Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Figueira, veja Figueira (desambiguação).

Figueira é um município brasileiro do estado do Paraná. Localiza-se a uma latitude 23º50'57" sul e a uma longitude 50º24'11" oeste, estando a uma altitude de 620 metros. De acordo com o censo 2010, a população de Figueira era de 8.293 habitantes. A estimativa de domicílios no município era de 2.755, também de acordo com o censo 2010.[6]

Município de Figueira
Bandeira de Figueira
Brasão de Figueira
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 20 de abril de 1982 (37 anos)
Gentílico figueirense
Prefeito(a) Valdir Garcia (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Figueira
Localização de Figueira no Paraná
Figueira está localizado em: Brasil
Figueira
Localização de Figueira no Brasil
23° 50' 56" S 50° 24' 10" O23° 50' 56" S 50° 24' 10" O
Unidade federativa Paraná
Mesorregião Norte Pioneiro Paranaense IBGE/2008[1]
Microrregião Ibaiti IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Ibaiti, Curiúva
Distância até a capital 315 km
Características geográficas
Área 129,806 km² [2]
População 7 845 hab. estimativa populacional — IBGE/2019[3]
Densidade 60,44 hab./km²
Altitude 620 m
Clima Subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,711 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 52 891,853 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 6 190,53 IBGE/2008[5]

EtimologiaEditar

De origem geográfica, constituindo-se em referência à árvore do gênero "ficus", popularmente conhecida por figueira. Esta denominação deve-se a enorme figueira encontrada pelos pioneiros ao tempo das primeiras incursões à região, sob a sombra da qual, descansavam.

HistóriaEditar

Os fundamentos históricos do lugar estão invariavelmente ligados aos de Curiúva. A região se beneficiou da estrada, antes rudimentar "picada na mata", que ligava a Colônia Militar, fundada em 1851, por determinação do imperador Dom Pedro II, até Curitiba.

O desbravamento da região é obra do sertanista Joaquim Francisco Lopes, que o fez a pedido de João da Silva Machado, futuro Barão de Antonina, homem de prestígio no período provincial e dono de milhares de metros quadrados de terras em todo o Paraná.

Região rica em recursos minerais foi amplamente movimentada e explorada por garimpeiros à cata de carvão mineral, desde o ano de 1925. Estes homens, muitos deles com famílias, contribuíram à sua maneira, para o surgimento da futura cidade de Figueira.

As primeiras pessoas que se estabeleceram no lugar com fins de colonização, foram membros da grande família Fajardo, que se deleitavam à sombra de uma frondosa e centenária figueira, sob a qual acampavam, juntamente com os Fajardo, oriundos do Estado de São Paulo, vieram as famílias de Manoel Pedro Ribas, M. Zoilo Meira Simões, Floro Henrique dos Santos, Joaquim Pereira Batista e José França, que se instalaram na localidade e se dedicavam ao trabalho nas minas de carvão mineral.

Os primeiros comerciantes que se estabeleceram em Figueira, foram os senhores Abílio Wanderlei, João Luiz de Sousa, José Vitor e Elias Lacerda.

Em 1950, Munhoz da Rocha é eleito Governador do Paraná. Este resultado foi importante para a cidade, pois, foi no Governo Munhoz da Rocha que a Usina Termoelétrica de Figueira (Usina Santa Laura) começou a ser construída.[7]

No dia 21 de novembro de 1962 foi criado o Distrito Judiciário de Figueira, como parte integrante do município de Curiúva. O Distrito Administrativo foi criado somente em 6 de junho de 1980, pela Lei nº 7.326, sendo que em 20 de abril de 1982, através da Lei Estadual no 7.570, sancionada pelo governador Ney Braga, Figueira transformou-se em município emancipado, com território emancipado do município de Curiúva.

A instalação oficial ocorreu no dia 1 de fevereiro de 1983, sendo que o primeiro prefeito municipal foi o sr. Geraldo Garcia Molina e o segundo o sr. Dirceu Rodrigues dos Santos.

Figueira detém em seu município rica jazida de carvão mineral, formada na bacia carbonífera do Estado do Paraná, onde está assentada. Dados oficiais da Mineropar dão conta que o preço da produção extrativa dessas jazidas, está estimado em aproximadamente R$ 14 milhões e a quantidade em 2004 foi em torno de 78 mil toneladas.

EconomiaEditar

Depende da atividade de Extração de Carvão (Cambuí), geração de energia (Copel), agricultura e pecuária.

A economia do município esteve ameaçada em 2004, quando um projeto de lei pretendia fechar a Cambuí (Mina de Carvão), pois a mesma já não dá mais o lucro que dava nos anos 1970 e 1980, mas graças a manobras políticas por parte da prefeitura e da ALEP, a mina não foi fechada. Caso a mina tivesse sido fechada, a cidade perderia 95% da renda, que vem dos impostos garantidos graças a extração de carvão.

PolíticaEditar

 Ver artigo principal: Lista de prefeitos de Figueira

TransporteEditar

A história do transporte em Figueira deu-se no início da década de 1970 quando a Viação Jóia da cidade de Ibaiti (vizinha de Figueira) iniciou suas atividades com apenas três ônibus fazendo o trecho Ibaiti - Telêmaco Borba, que passava por Figueira em um trajeto difícil, sendo necessário cruzar o rio por outros meios pois ainda não havia ponte.

Atualmente a cidade é servida por duas empresas: Viação Joia e a Viação Ouro Branco, do Grupo Garcia. Pela Joia, é possível ir para duas capitais: São Paulo e Curitiba, além de cidades importantes como Campinas, Sorocaba e São José dos Campos, além de Telêmaco Borba e Ponta Grossa. Já pela Ouro Branco, é possível ir para Londrina.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «estimativa_dou_2019.xls». ibge.gov.br. Consultado em 9 de setembro de 2019 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. «Copel investe R$ 106 milhões na termelétrica de Figueira». Gazeta do Povo. 1º de outubro de 2014. Consultado em 23 de fevereiro de 2019 

Ligações externasEditar