Fernando Maria de Sousa Coutinho, 2.º Marquês de Borba

Fernando Maria de Sousa Coutinho, 2.º Marquês de Borba e 14.º Conde de Redondo (26 de Outubro de 17765 de Março de 1834) foi um aristocrata português, militar, e patrono das artes.

Fernando Maria de Sousa Coutinho, 2.º Marquês de Borba
Nascimento 1776
Cidadania Portugal
Ocupação político, militar
Prêmios
  • Grã-Cruz da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa
  • Grã-Cruz da Ordem de Santiago da Espada

Filho do 13.º Conde de Redondo e 1.º Marquês de Borba, D. Tomé Xavier, e de D. Margarida Teles da Silva, filha dos segundos Marqueses de Penalva. Sucedeu na casa de seu pai a 13 de Outubro de 1813, tendo-lhe sido renovado o título de Marquês de Borba, em sua vida, por Carta de 20 de Maio de 1812.[1]

O Marquês de Borba foi ainda vedor da Casa Real, 12.º senhor de Gouveia, par do Reino em 1826; grã-cruz da Ordem de Santiago e da de Nossa Senhora da Conceição; comendador de Santa Maria de Gundar, na Ordem de Cristo; membro do Conselho de Regência em 1810-1820, e presidente do real Erário em 1810.[2]

Referências

  1. Sanches de Baena, Visconde de (1867). Diccionario Aristocratico. Lisboa: Typ. do Panorama 
  2. Borba (Fernando Maria de Sousa Coutinho Castelo Branco e Meneses, 14.º conde de Redondo e 2.º marquês de), Portugal - Dicionário Histórico, Corográfico, Heráldico, Biográfico, Bibliográfico, Numismático e Artístico, Volume III, pág. 162, Edição em papel, João Romano Torres - Editor, 1904-1915 Edição electrónica, Manuel Amaral, 2000-2002
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.