Abrir menu principal

Frei Inocêncio

município brasileiro do estado de Minas Gerais

Frei Inocêncio é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2004 era de 8.654 habitantes. Frei Inocêncio é internacionalmente conhecido por seu famoso "Festival da carne de Sol"

Município de Frei Inocêncio
Vista parcial da Igreja Matriz de Nossa Senhora Aparecida

Vista parcial da Igreja Matriz de Nossa Senhora Aparecida
Bandeira de Frei Inocêncio
Brasão de Frei Inocêncio
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 30 de dezembro de 1962
Gentílico frei inocenciano
Padroeiro(a) Nossa Senhora Aparecida[1]
CEP 35112-000 a 35112-999[2]
Prefeito(a) Dr. José Geraldo de Mattos Bicalho (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Frei Inocêncio
Localização de Frei Inocêncio em Minas Gerais
Frei Inocêncio está localizado em: Brasil
Frei Inocêncio
Localização de Frei Inocêncio no Brasil
18° 32' 42" S 41° 55' 19" O18° 32' 42" S 41° 55' 19" O
Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Vale do Rio Doce IBGE/2008 [3]
Microrregião Governador Valadares IBGE/2008 [3]
Municípios limítrofes Jampruca, Itambacuri,Campanário, Marilac, Mathias Lobato e Governador Valadares
Distância até a capital 355 km
Características geográficas
Área 468,196 km² [4]
População 9 543 hab. Censo IBGE/2016[5]
Densidade 20,38 hab./km²
Altitude 193 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,703 alto PNUD/2000 [6]
PIB R$ 50 689,968 mil IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 5 482,37 IBGE/2008[7]
Página oficial
Prefeitura www.freiinocencio.mg.gov.br
Câmara www.freiinocencio.cam.mg.gov.br

Índice

HistóriaEditar

FundaçãoEditar

Criado pela lei nº 1.039, de 12 de dezembro de 1953, surgiu o distrito de Frei Inocêncio. No princípio, fazia parte do município de Itambacuri, com apenas o pequeno povoado chamado Fazenda Suassuí. Foi o Dr. João de Souza Lima, juntamente com o prefeito de Itambacuri, Sr. Lauro Lopes da Silva, que alcançaram do Estado que o povoado se chamasse Frei Inocêncio.

Mais tarde, pela lei nº 2.764, de 30 de dezembro de 1962, deu-se a emancipação. O até então distrito foi elevado à categoria de município, desvinculando-se do de Itambacuri

No dia 2 de março de 1963 o Município foi instalado. Comemora-se, nessa data, o Aniversário da Cidade.

Nome do MunicípioEditar

Na ponte Suassuí, em Frei Inocêncio, o então frei de nome Inocêncio vindo a cavalo de Bonito, celebrou a primeira Missa no dia 13 de maio de 1945. Na ocasião, fez 30 batizados e 4 casamentos, como também muitas confissões e comunhões. A ponte era o limite também da diocese, naquela época, de Araçuaí com a de Governador Valadares. Como foi dito acima, o Dr. João de Souza Lima e o Prefeito de Itambacuri, Sr. Lauro Lopes da Silva, conseguiram junto aos representantes do Estado que o povoado se chamasse Frei Inocêncio.

PrefeitosEditar

A instalação do Município de Frei Inocêncio deu-se oficialmente no dia 2 de março de 1963. Como não havia ainda prefeito eleito, assumiu a administração municipal, por ato do Governador do Estado, o Sr. Sílvio Alves Martins, na condição de interventor. Exerceu suas funções durante os seis meses seguintes, ou seja, até o dia 1 de setembro de 1963. A eleição municipal realizada nesse período deu como eleito o Sr. Ananias Ferreira Dias, comerciante varejista e atacadista. Natural de Senhor do Bonfim (BA). Foi o primeiro a assumir o cargo de Prefeito Municipal de Frei Inocêncio e, portanto, o primeiro a gerir os destinos políticos deste Município. Pouco antes, nas eleições de 1962, quando ainda o distrito de Frei Inocêncio fazia parte do de Itambacuri, havia sido ele eleito vereador, compondo a Câmara Municipal de Itambacuri, até eleger-se prefeito do novo município de Frei Inocêncio. Eis a relação completa dos prefeitos que exerceram mandatos.

00 - Silvio Alves Martins - Interventor.

01 - Ananias Ferreira Dias (1963 - 1966) / Vice-prefeito: Geraldo José de Magalhães.

02 - Pedro Lima de Almeida (1967 - 1970) / Vice-prefeito: Segismundo Brasileiro Passos.

03 - Segismundo Brasileiro Passos (1971 - 1972) / Vice-prefeito: Abel Passos Lima

04 - Pedro Lima de Almeida (segundo mandato) (1973 - 1976) / Vice-prefeito: Genaro Freitas de Araújo.

05 - José Pedro da Silva (1977 - 1982) - O Cabralinho, que faleceu num acidente automobilístico, em pleno exercício do mandato. O Vice-prefeito: João Moreira Antunes assumiu em setembro de 1982 e concluiu o mandato.

06 - Lourival Lourenço Ferreira (1983 - 1988) / Vice-prefeito: Artur Cirino da Conceição.

07 - José Geraldo de Mattos Bicalho (1989 - 1992) / Vice-prefeito: Sinval Dias de Araújo.

08 - Barôncio Bezerra Cabral (1993 - 1996) / Vice-prefeito: Nenito Alves Rocha.

09 - José Eduardo Vieira (1997 - 2000) / Vice-prefeito:José Sudário dos Santos.

10 - Barôncio Bezerra Cabral (segundo mandato) (2001 - 2004 ) / Vice-prefeito: José Sudário dos Santos.

11 - Oliver Madeira Bicalho (2005 - 2008) / Vice-prefeito Geraldo Nogueira de Almeida.

12 - Carlos Vinício de Carvalho Soares (2009 - 2012 ) / Vice-prefeito: Geraldo Nogueira de Almeida.

13 - Carlos Vinício de Carvalho Soares (2013 - 2016 ) / Vice-prefeito: Erotides Araújo de Oliveira Filho - Cassados pela quarta vez em definitivo pelo TSE em 3 de novembro de 2015, assumindo o cargo: José Geraldo de Mattos Bicalho (segundo mandato) e Valdivino Soares Campos.

14 - José Geraldo de Mattos Bicalho (terceiro mandato) (2017 - 2020) / Vice: Valdivino Soares Campos.

BairrosEditar

Carinhosamente apelidado "Frei" por seus moradores, situa-se à margem do rio Suaçuí Grande, e é beneficiado com a Rodovia BR 116 facilitando a sua integração com Governador Valadares, a apenas 35 quilômetros de distância. Uma linha de ônibus circular liga as duas cidades, assim como vários táxis (em sua maioria informais).

A cidade é divida em 8 bairros: Centro, Baixada, Guarita, Gameleira, Pantanal 1, Pantanal 2, Bairro das Nações e Planalto.

CentroEditar

O centro econômico da cidade, propriamente dito, onde se concentra a maioria do comércio local, dos poderes públicos e a Av. Dr. João de Souza Lima, paralela a BR-116.

Já foi palco do "Festival da Carne de Sol" em outras épocas, onde havia festas, brinquedos e jogos esportivos.

BaixadaEditar

É o bairro que dá acesso ao Rio Suassuí Grande e ao Distrito de Bom Jesus do Prata. É o palco de umas das festas mais tradicionais da cidade, a "Feira da Amizade", onde os moradores locais, colocam suas barraquinhas. Na Baixada também se encontra o Campo da Baixada, que é um local onde disputam vários torneios, com os times das comunidades rurais e outros.

GuaritaEditar

Guarita é um quieto bairro de Frei Inocêncio e o ponto extremo da cidade e juntamente com o centro constitui-se nos dois melhores bairros para se morar na cidade além de separar Frei Inocêncio com a cidade de Mathias Lobato.

Pantanal 1Editar

Doado pelo ex-prefeito Dr. José Geraldo de Mattos Bicalho, é um bairro um pouco antigo, com várias casas e vários moradores. Alcançou recente notoriedade na mídia local pela liberação de um novo loteamento pela doação do mesmo prefeito, porém em outra mandato, diga-se de passagem doado a poucos dias antes do término de seu mandado. Que optou por fazê-lo por ser ali o local mais propício para construção de moradias.

Pantanal 2Editar

Considerado por muitos como uma extensão do bairro Pantanal 1, também conta com igrejas, hospital, bares, etc... e a Escolinha do Picapau. Em Pantanal 2 se encontra o Campo do Pantanal, que agora conta com uma Praça muito bem feita pelo então prefeito Dr. Geraldo Bicalho. Também doado pelo ex-prefeito Dr. José Geraldo de Mattos Bicalho.

Bairro das NaçõesEditar

Doado pelo ex-prefeito José Eduardo, foi loteado proporcionando aos diversos beneficiários uma moradia digna, é um bairro em pleno crescimento que fornece ainda um comercio de qualidade aos seus clientes.

Bairro GameleiraEditar

Bairro na saída para os distritos de Tabocal e Brasilândia, um bairro relativamente novo, onde se situa a subestação da CEMIG. Doado pelo ex-prefeito Oliver Madeira Bicalho

Bairro PlanaltoEditar

Bairro na parte alta da cidade, com vista panorâmica das montanhas de cercam a cidade, doado a população pelo ex-prefeito Oliver Madeira Bicalho.

Referências

  1. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 10. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  2. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  3. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  5. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ligações externasEditar