Abrir menu principal

Expedito Machado da Ponte

(Redirecionado de Expedito Machado)
Searchtool.svg
Esta página ou seção foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde dezembro de 2015). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.


Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde abril de 2017). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Expedito Machado
Ministro da Viação e Obras Públicas do Brasil Brasil
Período 24 de junho de 1963
até 31 de março de 1964
Presidente João Goulart
Antecessor Hélio de Almeida
Sucessor Hélio Cruz de Oliveira
Deputado federal pelo Ceará
Período 1.º - 2 de fevereiro de 1959
até até 13 de junho de 1964
2.º - 1 de fevereiro de 1987
até 31 de janeiro de 1991
Dados pessoais
Nascimento 15 de junho de 1918
Crateús, Ceará
Morte 25 de novembro de 2010 (92 anos)
Fortaleza, Ceará
Cônjuge Daisy de Oliveira Machado
Partido PSD (1947-1964)
PP (1979-1982)
PMDB (1982-1991)
Profissão engenheiro agrônomo e empresário

Expedito Machado da Ponte (Crateús, 15 de junho de 1918Fortaleza, 25 de novembro de 2010[1]) foi engenheiro agrônomo, empresário e político brasileiro. Foi deputado estadual pelo Ceará em 1955 e deputado federal em 1958 e 1962. Serviu como Ministro da Viação e Obras Públicas, de 21 de junho de 1963 a 31 de março de 1964.

Nasceu em Crateús, Ceará, o primogênito dos onze filhos de Maria de Melo Machado e de Francisco de Assis Machado (da Ponte), oriundos de notável família cearense[2].

Entre 1938 e 1940, cursou a Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro, formando-se, posteriormente, em agronomia. Militante do Partido Social Democrático desde 1946, membro do diretório regional do Ceará, elegeu-se deputado estadual em outubro de 1954, e deputado federal em outubro de 1958.

Reeleito em 1962, foi nomeado para o Ministério da Viação e Obras Públicas em junho de 1963. Licenciou-se então da Câmara dos Deputados para integrar o segundo gabinete ministerial presidencialista do governo João Goulart. Após o golpe militar de 31 de março de 1964, que depôs o presidente, foi afastado da pasta, retornando à Câmara. Em 13 de junho, teve seu mandato parlamentar cassado e seus direitos políticos suspensos por dez anos com base no Ato Institucional nº 1, editado em 9 de abril de 1964. Exilou-se em Paris, França, onde permaneceu por onze meses.

Voltou à política graças à anistia decretada em 28 de agosto de 1979, e com a extinção do bipartidarismo, em novembro, foi um dos fundadores do Partido Popular (PP), no Ceará, um ano depois. Em fevereiro de 1982, quando o PP incorporou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro, filiou-se a esta agremiação. No pleito de novembro de 1986, disputou uma vaga de deputado federal constituinte pela legenda do PMDB. Eleito, tomou posse em 1º de fevereiro do ano seguinte, organizando e liderando o Centro Democrático — chamado Centrão —, constituído por 178 parlamentares conservadores, favoráveis a uma Constituição mais liberal e menos estatizante. Com a promulgação da Constituição, em 5 de outubro de 1988, deu continuidade ao seu mandato ordinário na Câmara dos Deputados, onde permaneceu até o final da legislatura, em janeiro de 1991, sem ter concorrido à reeleição.

Abandonando a carreira política, dedicou-se a atividades empresariais.

Referências

  1. Morre Expedito Machado
  2. «Genealogia Sobralense - Os Ferreira da Ponte» (PDF). Consultado em 27 de maio de 2016. Arquivado do original (PDF) em 21 de junho de 2016 

Ligações externasEditar