Abrir menu principal

Francisco Alves Machado

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2015). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Francisco Alves Machado
Nascimento 8 de dezembro de 1853
Vila Real
Morte 1918 (65 anos)
Cidadania Portugal
Ocupação empresário
Prêmios Comendador da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa
Título Conde de Agarez

Francisco Alves Machado ComNSC (Vila Real, Vila Marim, Agarez, 8 de Dezembro de 1853 – 1918), 1.º Visconde de Agarez e 1.º Conde de Agarez, foi um empresário e filantropo português.

FamíliaEditar

Filho primogénito de José Maria Vaz Guedes (Vila Real, Vila Marim, 26 de Março de 1814 - Rio de Janeiro, 26 de Novembro de 1911) e de sua mulher de nacionalidade Brasileira,nascida a 3 de Julho de 1851 Maria da Glória Machado.

Família residente em Portugal Agarez Vila Marim- com irmãs adoradas- Emília Alves Machado , Antónia Alves Machado , Leopoldina Alves Machado , Maria Adelaide Alves Machado , Ana Alves Machado, e também o seu irmão Manuel Guedes Alves Machado

Casou no Rio de Janeiro a 16 de Abril de 1906 com Mercedes do Carmo Alvares Penna, filha de Carlos José Álvares da Silva Penna e de Mercedes do Carmo Francisca.

BiografiaEditar

Brasileiro de torna-viagem, natural de Trás-os-Montes e Alto Douro, donde emigrou para o Brasil, tendo granjeado grande fortuna, ajudando a família em Portugal. Foi grande protector das obras de beneficência e assistência aos Portugueses no Brasil. Teve a Comenda da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa e foi agraciado, em sua vida, com o título de 1.º Visconde de Agarez por Decreto de data desconhecida de 1908 de D. Manuel II de Portugal, depois elevado à Grandeza com o título, também em sua vida, de 1.º Conde de Agarez, por Decreto de 5 de Setembro de 1908 de D. Manuel II de Portugal, pelos serviços prestados a Portugal.[1]

Em 1918 foi dado como desaparecido, após o envio de uma última carta à família, informando do seu regresso a Portugal, dados que permitiram concluir que o Conde foi assassinado na viagem de regresso. De acordo com outras fontes, todavia, morreu de morte natural em sua casa e está sepultado no Cemitério de São João Batista, no Brasil.-

Na verdade faleceu de "arterio esclerose generalizada" no Rio de Janeiro, na casa número 160 da Ladeira da Glória às 8 horas da manhã de 26 de Novembro de 1911, no estado de viúvo de Mercedes do Carmo Alvares da Silva Penna Machado (condessa de Agarez por casamento)

Referências

  1. "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Segundo, p. 208
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.