Abrir menu principal

Fernando Rodrigues

Jornalista brasileiro
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo físico de Portugal, veja Fernando Carvalho Rodrigues.
Fernando Rodrigues
Nascimento 6 de abril de 1963 (56 anos)
São João da Boa Vista, SP
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Jornalista
Prêmios Prémio Jabuti (1995)
Prêmio Esso (1997, 2002, 2003 e 2006)
Página oficial
Poder360

Fernando Rodrigues (São João da Boa Vista, 6 de abril de 1963) é um jornalista brasileiro, membro do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ).[1]

Índice

CarreiraEditar

Formou-se em jornalismo na Universidade Metodista de São Paulo, em São Bernardo do Campo, em 1985. Entre 1986 e 1987, fez mestrado em jornalismo internacional na City University, em Londres, no Reino Unido.[2]

De 2000 a 2016, manteve um site/blog sobre política hospedado no portal do Universo Online (UOL). De 2007 a 2017, fez análises sobre poder e política na Rádio Jovem Pan, de São Paulo, no quadro "Bastidores do Poder", do Jornal da Manhã.

Trabalhou para o jornal Folha de S. Paulo de 1987[2] a 6 de novembro de 2014.

Foi contratado pelo SBT em 2010 até 2011.[3]

Em 2016, lançou o jornal online Poder360, com sede em Brasília (DF). É diretor de Redação do Poder360.

Jornalismo investigativoEditar

Fernando Rodrigues foi um dos jornalistas, junto ao Otávio Chico, do jornal O Globo, que tiveram exclusividade para publicar informações a respeito das contas de brasileiros no HSBC divulgadas pelo Swiss Leaks. Em 26 de março de 2015, Fernando Rodrigues depôs na CPI do HSBC.

Fernando e Chico afirmaram à CPI que, dos aproximadamente 140 nomes divulgados pelas reportagens conjuntas do jornal “O Globo” e do portal UOL, de que apenas quatro comprovaram a legalidade das contas e apresentaram documentos ao Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos. Os dois jornalistas ressalvaram, que não há, até o momento, nenhum indício de ilegalidade na abertura das contas no banco.[4]

Poder360Editar

O Poder360 é um site sediado em Brasília, fundado em 18 de abril de 2000[5] pelo jornalista como blogue pessoal, e passou por várias reformulações. Seu objetivo inicial era escrever sobre assuntos políticos.[6]

Em 22 de novembro de 2016, a página própria do Poder360 foi lançada e operou inicialmente em paralelo ao Blog do Fernando Rodrigues, hospedado no UOL. Em 1º de janeiro de 2017, iniciou sua fase independente.[7] Em março de 2017, a empresa tinha mais de 20 funcionários.[8]

O Poder360 participou de grandes investigações internacionais promovidas pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ). O jornalista Fernando Rodrigues faz parte do consórcio.[9]

  • Paradise Papers ("Documentos do paraíso", em tradução livre) — conjunto de 13,4 milhões de documentos eletrônicos confidenciais de natureza fiscal.[10] que foram enviados ao jornal alemão Süddeutsche Zeitung. O Poder360 conduziu no Brasil as investigações dos Paradise Papers[11]
  • Bahamas Leaks — obtidos pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung e compartilhados com veículos de todo o mundo. O acervo, de 38 gigabytes, contém 1,3 milhão de documentos sobre mais de 175 mil offshores. Os documentos revelam uma rede de empresas offshore de líderes do cenário político mundial.[12]
  • Panama Papers (em português: Documentos do Panamá) — conjunto de 11,5 milhões de documentos confidenciais[13] de autoria da sociedade de advogados panamenha Mossack Fonseca que fornecem informações detalhadas de mais de 214 000 empresas de paraísos fiscais offshore, incluindo as identidades dos acionistas e administradores. O Poder360 conduziu no Brasil as investigações dos Panama Papers[14].
  • Swiss Leaks (ou SwissLeaks) — investigação jornalística de um gigantesco esquema de evasão fiscal alegadamente operado com o conhecimento e encorajamento do banco multinacional britânico HSBC através de sua subsidiária suíça, o HSBC Private Bank (Suisse).[15]

PremiaçõesEditar

O Poder360 foi indicado em 2017 ao prêmio de Melhor Site pelo Prêmio Engenho.[16] Em novembro de 2018, o veículo foi finalista e vencedor na categoria.

No mesmo ano, o jornal digital foi premiado na categoria melhor Mídia Digital pela Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial). O Prêmio concede a honraria a veículos e empreendimentos de comunicação que se destacaram em seu universo de atuação.

PrêmiosEditar

É ganhador de quatro Prêmios Esso. Em 1997, ganhou o Esso de Jornalismo com a reportagem sobre a compra de votos para a aprovação da emenda da reeleição; em 2002, com as reportagens e o banco de dados "Controle Público", que disponibiliza o acesso a mais de seis mil declarações de bens de políticos; a terceira vez, em 2003, foi graças a uma investigação sobre venda de reportagens no Paraná; e a última, em 2006, por Melhor Contribuição à Imprensa naquele ano (pelo livro e site Políticos do Brasil). O livro e o site tratam especificamente sobre os valores de bens pessoais declarados pelos políticos brasileiros desde as eleições de 1998 até 2006.[2]

Também foi premiado em 2002, pelo trabalho "Controle Público", com o Líbero Badaró de Webjornalismo e com o Prêmio para Internet da Fundación Nuevo Periodismo Internacional, presidida pelo escritor colombiano Gabriel García Márquez.[2]

Entre 2006 e 2007, ganhou uma bolsa de estudos da Fundação Nieman para Jornalismo, na Universidade Harvard, nos Estados Unidos.

Em 2018, recebeu[17] o prêmio Maria Moors Cabot, a mais relevante distinção concedida nos Estados Unidos a jornalistas estrangeiros.

ObrasEditar

Essas são as obras do jornalista:[2]

  • Os Donos do Congresso - A Farsa na CPI do Orçamento (Prêmio Jabuti de livro-reportagem em 1993), co-autor, junto com os jornalistas Gustavo Krieger e Elvis César Bonassa
  • Racismo Cordial - 1994, ed. Ática. Rodrigues escreveu o texto de introdução neste livro que contém artigos de vários autores.
  • Políticos do Brasil - 2006, ed. PubliFolha (Prêmio Esso de Melhor Contribuição à Imprensa em 2006)

Referências

  1. «Our Journalists: Brazil» (em inglês). icij.org. Consultado em 4 de abril de 2016. Arquivado do original em 16 de abril de 2016 
  2. a b c d e «Fernando Rodrigues». Universo Online (UOL). Consultado em 5 de junho de 2010 
  3. «Fernando Rodrigues». Universo Online (UOL). Consultado em 28 de julho de 2010 
  4. «CPI do HSBC ouve jornalistas sobre Swissleaks e convida Cardozo». G1 Política. 26 de março de 2015. Consultado em 9 de outubro de 2015 
  5. «Poder360». Poder360. Consultado em 12 de março de 2018 
  6. «Fernando Rodrigues - 18/04/2000». www1.uol.com.br. Consultado em 12 de março de 2018 
  7. «O Blog agora se chama Poder360 - Política - Política». Política 
  8. «Poder360: Brazil's "Politico" Digs into Politics and Power - Global Investigative Journalism NetworkGlobal Investigative Journalism Network». gijn.org (em inglês). Consultado em 12 de março de 2018 
  9. «Fernando Rodrigues, Author at ICIJ». ICIJ (em inglês). Consultado em 12 de março de 2018 
  10. Germany, Süddeutsche.de GmbH, Munich,. «Paradise Papers - Süddeutsche Zeitung - Die Recherche». Süddeutsche.de (em alemão) 
  11. «Poder360». Poder360. Consultado em 12 de março de 2018 
  12. Germany, Süddeutsche.de GmbH, Munich,. «Bahamas-Leaks: Alles zum neuen Offshore-Leak». Süddeutsche.de (em alemão) 
  13. Zeitung, Süddeutsche. «All you need to know about the Panama Papers». Süddeutsche.de (em inglês) 
  14. «Poder360». Poder360. Consultado em 12 de março de 2018 
  15. «Swiss Leaks: Murky Cash Sheltered by Bank Secrecy - ICIJ». ICIJ (em inglês) 
  16. «Finalistas do Prêmio Engenho são diplomados em primeira etapa de homenagens». Fecomércio DF 
  17. «Fernando Rodrigues ganha Prêmio Maria Moors Cabot». abraji.org.br. Consultado em 14 de fevereiro de 2019 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.