Abrir menu principal
Furacão Able
Categoria 3 (EFSS)
Análise climatológica superficial do Furacão Able.
Formação 15 de maio de 1951
Dissipação 23 de maio de 1951
Vento mais forte (1 min) 185 nós (343 km/h, 213 mph)
Pressão mais baixa 980 hPa (mbar) ou 735 mmHg
Danos Desconhecidos
Fatalidades Nenhum
Áreas afetadas Florida, Bahamas, Carolina do Norte
Parte da
Lista de temporadas de furacões no Atlântico

O Furacão Able foi a primeira tempestade tropical da temporada de furacões no Atlântico em 1951, sendo desenvolvido a partir de uma depressão formada em 15 de maio, a aproximadamente 480 quilômetros ao sul das Bermudas. Inicialmente classificado como um ciclone subtropical, Able adquiriu características tropicais ao mover-se sobre as águas quentes da Corrente do Golfo, e alcançou o status de furacão na costa da Flórida, em 17 de maio deste mesmo ano. Deslocou-se para o sudeste e logo após passou novamente pelo leste das Bahamas, antes de tomar rumo ao norte. No dia 22 de maio, Able atingiu o auge de sua atividade, com ventos máximos variando de 115 km/h a 185 km/h, adentrando então a região do Cabo Hatteras, na Carolina do Norte. O furacão enfraqueceu-se ao virar a leste, tornando-se um ciclone extratropical em 23 de maio.

Able teve efeitos pouco consideráveis no continente. Na Flórida, provocou chuvas com pouca intensidade, enquanto que nas Bahamas, produziu ventos de 152 km/h. Da Carolina do Norte até Nova Inglaterra, o furacão produziu marés superiores comuns. Nenhum óbito foi registrado.

História meteorológicaEditar

Uma depressão ativa deixou a costa leste dos Estados Unidos em 12 de maio, e no dia seguinte, passou próxima às Bermudas. Inicialmente, a depressão estava localizada perto da superfície, depois, avançou a leste seguida de um vento frio, estendendo-se até os níveis médio e superior da atmosfera. Em 14 de maio, uma área fechada de baixa pressão foi desenvolvida separadamente aos ventos do oeste. O ar frio continuou atrás da depressão, com uma temperatura de 7 ºC, sendo esta mais fria do que as habituais nesta altura do ano. A depressão prolongou-se através de uma área baixa, em conjunto com os ventos quentes advindos do nível superior e as temperaturas da superfície do mar quente, resultando em grandes regiões de instabilidade. A depressão polar enfraqueceu-se gradualmente forçada por ventos baixos, e em 15 de maio, tornou-se uma depressão subtropical, enquanto se encontrava a uma distância de 480 km ao sul das Bermudas.[1]

Localizada sob uma tempestade de nível superior, a depressão, inicialmente, levou caminho dinâmico para o oeste e em 16 de maio, deslocou para o oeste-sudoeste, assim como a tempestade de nível superior seguiu direção ao sudoeste. Mais tarde, naquele mesmo dia, a depressão mudou-se para águas quentes da Corrente do Golfo. Fortes divergências na tempestade de nível superior e um sistema de alta pressão a nordeste proporcionaram condições favoráveis para o surgimento de um ciclone tropical,[1] sendo que nessa mesma tarde, a depressão registrou ventos de 65 km/h.[2] O temporal continuou a se intensificar dirigindo para sudoeste, e na manhã do dia 17 de maio, um navio perto do centro do furacão, informou que os ventos estavam cerca de 90 km/h e as ondas atingiam 9 m, se encontrando a aproximadamente 200 milhas de Daytona Beach, na Flórida, indicando que o sistema havia se transformado em uma tempestade tropical. O esquadrão de reconhecimento da Marinha dos EUA voou em direção ao sistema naquele dia, e informou sobre uma tempestade com força igual a de um furacão, que estava movendo-se para o sul.[3]

 
Trajetória da tempestade.

Ao receber o nome Able, o pequeno furacão seguiu a sudeste, enquanto passava próximo às margens das Bahamas. Posteriormente, girou para o nordeste e logo depois, novamente para o norte até formar um redemoinho ciclônico em 20 de maio. O furacão continuou intensificando-se com um olho de 32 km de diâmetro, e em 21 de maio, um barco de reconhecimento estimou que o furacão obteve ventos máximos de 185 km/h. Pouco depois, Able passou a 110 km/h de Cabo Hatteras, Carolina do Norte, e na manhã do dia 22, enfraqueceu ao virar para o leste. Em 23 de maio, baixou sua intensidade quando passava por águas frias, e à noite, se tornou um ciclone extratropical, localizado a 840 km ao sul de Halifax, Nova Escócia. Os remanescentes extra tropicais dirigiram-se para o nordeste antes de dissipar sua identidade na tarde de 24 de maio.[3]

Impactos e marcasEditar

Avisos de tempestade ciclônica foram emitidos de Savannah, Georgia para Fort Pierce, Flórida, logo após a descoberta do furacão.[4] A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional informou a todas pequenas embarcações da região para permanecerem no porto[5] e recomendou que os moradores do norte das Bahamas tomassem precauções imediatas.[6] Em Grand Bahama, a ameaça do furacão fez com que uma equipe de construção evacuasse terra adentro. A equipe estava realizando a construção de um posto de observação para guiar mísseis de alcance desde o Cabo Canaveral. Pescadores em dezenas de barcos deixaram o mar aberto para sua própria segurança e dirigiram-se para duas ilhas das Bahamas, enquanto dois aviões rodeavam o furacão.[7][8] Avisos para pequenas embarcações e advertências de tempestade foram emitidos da Carolina do Norte até a Nova Inglaterra.[9] A banda externa de Able produziu pequenas precipitações e marés altas ao longo da costa da Flórida.[10][8] Quando se movia lentamente perto das Bahamas, o furacão gerou ventos moderados entre 145 a 152 km/h em Walker Cay, e com força mínima na Grand Bahama e nas Ilhas Ábaco.[3][11] Able produziu ondas altas em Wilmington, na Carolina do Norte e marés anormalmente elevadas pela Nova Inglaterra, mas nenhum dano foi relatado.[9]

Able é um dos quatro furacões que ocorreram no mês de maio; os outros foram registrados em 1989, 1908 e 1970. Quando a tempestade ganhou status de furacão em 21 de maio, tornou-se o maior furacão ocorrido no início da história de furacões no Atlântico. Além disso, Able teve a maior energia ciclônica acumulada que qualquer outro ciclone tropical fora da temporada, com um valor de 17,23.[12]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Paul Moore and Walter Davis (1951). Weather Bureau Office, ed. «A Preseason Hurricane of Subtropical Origin» (PDF) (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2013 
  2. Hurricane Research Division (2007). NOAA, ed. «Atlantic Hurricane Best Track (1851-2006)» 🔗 (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2013 
  3. a b c Grady Norton (1952). Weather Bureau Office, ed. «Hurricanes of 1951» (PDF) (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2013 
  4. Associated Press (17 de maio de 1951). «Storm Tracks by Name: Hurricane Able, 1951» (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2013 
  5. Storm Lifecycle (17 de maio de 1951). «Hurricane Able, 1951» (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2013 [ligação inativa]
  6. Associated Press (18 de maio de 1951). «Abaco Island Bahamas history with tropical systems» (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2013 
  7. Associated Press (18 de maio de 1951). «Cape Hatteras,North carolina's history with tropical systems» (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2013 
  8. a b 1951 Atlantic Hurricane Season (em inglês) Books Llc ed. [S.l.]: General Books LLC. 2010. 36 páginas. ISBN 1156266440. Consultado em 03 de junho de 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  9. a b Associated Press (21 de maio de 1951). «Hurricane Able - August 19-21, 1950» (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2013 
  10. United Press (18 de maio de 1951). «Bermuda's History 1900 to 1951» (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2013. Arquivado do original em 13 de maio de 2013 
  11. United Press (18 de maio de 1951). «Grand Bahama Island's history with tropical systems» (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2013 
  12. NHC Hurricane Research Division (17 de fevereiro de 2006). Wunderground, ed. «Major Hurricane Able» (em inglês). Consultado em 02 de junho de [2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)