Abrir menu principal
Francisco Solano Constâncio
Nascimento 24 de julho de 1777
Lisboa
Morte 21 de dezembro de 1846 (69 anos)
Paris
Cidadania Portugal
Progenitores Mãe:Joana Rita Evangelista
Pai:Manoel Constâncio
Irmão(s) Pedro José Constâncio
Ocupação jornalista, médico, diplomata, publicitário, escritor, tradutor

Francisco Solano Constâncio (Lisboa, 24 de Julho de 1777Paris, 21 de Dezembro de 1846), mais conhecido por Solano Constâncio, foi um médico, diplomata, publicista e jornalista português, que se destacou na publicação de importantes textos dos liberais portugueses exilados em Paris no período que antecedeu a Guerra Civil Portuguesa.[1]

BiografiaEditar

Nasceu em Lisboa, filho de Manoel Constâncio, um reputado cirurgião ao serviço da Casa Real. Estudou Medicina na Inglaterra e na Escócia, onde se diplomou em 1797.

Dedicou-se ao jornalismo a partir de 1796, sendo um dos seus pioneiros em Portugal. Destacou-se como um dos principais intelectuais cosmopolitas e liberais do pré-romantismo em Portugal.

Após um breve período em Nova Iorque, fixou residência em Paris, onde casou. Naquela cidade dirigiu os Anais das Ciências, das Artes e das Letras (1812-1822), periódico onde foram publicados muitos textos de liberais portugueses exilados naquela cidade após a Setembrizada e a perseguição política anti-liberal que se lhe seguiu. Após a Revolução do Porto foi nomeado agente diplomático de Portugal em Paris no ano de 1820.

Foi ministro plenipotenciário em Washington, D.C., cargo do qual se demitiu em 1829, fixando-se em Paris.

Foi autor de uma obra intitulada O Observador Lusitano em Paris (1815). Publicou as monografias Précis de la Révolution française de 1789 à 1830 e Nouvelle grammaire portugaise à l'usage des Français (1832), Participou na tradução para a língua francesa de diversas obras de economia política entre as mais importantes que apareceram naquela época, com destaque para os trabalhos de David Ricardo (Des principes de l'économie politique et de l'impôt), Thomas Malthus e William Godwin.

Há uma edição do "Novo Mestre Inglez ou Grammatica da Língua Ingleza para Uso dos Portugueses, ensinada em vinte e cinco lições" impressa em Paris em 1851 na Casa de J. P. Aillaud. É uma edição revista, corrigida e aumentada por Francisco Solano Constâncio.[2]

Notas