Fallschirmjäger

Fallschirmjäger Loudspeaker.svg? ouvir (alemão: Fallschirm "pára-quedas" e Jäger "caçador") são os militares paraquedistas da Alemanha.

Os Fallschirmjäger durante a Segunda Grande Guerra.

Na Segunda Guerra Mundial a Luftwaffe treinou várias unidades de Fallschirmjäger e foram as primeiras as lançaram ataques aéreo de larga escala. As unidades normalmente estavam bem equipadas e dispunham das melhores armas da militaria alemã.

Paraquedistas alemães desfilando em Paris, 2007.

Durante o Terceiro Reich os Fallschirmjäger estiveram sob o comando de Kurt Student. Se destacaram na Batalha da Fortaleza Eben-Emael em 1940 onde quase 500 paraquedistas vindo de planadores atacaram e tomaram a fortaleza belga com baixas mínimas. Em 1941 na Batalha de Creta, os Fallschirmjäger participaram em massa, onde 14,000 paraquedistas lideraram o assalto na ilha, embora resultou em altas baixas e foi considerado um vitória pírrica. Como resultado, Adolf Hitler proibiu operação de paraquedistas em massa como em Creta, assim seriam seriam designados para a Frente Oriental e na Campanha Norte-Africana. Em 1943, liderados por Otto Skorzeny participaram da Operação Carvalho para resgatar Benito Mussolini de sua prisão e em 1944 participariam na Batalha de Monte Cassino na Itália, onde ocuparam os escombros e estabeleceram excelentes posições defensivas entre as ruínas resultando em altas baixas das forças do aliados. Foram umas das primeiras forças a usar um Fuzil de assalto moderno, a FG-42.

Atualmente, compreendem algumas das unidades de elite do Exército da República Alemã.

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.