Abrir menu principal
F430
Visão Geral
Nomes
alternativos
430
Produção 20042009
Fabricante Ferrari
Montagem Maranello, Itália
Modelo
Classe Esportivo
Carroceria Cupê ou conversível
Designer Frank Stephenson da Pininfarina
Ficha técnica
Motor 4.3 L V8
Potência 490 cv (360 kW) Nota1
Torque 465 Nm (47,4 kgf-m) @ 5250 rpm Nota1
Transmissão Semi-automática, 6 marchas
Layout Motor central, tração traseira
Modelos relacionados Aston Martin V8 Vantage
Aston Martin DB9
Nissan GT-R
Ford GT
Lamborghini Gallardo
Audi R8
Panoz Esperante
Porsche 997 Turbo
Chevrolet Corvette Z06
Dodge Viper
Ferrari F40
Dimensões
Comprimento 4 512 mm (4,51 m)
Entre-eixos 2 600 mm (2,60 m)
Largura 1 923 mm (1,92 m)
Altura 1 214 mm (1,21 m)
Peso 1 350 kg (2 980 lb)
Tanque 95 l (25,1 US-gal) Nota1
Consumo Urbano: 26,9; Extra-urbano: 13,3; Misto: 18,3 Nota1
Velocidade Máx. 315 km/h (196 mph) Nota1
Cronologia
Ferrari 360
Ferrari 458 Italia
Notas
Fonte Nota1: Coleção Ferrari Gran Turismo - F430/2004 Vol. 3[1]

F430 foi um modelo de carro produzido pela Ferrari. Apresentado no Salão do Automóvel de Paris 2004, foi o sucessor da 360 e da 355.

Índice

Aspectos geraisEditar

O chassi do F430 é baseado pesadamente em seu predecessor, o 360. Internamente, ambos são citados como o mesmo modelo (F131), mas para os mais íntimos, o carro é conhecido simplesmente como o Evo.

DesignEditar

O design do F430 foi desenvolvido em conjunto pela Ferrari e pelo estúdio Pininfarina. O estilo se inspira em antigos carros de corrida, com destaque para o modelo 1961, campeão do mundo de Fórmula 1 com Phil Hill, e também nos modernos - na traseira, ele é uma cópia reduzida do modelo Enzo. Segundo a Ferrari, a aerodinâmica recebeu prioridade sobre o visual. A carroceria foi esculpida em túnel de vento, de modo a se obter um bom coeficiente aerodinâmico (Cx), elevada pressão contra o solo (down force) e fluxo de ar suficiente para resfriar freios e motor.

MotorEditar

Em relação ao antecessor F360, o novo V8 cresceu 20% no deslocamento, encolheu nas dimensões externas e ganhou apenas quatro quilogramas de massa. Contribuíram para isso novos materiais e componentes de tamanho reduzido (como o cárter seco e a embreagem de diâmetro menor). O sistema de admissão foi aperfeiçoado com o uso de dutos e válvulas de dimensões iguais às dos motores da Fórmula 1. Comandos de válvulas são continuamente variáveis para admissão e escape e acionados por um sistema hidráulico de alta pressão. A curva de potência é quase uma reta (com uma inclinação de 60 graus em relação ao eixo x). E a de torque corre paralela à de potência até atingir seu ponto máximo. A 3500 rpm tem-se 23% da potência e 80% do torque. A potência máxima de 490 cavalos chega a 8500 rpm e o torque máximo de 47,4 mkgf a 5250 rpm. Na pista, o desempenho é fora do comum. Segundo a Ferrari, o V8 acelera os 1450 quilos do F430, de 0 a 100 km/h, em apenas 4 segundos. E a velocidade máxima chega aos 315 km/h. Com todo esse rendimento, o motor é capaz de atender aos limites de emissões das normas europeia (Euro 4) e americana (LEV2).

FreiosEditar

Os freios do F430 foram projetados com a colaboração da Brembo. O resultado foi uma nova liga do ferro fundido para os discos. A nova liga inclui o molibdênio que tem um melhor desempenho na dissipação de calor. Uma outra opção que a Ferrari está fornecendo é a de discos carbono-cerâmicos. A cerâmica tem uma resistência ao calor muito mais elevada do que metais, dando, assim, não somente um bom desempenho aos freios do F430, mas também uma vida útil mais longa. A Ferrari diz que os freios não se desgastam mesmo depois que 300-350 voltas no Circuito de Fiorano, sua pista de testes.

Inovações TecnológicasEditar

ManettinoEditar

 
O manettino, na parte inferior direita do volante

O volante do F430 é uma síntese dos que estão nos Ferrari de Fórmula 1, pilotadas por Felipe Massa e Fernando Alonso. Nas pistas de corrida os pilotos contam com diversos seletores que ajustam parâmetros como tempo de troca de marchas, controle do diferencial e abertura da borboleta. Nas ruas, os motoristas têm a opção de cinco programas que regem o comportamento do carro, interferindo na suspensão, na transmissão e nos demais controles eletrônicos. Fora das pistas, não faz sentido regular individualmente cada função do carro, como a distribuição de torque entre as rodas, por exemplo, a cada curva. O seletor de modos de condução foi batizado pela Ferrari como "Manettino".

Os programas desenvolvidos para o F430 proporcionam diferentes graus de esportividade, ao gosto do motorista. Mas a Ferrari recomenda que a seleção do Manettino respeite as condições de aderência das vias.

No primeiro modo, chamado Ice (gelo, representado por um floco de neve), a intervenção dos sistemas eletrônicos é total. O câmbio entra no modo automático, com trocas suaves e sem esticar as marchas, e o controle de estabilidade e tração (CST) trabalha da forma mais segura possível. Essa opção deve ser usada quando se roda sobre neve ou gelo.

O segundo modo, Bassa Aderenza (baixa aderência, representado por uma sinalização de pista escorregadia), o câmbio pode ser usado no modo manual, mas o CST ainda se mantém precavido. É o ideal para uso em pista molhada.

O terceiro modo, intermediário, é o padrão do carro. Batizado pela Ferrari de "Sport", com ele ocorre o melhor compromisso entre estabilidade e desempenho. Em relação aos anteriores, a suspensão adquire um comportamento mais esportivo e o CST se torna mais tolerante, recomendado apenas para pista seca.

No quarto modo, é para quando se busca uma direção mais esportiva, chamado Race (corrida). Essa, segundo o fabricante, deve ser usada somente em circuitos fechados, onde o desempenho do carro pode ser desfrutado sem maiores riscos. O câmbio reduz o tempo das trocas de marchas, o CST só interfere em situação de risco e a .

No quinto modo (representado pela sigla CST riscada), o controle eletrônico de estabilidade, tração e de diferencial não operam, apenas o ABS permanece ativo. Nessa modalidade, entra em operação um programa fixo padrão para condições de máximo desempenho. O câmbio e a suspensão permanecem configurados com o comportamento do modo anterior.

E-DiffEditar

A eletrônica já foi acusada de inibir o prazer de dirigir um esportivo com intervenções arbitrárias. Mas o F430 é a prova de que a tecnologia evoluiu e se tornou aliada de quem gosta de acelerar mais fundo. Além da suspensão, do câmbio e do manettino que comanda o comportamento do carro, o F430 dispõe de um controle de largada, semelhante ao dos carros da F-1. Com esse dispositivo acionado, o motorista pode elevar o giro do motor a até 7000 rpm antes de soltar o pé do freio e liberar o carro para arrancar. E o que dizer do E-Diff, que distribui continuamente o torque do motor para as rodas sem perdas? Sua ação foi decisiva para que o F430 baixasse em 3 segundos o tempo da volta em Fiorano, em comparação com seu antecessor, o F360. A volta caiu de 1 minuto e 30 segundos para 1 minuto e 27 segundos (o circuito tem 2976,4 metros de extensão). Para permitir que os pilotos contornem o circuito em maior velocidade, o E-Diff usa e abusa da eletrônica. Ele monitora a posição do pedal do acelerador, o ângulo de esterçamento do volante, a rotação da carroceria em relação a seu eixo vertical e a diferença de rotação entre as rodas.

F430 SpiderEditar

 
Ferrari F430 Spider

Desenhado pelo estúdio Pininfarina, o carro passou por simulações de aerodinâmica com os mesmos programas usados pelos modelos de Fórmula 1, garante a empresa.

A Spider traz recursos como o diferencial eletrônico e o manettino, o seletor no volante que permite ajustar facilmente diversos sistemas do veículo. Não poderia faltar a cobertura de vidro que deixa o motor central aparente.

A mecânica do conversível é a mesma do cupê: motor V8 de 4,3 litros e aspiração natural, potência de 490 cv a 8.500 rpm e torque de 47,4 m.kgf a 5.250 rpm. A Ferrari anuncia máxima de 310 km/h e 0–100 km/h em 4,1 segundos.

Versões especiaisEditar

Ferrari 430 ScuderiaEditar

 
Ferrari F430 Scuderia

Servindo como o sucessor 360 Challenge Stradale, o Scuderia, revelado por Michael Schumacher no Salão do Automóvel de Frankfurt 2008, promete competir com carros como Porsche-RS e o Lamborghini Gallardo SE, é 115 kg mais leve do que o F430 padrão e o motor é 22,3 cv mais potente (agora são 513,1 a 8550 RPM). Assim a relação do peso-potência foi reduzida de 2.93 kg/cv para 2.35 kg/cv. Além do peso reduzido, a transmissão manual seqüencial da Scuderia ganha o software melhorado de “Superfast III” por deslocamentos mais rápidos em 55 milissegundos. Um novo sistema combina o controle da tração e da estabilidade da F1-Track com o diferencial eletrônico de E-Drifft.

Ferrari 430 ChallengeEditar

 
Ferrari F430 Challenge

É a versão de corrida do F430 sem alterações no motor. Compete na categoria interna Ferrari Challenge Trofeo Pirelli. Curiosamente, a versão anterior 360 Challenge ainda não foi retirada da categoria. O peso foi reduzido dos 1.450 kg do original para 1.225 kg nesta versão, 8 cilindros em "V", chega até 336 km/h e chega de 0 a 100 km/h em apenas 3,8s. Também é chamado de Ferrari F430 Pista.

Ferrari F430 GT2Editar

 
Ferrari F430 GT2 no American Le Mans Series

Construído para substituir os 360 GTC em 2006, o GT2 é um carro de competição projetado para correr na classe GT2 internacional, como na American Le Mans Series, Le Mans Series, e FIA GT Championship. Os F430 GT2s competem também nas 24 horas de Le Mans. É a mais rápida versão do F430.

Ferrari F430 GT3Editar

Baseado originalmente no F430 Pista, o F430 GT3 é um carro de corrida especialmente projetado para o FIA GT3 European Championship, mas usado também em outros campeonatos nacionais de GT. É mecanicamente similar ao F430 Pista, contudo tem aerodinâmica melhor e maiores entradas e saídas de ar.

Ferrari Scuderia Spider 16MEditar

Versão conversível do 430 Scuderia. O nome é uma homenagem ao 16º título de construtores da Ferrari na Fórmula 1. Tem as mesmas características mecânicas do 430 Scuderia cupê e peso reduzido em 80 kg em relação ao Spider básico, indo para 1.440 kg. Com isso, o carro vai de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos e atinge 315 km/h de velocidade máxima. O Scudera Spider 16M vem com um novo sistema de áudio associado a um iPod Touch Ferrari de 16 GB. O modelo foi limitado a 499 exemplares cada um com configuração única. Todos vêm com uma placa de prata no painel que informa a exclusividade do modelo e uma outra atrás que comemora o título de 2008

F430 na cultura popularEditar

Referências

  1. Coleção Ferrari Gran Turismo - F430/2004 Vol. 3 16 pág., editora Planeta DeAgostini, ISBN 978-989-609-764-6

Ligações externasEditar