uma única vez, mas devido a problemas para a liberação de verbas houve uma rescisão do primeiro contrato e alterações no projeto para o barateamento da linha podendo, desta forma, conseguir um empréstimo por meio da União. O novo projeto dividia a linha em duas fases de construção, a primeira com 5 estações (Tiról, Chico da Silva, Colégio Militar, Nunes Valente e Papicu) e uma segunda fase com adição de mais 3 no primeiro trecho (Sé, Luiza Távora e Leonardo Mota) e outras 5 no segundo trecho (HGF, Cidade 2000, Bárbara de Alencar, Centro de Eventos e Edson Queiroz) entre as estações Papicu e Edson Queiroz.[1]

HistóricoEditar

A linha se encontra atualmente com obras paradas e com apenas 1% de evolução[2] desde de 2015 em virtude de reformulação do consórcio Cetenco-Acciona, executor original da obra. Para retomar o serviços, segundo a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), o Governo do Estado tem trabalhado com o Governo Federal para garantir liberação dos recursos da licitação.[3][4][5] O estado do Ceará possui R$ 1 bilhão de financiamento para o metrô junto ao Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES). Além deste valor há mais R$ 1 bilhão, parte do Orçamento Geral da União (OGU). O BNDES condicionou a liberação de sua parte na obra se o Governo Federal liberar os recursos do OGU. Como a União não libera sua parte, está feito o imbróglio, que já se arrasta há tempos. O governador do Ceará, o petista Camilo Santana, tem lutado para liberar a verba do Orçamento da União. Em julho deste ano chegou a apesentar a linha Leste do Metrô ao presidente do China Development Bank (CDB), Hu Huaibang, que visitou Fortaleza.[6]

Sem o repasse de verbas a Seinfra iniciou as montagens de quatro máquinas tuneladoras, conhecidas popularmente como “tatuzões”, que serão usadas na construção dos túneis da Linha Leste. Estas máquinas chegaram ao estado em 2013 e estavam até então sem qualquer uso. A previsão do governo é que dois dos tatuzões fiquem prontos para entrar em operação até março de 2018, e os demais, seis meses depois. Em nota, a Seinfra informa que o objetivo da montagem é realizar “uma manutenção preventiva da forma mais adequada e econômica para o Estado”, além de “preservar a integridade dos equipamentos e a extensão da garantia”. Sem a previsão da liberação dos recursos, no entanto, as obras da Linha Leste continuarão paralisadas e sem qualquer perspectiva de retomada.[7][8]

Sem data para retorno de obras, canteiros das obras foram desfeitos, localizados na Praça da Bandeira, conhecida como Praça do Cristo Rei, e na avenida Washington Soares, em frente ao Fórum Clóvis Beviláqua, os canteiros foram desinstalados e os locais devolvidos à Cidade no o início de dezembro de 2017. Os dois espaços permanecerão acessíveis à população até que as obras sejam reiniciadas. Paralisadas há dois anos, não há previsão de quando as obras serão retomadas nem como será a intervenção nos locais.[9][10][11][12][13]

CaracterísticasEditar

As máquinas que irão construir os túneis são chamados de “shield”, ou tuneladoras, também conhecidas no jargão técnico como “tatuzão”. Para conhecer de perto essa tecnologia, o ex-governador do Estado, Cid Gomes, o secretário de Infraestrutura, Adail Fontenele, e o ex-presidente do Metrofor, Rômulo Fortes, visitaram quatro fabricantes desse tipo de equipamento. Eles foram adquiridas pelo Governo do Estado, através da Seinfra, ao preço de R$ 128,2 milhões. Os equipamentos estão sendo fabricados pela empresa norte-americana The Robbins Company, que venceu uma licitação ocorrida em maio de 2012.

Os dois primeiros equipamentos, de um total de quatro, para a construção da linha já estão prontos com os testes em fábrica realizado entre maio e junho de 2013. Logo depois, os equipamentos foram embarcados para o Brasil chegando ao Porto do Pecém no final de julho de 2013.  A distancia entre cada estação será de aproximadamente 900 metros. No total são treze estações que compõe a Linha Leste, essas são: TirólCentral-Chico da Silva, , Luiza TávoraColégio Militar, Nunes Valente, Leonardo Mota, Papicu, HGF, Cidade 2000, Bárbara de AlencarCentro de EventosEdson Queiroz. A estação Colégio militar foi a primeira a começar suas obras no dia 15 de agosto de 2014.

Dados OperacionaisEditar

Acessibilidade e SegurançaEditar

O sistema foi concebido em consonância com as normas que garantem a acessibilidade para pessoas portadoras de necessidades especiais, tais como: rampas de acesso, elevadores é porta de embarque nas plataformas que deverão organizar de forma segura a disposição dos passageiros ao longo das plataformas, para o embarque e o desembarque nas composições, impedindo dessa forma a queda acidental de passageiros ao longo da via.

Sonorização de estações, CFTV é Sistema multimídiaEditar

O sistema de sonorização da estações provê orientação aos usuários por meio de mensagens e avisos originados no CCO, além de provê musica ambiente para todas as estações. E um elemento muito valioso para a busca de pessoas e na evacuação da estação em caso de emergência como acidentes e incêndios, permitindo a orientação de usuários de forma adequada. O Sistema de CFTV (Circuito fechado de TV), permite a CCO o monitoramento em tempo real da movimentação de usuários nas plataformas, mezaninos e áreas de acessos das estações, permite também a seleção, gravação e armazenamento de imagens de uma ou mais câmeras de qualquer estação. O sistema multimídia tem por finalidade a veiculação de texto previamente gravadas ou digitadas originalmente no CCO, estas mensagens veicularão diretamente para os monitores de TV que estarão localizados nas plataformas, destinados a divulgação da multimídia operacional e comercial, podem ser veiculadas exclusivamente em uma estação, um grupo de estações ou todas as estações simultaneamente, o sistema multimídia permite a veiculação de informações operacionais, tais como: destinos de trens, horário de chegada da próxima composição além de outras informações e mensagens como o horário de funcionamento do metrô de Fortaleza, as integrações como os outros sistemas nos terminais intermodais, videos com informações turísticas, informações de utilidade publica como também publicidades.

EstaçõesEditar

A Linha Leste foi dividida em 2 fases. A primeira fase (em obras) contará com as estações Tirol, Chico da Silva Leste, Colégio Militar, Nunes Valente e Papicu (com previsão de conclusão das obras para junho de 2023). As demais estações serão construídas em uma segunda fase (ainda sem previsão de execução).[14][15]

Estação Inauguração Integrações Plataformas Posição Trecho/Etapa Cidade
Tiról junho de 2023[15]   Linha Oeste -   Superfície Trecho 1 / Etapa 1 Fortaleza
Central-Chico da Silva junho de 2023[15]   Linha Oeste
  Linha Sul
Centrais   Subterrânea Trecho 1 / Etapa 1
-   17-BNB Cultura/Catedral Centrais   Subterrânea Trecho 1 / Etapa 2
Colégio Militar junho de 2023[15] - Sobrepostas   Subterrânea Trecho 1 / Etapa 1
Luiza Távora -   01-Luiza Távora Sobrepostas   Subterrânea Trecho 1 / Etapa 2
Nunes Valente junho de 2023[15] - Sobrepostas   Subterrânea Trecho 1 / Etapa 1
Leonardo Mota - - Sobrepostas   Subterrânea Trecho 1 / Etapa 2
Papicu junho de 2023[15]   Linha Mucuripe
  Terminal Papicu
  Corredor Antônio Bezerra-Papicu
  31-Terminal Papicu
centrais   Subterrânea Trecho 1 / Etapa 1
HGF - - Centrais   Subterrânea Trecho 2 / Etapa 2
Cidade 2000 - - Centrais   Subterrânea Trecho 2 / Etapa 2
Bárbara de Alencar - - Central   Subterrânea Trecho 2 / Etapa 2
Centro de Eventos - - Central   Subterrânea Trecho 2 / Etapa 2
Edson Queiroz - - Central   Subterrânea Trecho 2 / Etapa 2

Referências

  1. Online, O POVO. «Novo prazo para iniciar obras da Linha Leste previsto para junho». www.opovo.com.br. Consultado em 6 de março de 2018 
  2. «Em 3 anos, obra da Linha Leste do Metrô está apenas 1% concluída». Vídeos. 8 de novembro de 2016 
  3. «Metrô: obras da linha leste estão paradas desde 2015 - Cidade - Diário do Nordeste». Diário do Nordeste. Consultado em 6 de março de 2018 
  4. «Obras da Linha Leste do metrô estão paradas e sem previsão de retorno | Luminaço - Tudo em Aço para sua obra.». luminaco.com.br. Consultado em 6 de março de 2018. Arquivado do original em 4 de fevereiro de 2018 
  5. «Obras da linha leste do metrô de Fortaleza estão paradas há dois anos - AM 810 Verdinha - A Rádio do Seu Coração». AM 810 Verdinha - A Rádio do Seu Coração. 23 de setembro de 2017 
  6. «Obra da Linha Leste do Metrô de Fortaleza ainda sem previsão de reinício». Diário do Transporte. 23 de setembro de 2017 
  7. «Obra da Linha Leste do Metrô de Fortaleza ainda sem previsão de reinício». Diário do Transporte. 23 de setembro de 2017 
  8. «'Tatuzões' do metrô de Fortaleza se deterioram e obra segue parada». G1 
  9. Online, O POVO. «Sem data para retorno de obras, canteiros do Metrofor são desfeitos». www.opovo.com.br. Consultado em 7 de março de 2018 
  10. «Sem obras do metrô, trânsito na avenida Santos Dumont será liberado». www20.opovo.com.br. Consultado em 7 de março de 2018 
  11. Online, O POVO. «Trânsito na avenida Santos Dumont é liberado nesta terça-feira». www.opovo.com.br. Consultado em 7 de março de 2018 
  12. Online, O POVO. «Trecho da Santos Dumont interditado desde 2014 terá trânsito liberado». www.opovo.com.br. Consultado em 7 de março de 2018 
  13. «Com obras inacabadas, tráfego na Avenida Santos Dumont é liberado». Ceará. 21 de dezembro de 2016 
  14. «Linha Leste – Seinfra inicia construção da Estação Colégio Militar». Metrofor. 7 de junho de 2019. Consultado em 22 de junho de 2019 
  15. a b c d e f «Linha Leste: obras da Estação Colégio Militar são retomadas». Diário do Nordeste. 6 de junho de 2019. Consultado em 22 de junho de 2019 

Ligações externasEditar