Frits Zernike

Frits Zernike (Amesterdão, 16 de julho de 1888Amersfoort, 10 de março de 1966) foi um físico neerlandês.

Frits Zernike Medalha Nobel
Polinômios de Zernike
Nascimento 16 de julho de 1888
Amesterdão
Morte 10 de março de 1966 (77 anos)
Amersfoort
Nacionalidade Neerlandês
Cidadania Reino dos Países Baixos
Irmão(s) Anne Zernike, Elisabeth Zernike
Alma mater Universidade de Amsterdã
Ocupação físico, matemático, inventor, professor universitário, químico
Prêmios Medalha Rumford (1952), Nobel prize medal.svg Nobel de Física (1953)
Empregador Universidade de Groningen, Universidade de Groningen
Orientado(s) Christoffel Bouwkamp, Herman de Boer, Bernard Nijboer
Instituições Universidade de Groningen
Campo(s) Física

Recebeu o Nobel de Física de 1953, pela demonstração do método de contraste de fase e, em especial, pela invenção do microscópio de contraste de fase.

Carreira acadêmicaEditar

Em 1912, ele foi premiado com seu trabalho sobre opalescência em gases. Em 1913, ele se tornou assistente de Jacobus Kapteyn no laboratório astronômico da Universidade de Groningen. Em 1914, Zernike e Leonard Ornstein foram co-responsáveis ​​pela derivação da equação de Ornstein-Zernike na teoria do ponto crítico. Em 1915, obteve uma posição em física teórica na mesma universidade e em 1920 foi promovido a professor catedrático de física teórica.

Ele também fez outra contribuição no campo da ótica, relacionada à descrição eficiente dos defeitos de imagem ou aberrações de sistemas de imagem ótica como microscópios e telescópios. A representação das aberrações foi originalmente baseada na teoria desenvolvida por Ludwig Seidel em meados do século XIX. A representação de Seidel era baseada em expansões de séries de potência e não permitia uma separação clara entre vários tipos e ordens de aberrações. Os polinômios do círculo ortogonal de Zernike forneceram uma solução para o problema de longa data do "equilíbrio" ideal das várias aberrações de um instrumento óptico. Desde 1960, os polinômios de círculo de Zernike são amplamente usados ​​em design óptico, metrologia óptica e análise de imagens.

O trabalho de Zernike ajudou a despertar o interesse pela teoria da coerência, o estudo de fontes de luz parcialmente coerentes. Em 1938, ele publicou uma derivação mais simples do teorema de Van Cittert de 1934 sobre a coerência da radiação de fontes distantes, agora conhecido como teorema de Van Cittert-Zernike.[1][2]

ReferênciasEditar

  1. Van Cittert, P. H. (1934). «Die Wahrscheinliche Schwingungsverteilung in Einer von Einer Lichtquelle Direkt Oder Mittels Einer Linse Beleuchteten Ebene». Physica. 1 (1–6): 201–210. Bibcode:1934Phy.....1..201V. doi:10.1016/S0031-8914(34)90026-4 
  2. Zernike, F. (1938). «The concept of degree of coherence and its application to optical problems». Physica. 5 (8): 785–795. Bibcode:1938Phy.....5..785Z. doi:10.1016/S0031-8914(38)80203-2 

Ligações externasEditar


Precedido por
Frank Whittle
Medalha Rumford
1952
Sucedido por
Cecil Reginald Burch
Precedido por
Felix Bloch e Edward Mills Purcell
Nobel de Física
1953
Sucedido por
Max Born e Walther Bothe


  Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.