Evandro Carlos Jardim

pintor brasileiro

Evandro Carlos Jardim (São Paulo, 1935) é um pintor, gravador e desenhista brasileiro.

Biografia ArtísticaEditar

Evandro Carlos Jardim ingressa na Escola de Belas Artes de São Paulo em 1953, onde estuda pintura com Theodoro Braga (1872 - 1953), Antonio Paim Vieira e Joaquim da Rocha Ferreira (1900 - 1965), além de modelagem e escultura com Vicente Larocca (1892 - 19--). Entre 1956 e 1957, estuda gravura em metal com Francesc Domingo Segura (1893 - 1974), especializando-se nas técnicas da água-tinta e água-forte.[1] Evandro Carlos Jardim é muito conhecido no meio artístico por suas gravuras, participando de mostras na 9ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo em 1967, e também na Pinacoteca do Estado de São Paulo, além de diversos lugares do mundo como: Bruxelas, Madri e Tóquio. [2]

Evandro Carlos Jardim manteve carreira acadêmica paralela com a de artista, tendo iniciado seu ministério no Ginásio Estadual Vocacional Oswaldo Aranha na cadeira de Artes Plásticas, tornando-se Mestre e Doutor pela USP e docente em diversas universidades de São Paulo, entras as quais a Escola de Belas Artes, a Fundação Armando Álvares Penteado e a própria USP.[1] Foi orientador de teses e dissertações de artistas como Constança Lucas, Jacqueline Aronis, Ayao Okamoto, Yvoty Macambira, Norma Grinberg, Laurita Salles e Luiz Claudio Mubarac. [3]

Recebe o Prêmio de Melhor Gravador do Ano, da Associação Paulista dos Críticos de Arte, em 1974. Durante o regime militar (1964 a 1985), promoveu leilões de obras suas para ajudar os familiares de presos políticos e colaborou com o movimento pela anistia. [4]

Referências

  1. a b «Currículo Lattes». Consultado em 3 de dezembro de 2020 
  2. «Exposições». Itaú Cultural. Consultado em 10 de Janeiro de 2014 
  3. «Dédalus». Universidade de São Paulo. Consultado em 3 de dezembro de 2020 
  4. «Evandro Carlos Jardim». Enciclopédia Itaú Cultural. 12 de abril de 2019. Consultado em 3 de dezembro de 2020 

Ligações ExternasEditar