Abrir menu principal
CPTM icon.svg Santa Terezinha
Uso atual Bahn aus Zusatzzeichen 1024-15.svg Estação de trens metropolitanos
Proprietário Bandeira do estado de São Paulo.svg Governo do Estado de São Paulo
Administração Estrada de Ferro Sorocabana (1940–1971)
FEPASA (1971–1996)
CPTM icon.svg CPTM (1996–atualmente)
Linha 8cinza.png Diamante
Sigla STE
Posição Superfície
Movimento em 2015 4,2 mil passageiros/dia
Serviços Terminal rodoviário
Informações históricas
Nome antigo Asylo Santa Therezinha
Inauguração Década de 1920 (99 anos)
Inauguração da
atual edificação
25 de janeiro de 1979 (40 anos)
Localização
Localização Gnome-globe.png Estação Santa Terezinha
Endereço Rua Deputado Emílio Carlos, 90 - Carapicuíba
Próxima estação
Sentido Itapevi/
Amador Bueno
8cinza.png Sentido Júlio Prestes
Antônio João Carapicuíba
Santa Terezinha

A Estação Santa Terezinha é uma estação ferroviária pertencente à Linha 8–Diamante da CPTM, localizada no município de Carapicuíba.

Índice

HistóriaEditar

A Estação Santa Terezinha foi inaugurada não oficialmente por volta da década de 1920 [1] e serviu como parada ao Asilo Santa Terezinha, aberto em 25 de agosto de 1923.[2]. Em 1951 aparece pela primeira vez como estação.

Em 1971 a EFS é incorporada a FEPASA que contrata junto ao consórcio Engevix - Sofrerail um plano remodelação do sistema de trens de subúrbio, que nele os prédios já existentes das estações das linhas 8–Diamante e 9–Esmeralda na época (Que no caso da Linha 9 Esmeralda os prédios eram os originais das estações, que foram construídos no final da Década de 1950 e início da Década de 1960), incluindo a estação Santa Teresinha no primeiro grupo de edificações a ter o prédio existente demolido e substituído por outro com arquitetura e tecnologia da época da Década de 1970. Do lado norte da estação, a Companhia Estadual de Casas Populares (CECAP) desenvolveu um projeto de um grande conjunto habitacional, de forma que a FEPASA desenvolveu uma passarela de acesso para o futuro empreendimento para atender aos milhares de moradores futuros que ali viveriam. Mas numa reviravolta, a área da CECAP é cedida para a Sabesp e incluída no Plano de Saneamento da Grande São Paulo (SANEGRAN). Ali é erguida a maior estação de tratamento de esgotos da América Latina (ETE Barueri). Dessa forma, em 25 de janeiro de 1979 quando foi reinaugurada,a estação Santa Terezinha acabou sendo subutilizada (pelos funcionários da ETE Barueri e pelos poucos moradores da região).

Seu pátio de manobras perdeu importância ao longo dos anos, servindo apenas para depósito de materiais. Parte da área da ferrovia acabou invadida nos anos 1990, dando origem a uma favela. Em 1996, a estação é repassada pela FEPASA para a CPTM. Apesar de diversos planos de modernização da ferrovia, a estação Santa Terezinha tem aparecido em segundo plano,chegando-se até a sugerir sua desativação (e a de Antonio João) em 2011, sendo que seria substituída por uma nova estação entre esta e Antonio João[3][4] , dada a baixa demanda, que a coloca como uma das menos utilizadas estações da CPTM.

Existem planos da construção de um terminal de ônibus municipal anexo à estação (2004[5] e 2011[6]), porém nenhum projeto ainda saiu do papel.

TabelasEditar

Linha Terminais Comprimento (km) Estações Observações
8
Diamante
Júlio PrestesItapevi 35,283 20 Possui extensão operacional.
Antiga Linha B–Cinza / Antiga Linha Oeste do Trem Metropolitano da FEPASA.
Sigla Estação Inauguração Integração Plataformas Posição Notas
STE Santa Terezinha 1940 Bilhete Único da SPTrans. Central Elevada Estação reconstruída no padrão FEPASA e reinaugurada em 25 de janeiro de 1979

Referências

  1. «Observações». Correio Paulistano, edição 23484, página 11/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 22 de fevereiro de 1929. Consultado em 24 de maio de 2019 
  2. «História». Associação Santa Terezinha. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  3. image.slidesharecdn.com/transporteemobilidadespcptm-111118031708-phpapp01/95/transporte-e-mobilidade-plano-de-investimentos-da-cptm-para-so-paulo-9-728.jpg?cb=1321588375
  4. pt.slideshare.net/chicomacena/transporte-e-mobilidade-plano-de-investimentos-da-cptm-para-so-paulo
  5. «Plano Diretor de Carapicuíba-página 7» (PDF). Prefeitura de Carapicuíba. 2004. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  6. Helton Alves (20 de maio de 2011). «Plano Diretor Participativo propõe diretrizes para uma nova cidade». Prefeitura de Carapicuíba. Consultado em 4 de novembro de 2018 

Ligações externasEditar