Abrir menu principal
Friedrich Waismann
Nascimento 21 de março de 1896
Viena
Morte 4 de novembro de 1959 (63 anos)
Oxford
Residência Reino Unido
Cidadania Áustria
Alma mater Universidade de Viena
Ocupação filósofo, físico, matemático, professor universitário
Prêmios Membro da Academia Britânica
Empregador Universidade de Oxford

Friedrich Waismann (21 de Março de 18964 de Novembro de 1959) foi um filósofo, físico e matemático austríaco. É melhor conhecido como membro do Círculo de Viena e assistente de Moritz Schlick.

Filosofia da Linguagem e Positivismo LógicoEditar

Próximo de Wittgenstein, chegou a ser considerado um representante da Filosofia da Linguagem. Sendo um filósofo conotado com o Positivismo Lógico, mais tarde manifestou-se contra as versões fenomenalistas do Positivismo Lógico com a introdução de um novo argumento suportado pelo conceito de “textura aberta”. As afirmações acerca dos objectos materiais nunca podiam ser idênticas a um conjunto de afirmações acerca de dados sensoriais, pois o objecto pode surpreender-nos ao exibir uma nova característica inesperada, da qual não se havia experimentado antes.[1]

Os seus últimos trabalhos são conhecidos pela defesa do convencionalismo na lógica e na matemática. o convencionalismo é uma teoria que concede o primado às decisões ou à livre escolha entre alternativas igualmente possíveis, visando mostrar que o que parece ser objectivo ou determinado pela natureza é na verdade um artefacto resultante de convenções humanas semelhantes às convenções da etiqueta, da gramática ou do direito.[2]

Relações com WittgensteinEditar

Intermitentemente, de 1927 a 1936, Friedrich Waismann teve longas conversações com Ludwig Wittgenstein acerca de tópicos na área da filosofia da matemática e filosofia da linguagem.[3]

Exílio no Reino UnidoEditar

Com a ascensão do Nazismo na Alemanha e na Áustria, a maior parte dos membros do Círculo de Viena fugiram para outros países. Friedrich Waismann exilou-se no Reino Unido em 1937. Primeiro e por um breve período ensinou em Cambridge, e a partir de 1939 ensinou filosofia da matemática na Universidade de Oxford até à sua morte.

PublicaçõesEditar

Alguns dos seus contributos mais importantes são: Einführung in das mathematische Denken (1936) e The Principles of Linguistic Philosophy (1965).

Referências

  1. Mautner, T. The Penguin Dictionary of Philosophy. Penguin Books Ltd, 1997. Ed. Portuguesa – Edições 70, 2010.
  2. Blackburn, S. The Oxford Dictionary of Philosophy. Oxford University Press, 1994. Ed. Portuguesa – Gradiva, 1997.
  3. Edmonds, D; Eidinow, J. Wittgenstein’s Poker – The story of a ten-minute argument between two great philosophers. Deutsche Verlags – Anstalt GMbh, Stuttgart Munich, 2001. Ed. Portuguesa – o Atiçador de Wittgenstein – A história de uma discussão de dez minutos entre dois grandes filósofos, Temas e Debates, 2003.

Ligações externasEditar