Eudromaeosauria

Como ler uma infocaixa de taxonomiaEudromaeosauria
Ocorrência: Cretáceo InferiorCretáceo Superior 143–66 Ma
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
(sem classif.) Dinosauria
(sem classif.) Theropoda
Família: Dromaeosauridae

Eudromaeosauria ("verdadeiros dromaeossaurídeos") é um subgrupo de dinossauros terópodes dromaeossaurídeos terrestres. Eram hiper-carnívoros relativamente de grande porte, com penas (com dietas compostas quase que inteiramente de outros vertebrados terrestres), que floresceram no período Cretáceo.

Fósseis de eudromaeossaurídeos são conhecidos quase que exclusivamente no hemisfério norte. Eles apareceram pela primeira vez no início do período Cretáceo (fase inicial do Aptiano, cerca de 124 milhões de anos) e sobreviveu até o final do Cretáceo (estágio Maastrichtiano, 66 milhões de anos atrás). O eudromaeossaurídeo mais antigo definitivo conhecido é o Utahraptor ostrommaysorum, da Formação Cedar Mountain, datado a 124 milhões de anos atrás.[1] No entanto, fósseis de de 143 milhões de anos, como os de Nuthetes destructor e vários dentes indeterminados datam do estágio Kimmeridgiano que pode representar dromaeossaurídeos.[2][3]

DescriçãoEditar

Enquanto outros dromaeossaurídeos preencheu uma variedade de nichos ecológicos especializados, principalmente aqueles de pequenos predadores ou formas que se alimentam de peixes maiores, eudromaeossaurídeos funcionaram como predadores de grande porte, muitas vezes a presa era de médio ou grande porte. Além de seu tamanho geralmente maior, eudromaeossaurídeos são caracterizados por várias características do pé. Primeiro, houve diferenças nas posições dos sulcos que ancoravam vasos sanguíneos e bainhas de queratina das unhas do dedo do pé. Em dromaeossaurídeos primitivas como os Hesperonychus, estas ranhuras correndo paralelamente um ao outro em ambos os lados da garra ao longo do seu comprimento. Nos eudromaeossaurídeos, as ranhuras eram assimétricas, com a interna dividida em dois sulcos distintos e elevado em direção ao topo da garra, enquanto a única ranhura externa permaneceu posicionado na linha média.[4]

A segunda característica distintiva dos eudromaeossaurídeos é um "calcanhar" expandido e ampliado no último osso do segundo dedo do pé (falange), que suportou a alargada garra semelhante a uma foice no dedo do pé. Finalmente, o primeiro osso do segundo dedo do pé também possuía uma expansão alargada na junta, outra adaptação relativa à garra invulgarmente alargada, e que ajudou o animal manter a garra alta do chão. Também ao contrário de seus parentes mais da base, a garra dos eudromaeossaurídeos era mais nítido e semelhante a lâmina. Na subfamília Unenlagiinae e no clado Microraptoria, a garra é mais ampla em sua base.[4]

ClassificaçãoEditar

Eudromaeosauria foi definido pela primeira vez como um clado com base em nó por Nick Longrich e Philip J. Currie em 2009, como o grupo natural mais inclusivo contendo Dromaeosaurus, Velociraptor, Deinonychus e Saurornitholestes, seu ancestral comum mais recente e todos os seus outros descendentes. As várias "sub-famílias" também foram re-definidos como clados, normalmente definidos como todas as espécies mais próximas dos grupos homônimos que para Dromaeosaurus ou quaisquer homônimos de outros sub-clados.[4]

Os subgrupos de Eudromaeosauria frequentemente mudam de conteúdo com base em novas análises, mas geralmente consistem nos seguintes grupos. Por exemplo, a subfamília Velociraptorinae tradicionalmente incluiu Velociraptor, Deinonychus e Saurornitholestes, e ao mesmo tempo a descoberta de Tsaagan deu apoio a este agrupamento, a inclusão de Saurornitholestes ainda é incerto. O Dromaeosaurinae é normalmente encontrado para consistir em meio às espécies de tamanho gigante, com crânios geralmente em forma de caixa (as outras subfamílias geralmente têm focinhos mais estreitos). Uma série de eudromaeossaurídeos não foram atribuídos a qualquer subfamília particular, porque eles estão muito mal preservados para serem colocados com confiança na análise filogenética (ver seção Filogenia abaixo).[5]

A seguinte classificação dos diversos gêneros de eudromaeossaurídeos segue a tabela fornecida de Holtz de 2010, a menos que indicado de outra forma.[6]

FilogeniaEditar

O cladograma abaixo segue uma análise de 2009 de Longrich e Currie.[4]

Eudromaeosauria
Saurornitholestinae

Saurornitholestes



Atrociraptor



Bambiraptor



unnamed

Deinonychus


unnamed
Velociraptorinae
unnamed

Velociraptor



Itemirus



unnamed

Adasaurus



Tsaagan




Dromaeosaurinae

Dromaeosaurus



Utahraptor



Achillobator






O cladograma abaixo segue o revestimento presente no artigo descrevendo Acheroraptor:

Eudromaeosauria


Bambiraptor feinbergi



Saurornitholestes langstoni






Atrociraptor marshalli



Deinonychus antirrhopus




 Dromaeosaurinae 

Achillobator giganticus



Balaur bondoc



Dromaeosaurus albertensis



Utahraptor ostrommaysorum



 Velociraptorinae 

IGN 100/23




Acheroraptor temertyorum




Velociraptor mongoliensis




Adasaurus mongoliensis



Tsaagan mangas



Velociraptor osmolskae









Referências

  1. McDonald AT, Kirkland JI, DeBlieux DD, Madsen SK, Cavin J; et al. (2010). «New Basal Iguanodonts from the Cedar Mountain Formation of Utah and the Evolution of Thumb-Spiked Dinosaurs.». PLoS ONE. 5 (11): e14075. PMC 2989904 . PMID 21124919. doi:10.1371/journal.pone.0014075 
  2. a b Sweetman S.C. (2004). «The first record of velociraptorine dinosaurs (Saurischia, Theropoda) from the Wealden (Early Cretaceous, Barremian) of southern England». Cretaceous Research. 25 (3): 353–364. doi:10.1016/j.cretres.2004.01.004 
  3. van der Lubbe, T., Richter, U. and Knotschke, N. (2009). "Velociraptorine dromaeosaurid teeth from the Kimmeridgian (Late Jurassic) of Germany." Acta Palaeontologica Polonica, 54(3): 401-408.
  4. a b c d e f Longrich, N.R.; Currie, P.J. (2009). «A microraptorine (Dinosauria–Dromaeosauridae) from the Late Cretaceous of North America». PNAS. 106 (13): 5002–7. PMC 2664043 . PMID 19289829. doi:10.1073/pnas.0811664106 
  5. Turner, A.S.; Hwang, S.H.; and Norell, M.A. (2007). «A small derived theropod from Öösh, Early Cretaceous, Baykhangor Mongolia» (PDF). American Museum Novitates. 3557: 1–27. doi:10.1206/0003-0082(2007)3557[1:ASDTFS]2.0.CO;2. Consultado em 29 de março de 2007 
  6. Holtz, Thomas R. Jr. (2010) Dinosaurs: The Most Complete, Up-to-Date Encyclopedia for Dinosaur Lovers of All Ages, Winter 2010 Appendix.
  7. Matthew, W. D.; Brown, B. (1922). «The family Deinodontidae, with notice of a new genus from the Cretaceous of Alberta». Bulletin of the American Museum of Natural History. 46: 367–385. hdl:2246/1300 
  8. a b Senter, Phil; James I. (15 de maio de 2012). «New Dromaeosaurids (Dinosauria: Theropoda) from the Lower Cretaceous of Utah, and the Evolution of the Dromaeosaurid Tail». PLoS ONE. 7 (5): e36790. PMID 22615813. doi:10.1371/journal.pone.0036790 
  9. Barsbold, R. (1983). "O ptich'ikh chertakh v stroyenii khishchnykh dinozavrov. ["Avian" features in the morphology of predatory dinosaurs]." Transactions of the Joint Soviet Mongolian Paleontological Expedition 24: 96–103. [Original article in Russian.] Translated by W. Robert Welsh, copy provided by Kenneth Carpenter and converted by Matthew Carrano. PDF fulltext