Abrir menu principal

Franz-Peter Tebartz-van Elst

professor académico alemão
Franz-Peter Tebartz-van Elst
Bispo da Igreja Católica
Bispo-emérito de Limburgo
Bispo Tebartz-van Elst, em 2012
Hierarquia
Papa Francisco
Arcebispo metropolita Dom Rainer Maria Cardeal Woelki
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Limburgo
Nomeação 28 de novembro de 2007
Entrada solene 20 de janeiro de 2008
Predecessor Franz Kamphaus
Sucessor Georg Bätzing
Mandato 2007 - 2014
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 26 de maio de 1985
Nomeação episcopal 14 de novembro de 2003
Ordenação episcopal 18 de janeiro de 2004
por Dom Reinhard Lettmann
Lema episcopal In Christo Baptizati, Christum Induistis
Brasão episcopal
Coat of arms of Franz-Peter Tebartz-van Elst.svg
Dados pessoais
Nascimento Alemanha Kevelaer-Twisteden
20 de novembro de 1959 (59 anos)
Nacionalidade alemão
Títulos anteriores - Bispo-auxiliar de Münster (2003-2007)
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Franz-Peter Tebartz-van Elst (Kevelaer-Twisteden, 20 de novembro de 1959) é um bispo católico alemão. Ele era vigário, capelão, teólogo pastoral e bispo auxiliar de Münster e bispo de Limburgo entre 2008 e 2014.

Tebartz-van Elst se tornou bispo, em janeiro de 2008, da diocese de Limburgo. A 23 outubro de 2013, ele foi suspenso temporariamente do exercício do seu ministério episcopal pelo Vaticano,[1] após ficar conhecido pelos gastos excessivos na construção de um “centro diocesano ” com sua casa.[2] O conselho de administração do episcopado acusou o bispo de fazer caros pedidos especiais, como uma banheira de luxo de 20 mil euros, uma mesa de conferência de 35 mil euros, armários pessoais embutidos para 500 mil euros. Dos 5,5 milhões euros inicialmente orçado, apenas 600,000 para 800,000 euros tinham sidos formalmente aprovados.[3]O bispo tentou, durante bastante tempo, esconder os custos reais. As obras deveriam custar 6 milhões, depois 9,31 milhões e finalmente custaram 41 milhões de euros.[4][5][6][7][8]

Em seguida, passou o bispo Tebartz-van Elst um tempo num mosteiro da Baviera. Em 26 de março 2014 o Papa Francisco acatou renúncia de Tebartz-van Elst.[9] O Vaticano acrescentou que a investigação sobre a reforma chegou à conclusão de que Tebartz-van Elst não poderia mais exercer o sacerdócio em Limburgo e que Papa Francisco havia aceitado o seu pedido de renúncia, oferecido originalmente em 20 de outubro 2013.[10]

Durante seu mandato, Tebartz-van Elst vinha sendo duramente questionado por alguns padres pela forma considerada autoritária de liderar a diocese e foi alvo de crítica da imprensa e de fiéis pelos custos milionários de renovação da sua residência episcopal. Além disso, ele foi motivo de investigações pela promotoria pública de Hamburgo, que o acusou de perjúrio por mentir sob juramento sobre uma viagem de avião para visitar comunidades carentes na Índia, a qual teria feito na primeira classe. O processo foi arquivado mediante pagamento de uma multa de 27 mil euros. Segundo a procuradoria, o religioso reconheceu ter mentido.

ReferênciasEditar

  1. Vaticano determina afastamento temporário de "bispo do luxo" Deutsche Welle Online, 23 de outubro 2013
  2. Papa suspende "bispo do luxo" alemão, DN Online 26 de março 2014
  3. „Der Bischof ist ein raffinierter Betrüger oder krank“ Frankfurter Allgemeine Zeitung
  4. Pope Francis Takes on the Bishop of Bling
  5. «German bishop faces grilling over lavish lifestyle». Asia One. AsiaOne.Com. Consultado em 14 de outubro de 2013 
  6. «Bishop under fire for luxury residence». ABS-CBN. abs-cbnnews.Com. Consultado em 14 de outubro de 2013 
  7. «German bishop could face Vatican inquisition on lavish spending». The Daily Telegraph. Consultado em 14 de outubro de 2013 
  8. «CNN VIDEO-Germany: bling bishop». CNN. Consultado em 19 de outubro de 2013 
  9. Papa aceita demissão do "bispo do luxo"], Deutsche Welle Online, 26 de março 2014
  10. substitui bispo alemão após gastos com residência A Cidade Online, 26 de março 2014