FMA IA 63 Pampa

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre avião militar. Para outros significados, veja Pampa (desambiguação).

FMA IA 63 Pampa é uma aeronave de treinamento avançado e ataque leve, de propulsão a jato, derivada do aparelho franco-alemão Alpha Jet, produzido na Argentina desde 1984 pela FAdeA (antiga Fábrica Militar de Aviones).[1][2]

FMA IA 63 Pampa
Descrição
Tipo / Missão Caça
Aeronave de treino
País de origem  Argentina
Fabricante FAdeA
Período de produção 1984 - presente
Quantidade produzida 27
Primeiro voo em 6 de outubro de 1984
Introduzido em 1988
Tripulação 2
Especificações
Dimensões
Comprimento 10,93 m (35,9 ft)
Envergadura 9,69 m (31,8 ft)
Altura 4,29 m (14,1 ft)
Área das asas 15,63  (168 ft²)
Alongamento 6
Peso(s)
Peso vazio 2 821 kg (6 220 lb)
Peso carregado 3 500 kg (7 720 lb)
Propulsão
Motor(es) 1 × Honeywell TFE731-40-2N
Performance
Velocidade máxima 819 km/h (442 kn)
Velocidade de cruzeiro 747 km/h (403 kn)
Alcance (MTOW) 1 500 km (932 mi)
Teto máximo 12 900 m (42 300 ft)
Razão de subida 30,2 m/s

Sua entrada em serviço deu-se no ano de 1988. A versão mais atualizada possui um motor Honeywell TFE731-40-2N. São equipados com dois tipos de assentos ejetáveis: o Zvezda K36-L de origem russa, ou o romeno AEROFINA Mk 10aR, que é um derivado do assento inglês MK10L, da Martin-Baker.[3]

VersõesEditar

  • IA 63 Pampa - versão experimental;
  • IA 63 Pampa II - versão melhorada;
  • IA 63 Pampa III - versão atual, com aviônica atualizada e propulsores mais potentes.[4][5]

UtilizadoresEditar

Apenas a Força Aérea Argentina utiliza o modelo, em duas versões. São vinte unidades, dos quais seis do modelo II, onze da versão II-40, remotorizados com propulsores americanos Honeywell, e três mais modernos, da série III.

Essas aeronaves estão distribuídas entre os grupos de caça:

  • o Grupo 4, da IV Brigada Aérea, em El Plumerillo (Província de Mendoza), dotado, em seu Esquadrão I, de Pampas II e II-40; e
  • o Grupo 6, da VI Brigada Aérea, de Tandil (Província de Buenos Aires), também equipado, em seu Esquadrão I, com os aparelhos Pampa II-40.

A previsão do Comando da FAA é receber 40 jatos Pampa. Cinco aparelhos dos modelos I e II foram perdidos em acidentes entre os anos de 1992 e 2004.

A FAdeA tentou negociar o Pampa para países da América Latina, como Paraguai, Uruguai, Brasil, Bolívia, México e Guatemala, sem sucesso.[6][7][8]

Galeria de imagensEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. Flores, Jackson, (Jr). "The Pampa...A Tutor with a Teutonic Flavour". Air International, February 1987, Vol 32 No. 2. Bromley, UK:Fine Scroll. ISSN 0306-5634. pp. 59—66, 90.
  2. Alexandre Galante (5 de dezembro de 2018). «Força Aérea Argentina recebe os seus primeiros três jatos Pampa III». Poder Aéreo - Forças Aéreas, Indústria Aeronáutica e de Defesa. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  3. Valduga, Fernando (4 de julho de 2017). «Roll out do primeiro jato IA-63 Pampa III produzido em série». Cavok Brasil - Notícias de Aviação em Primeira Mão. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  4. Aeroflap (27 de setembro de 2018). «IA-63 Pampa III realiza primeiro voo». Aeroflap. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  5. Alexandre Galante (25 de setembro de 2018). «Primeiro jato Pampa III de produção faz voo inaugural». Poder Aéreo - Forças Aéreas, Indústria Aeronáutica e de Defesa. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  6. anos, Thiago Vinholes (29 de abril de 2019). «Argentina negocia exportar jato Pampa III para países latino-americanos». Airway. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  7. Vinholes, Thiago (13 de julho de 2019). «Guatemala desiste de comprar jatos Pampa da Argentina». Airway. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  8. «Argentina volta a oferecer o IA-63 Pampa III ao Paraguai » Força Aérea». Força Aérea. 13 de outubro de 2020. Consultado em 24 de novembro de 2021