Markeli
Marcellae
Маркели
Fortaleza de Markeli às margens do rio Mochuritsa
Localização atual
Markeli está localizado em: Bulgária
Markeli
Localização de Markeli na Bulgária
Coordenadas 42° 38' 15.48" N 26° 53' 47.48" E
País  Bulgária
Província Burgas
Área 0 7 km²
Dados históricos
Fundação Antiguidade Tardia
Abandono século XII
Império Império Bizantino
Império Búlgaro
Cidade Karnobat
Notas
Escavações 1986

Markeli (em búlgaro: Маркели; em grego: Μαρκέλλαι - Markellai; em latim: Marcellae) foi uma fortaleza medieval localizada na fronteira entre o Império Bizantino e o Império Búlgaro e suas ruínas estão hoje no município de Karnobat, na província de Burgas na Bulgária. Construído na Antiguidade Tardia, o castelo está localizado a 7,5 quilômetros da cidade. Diversas batalhas memoráveis entre bizantinos e búlgaros foram travadas ali, principalmente a Batalha de Marcela de 756 e a Batalha de Marcela de 792.[1]

HistóriaEditar

A fundação e expansão do Primeiro Império Búlgaro no final do século VII fez de Markeli uma fortaleza estratégica no território ao sul da cordilheira dos Balcãs. Ela trocou de mãos diversas vezes e tanto búlgaros quanto bizantinos a utilizavam como ponto de partida para suas campanhas. Markeli passou para o controle búlgaro pela primeira vez em 705, quando toda a região de Zagora foi cedida à Bulgária pelo imperador bizantino Justiniano II.[2]

Em 755, os búlgaros, liderados pelo Tervel, saquearam a Trácia bizantina e chegaram até as portas de Constantinopla. No ano seguinte, já sob o comando do novo cã, Vineque, a Bulgária foi invadida pelo imperador Constantino V numa campanha retaliatória. O exército bizantino avançou pela Trácia e encontrou os búlgaros em Markeli, que, na época, era uma fortaleza fronteiriça. Os bizantinos se saíram melhor na batalha que se sucedeu[1] e, para evitar que a invasão continuasse, Vineque teve que enviar reféns para Constantinopla.[3][4]

Em 792, Markeli foi novamente o centro de uma grande guerra bizantino-búlgara.[1] A segunda batalha de Marcela ocorreu durante um prolongado período de agressões entre búlgaros e bizantinos, com o cã búlgaro Kardam e o imperador Constantino VI invadindo os territórios um do outro por repetidas vezes. Por conta de erros estratégicos, os bizantinos sofreram uma pesada derrota[5][6] e o imperador perdeu importantes estrategos. A tenda do imperador foi capturada juntamente com seu tesouro e seus cavalos.[7]

Em 811, as forças de Nicéforo I, o Logóteta, partiram de Markeli em sua fracassada invasão da Bulgária[1] que terminou com a morte do imperador na Batalha de Plisca.[8] A historiadora bizantina Ana Comnena escreveu que, em 1089, seu pai, Aleixo I Comneno, negociou o fim dos conflitos com pechenegues e cumanos em Markeli (Marcella), onde eles estavam acampados.[1][9] Markeli permaneceu habitada e guarnecida até pelo menos o século XII.[10]

Localização e descriçãoEditar

Markeli está situada perto do rio Mochuritsa (um grande tributário do Tundzha), na ponta ocidental do planalto de Hisar, que é parte do sudeste da cordilheira dos Balcãs. Esta localização foi escolhida para que a fortaleza guardasse o passo de Rish e o passo de Varbitsa. Era a primeira de uma série de fortalezas búlgaras ao longo da rota que levava à capital Plisca através das montanhas.[11] A região já era habitada antes da construção do castelo como pode se atestar pelos traços de assentamentos pré-históricos e da Idade do Ferro, além de tumuli romanos na área.

A pesquisa arqueológica da fortaleza se iniciou em 1986 e revelou que o castelo foi construído na Antiguidade Tardia (o início do período bizantino).[10] Foram utilizados pedras moídas com fileiras integras de tijolos e acredita-se que a obra tenha ocorrido no reinado de Anastácio I Dicoro (r. 491–518) ou Justiniano (r. 527–565), ou seja, no final do século V e início do VI. A muralha tinha dez metros de altura e estava atrás de um fosso de 3 metros de profundidade. A fortaleza toda, inclusive o dique do início do século IX, tinha uma área de 0,7 km2.[10]

As ruínas da igreja cristã (basilica) que foi desenterrada na parte oriental do castelo é tão antiga quanto as fortificações. Uma torre com poço estava localizada perto do rio para controlar o acesso à fortaleza e prover água para os defensores. Uma antiga ponte atravessava o rio perto desta torre e uma passagem subterrânea servia como rota de entrada ou saída para os habitantes.

Referências

  1. a b c d e Kazhdan, Alexander, ed. (1991), «Markellai», Oxford Dictionary of Byzantium, ISBN 978-0-19-504652-6, Oxford University Press, p. 1300 
  2. Димитров, Божидар (19 de dezembro de 2005). «Крепостта Маркели спасява Плиска ("The Markeli Fortress saves Pliska")» (em Bulgarian). Стандарт. Consultado em 27 de dezembro de 2009 
  3. Curta, Florin (2006). Southeastern Europe in the Middle Ages, 500-1250. [S.l.]: Cambridge University Press. p. 85. ISBN 978-0-521-81539-0 
  4. Златарски, Васил (1970). Петър Хр. Петров, ed. История на българската държава през средните векове (em Bulgarian). София: Наука и изкуство. p. 270. OCLC 405296440 
  5. Louth, Andrew (2007). Greek East and Latin West: the church, AD 681-1071. [S.l.]: St Vladimir's Seminary Pres. p. 63. ISBN 978-0-88141-320-5 
  6. Haldon, John F. (2002). Byzantium at war: AD 600-1453. [S.l.]: Osprey Publishing. p. 20. ISBN 978-1-84176-360-6 
  7. Златарски, pp. 316–317.
  8. Златарски, pp. 330–331.
  9. Comnena, Anna. «Book VII: War with the Scyths (1087-90)». In: Elizabeth A. Dawes. The Alexiad of Anna Comnena. [S.l.]: Medieval Sourcebook 
  10. a b c Curta, Florin; Roman Kovalev (2008). The other Europe in the Middle Ages: Avars, Bulgars, Khazars, and Cumans. [S.l.]: BRILL. p. 198. ISBN 978-90-04-16389-8 
  11. Bury, J. B. (2008). History of the Eastern Empire from the Fall of Irene to the Accession of Basil: A.D. 802-867, Parts 802-867. [S.l.]: Cosimo, Inc. p. 339. ISBN 978-1-60520-421-5 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Markeli