Abrir menu principal

Club de Gimnasia y Esgrima (Buenos Aires)

(Redirecionado de Gimnasia y Esgrima de Buenos Aires)

O Club de Gimnasia y Esgrima (também conhecido pelo acrônimo G.E.B.A.) é um clube multi-desportivo da Argentina, da cidade de Buenos Aires. É uma das mais antigas instituições do país, fundada em 1880.[1] O Gimnasya y Esgrima é igualmente um dos maiores clubes do país, com cerca de 30 modalidades diferentes sediados nos três edifícios que a instituição possui em Buenos Aires.

G.E.B.A.
Nome Club de Gimnasia y Esgrima de Buenos Aires
Fundação 11 de novembro de 1880 (138 anos)
Estádio Estádio G.E.B.A.
Capacidade 18.000
Localização Buenos Aires, Argentina
Website portaldegeba.com

Índice

HistóriaEditar

A instituição foi fundada como Club Cosmopolita de Gimnasia y Esgrima em 11 de Novembro de 1880, pelos entusiastas de Esgrima e Ginástica na "Confitería del Aguila", um café tradicional de Buenos Aires. Léon Marchand foi designado como presidente do clube.

Três anos mais tarde, em 1883, o clube mudou para o seu atual nome, Club de Gimnasia y Esgrima. Em 1909, Ricardo Camilo Aldao tornou-se presidente da instituição.[1]

 
Equipa de futebol do GEBA em 1906.

A equipa de futebol participou nos campeonatos da Primera División durante a era do futebol amador. Depois de ganhar a segunda divisão em 1909,[2] o Gimnasia y Esgrima foi promovido ao principal escalão, onde permaneceu entre 1910 e 1917, ano em que foi despromovida ao ser 20º entre 21 equipas.[3] O clube cessou a filiação à Associação pouco depois, embora tenha continuado a praticar futebol até aos dias de hoje.

Em 1912, o Gimnasia y Esgrima fez parte da primeira quebra no futebol argentino, devido a um conflito causado pela posição do clube sobre as vendas de bilhetes para os jogos de futebol. O Gimnasia estabeleceu que os seus membros não deveriam pagar pelos bilhetes devido à sua filiação, o que lhes permitia participar em todas as atividades, incluindo acesso livre ao estádio. O clube também exigiu uma maior percentagem das receitas das vendas de ingressos. O conflito persistiu até ao Gimnasia decidir cessar a sua filiação com a Associação, a 14 de Julho de 1912, estabelecendo uma nova liga, a Federación Argentina de Fútbol, presidida pelo próprio Ricardo Aldao.

Outros clubes seguiram o Gimnasia y Esgrima, como o Porteño, o Estudiantes de La Plata, o Independiente, e outras equipas da segunda divisão. A nova liga organizou os seus próprios campeonatos entre 1912 e 1915, antes de ambas se unirem para originarem a Asociación Argentina de Football, terminando o conflito.[4]

 
Esgrimistas do clube em 1912.
 
Equipa de rugby union em 1964.

O estádio do clube, com capacidade para 18.000 espectadores, foi a casa onde a seleção nacional de futebol jogou os seus duelos caseiros desde 1910, estreando-se durante o Torneo Centenario de la Revolución, lá realizado. No último jogo do torneio defrontou o Uruguai, e aconteceu uma revolta depois de anunciada a suspensão do jogo. Parte das bancadas ficou destruída pelo fogo. Depois da reconstrução da infraestrutura realizaram-se diversos jogos de futebol, mesmo depois do Gimnasia terminar a filiação à Associação.[4]

Depois de deixar os campeonatos oficiais de futebol na década 1910, o rugby union foi um dos mais relevantes desportos do Gimnasia y Esgrima, que venceu o Torneio de URBA de 1911 e 1912. O clube viria a conquistar mais dois títulos, em 1932 e 1939, no seu último título até hoje.[5] O G.E.B.A. joga atualmente no primeiro escalão da liga de rugby union argentina.[6]

Em 1942, o presidente Aldao mudou-se para o apartamento de convidados do clube, tornando-o em casa permanente. A única condição requerida por Adao para aqui morar seria pagar mensalmente um aluguer que seria de seis por cento dos investimentos feitos pelo clube quando o apartamento foi construído. Em 1947, depois de 40 anos na presidência da instituição, Adao resignou ao cargo, com receio de uma possível intervenção do governo militar da Argentina no clube.[1]

O Gimnasia obtece uma boa reputação no hóquei em campo feminino, devido às suas boas prestações na década de 2000: ganhou o Torneio Metropolitano por sete vezes, com seis do títulos consecutivos até 2012.[7][8]

Em Setembro de 2014, ta equipa sénior de rugby union voltou à primeira divisão após superar o Manuel Belgrano por 23-16 nos playoffs da Zona Reubicación.[6]

InstalaçõesEditar

O clube tem três infraestruturas para praticar diversos desportos. Todas são na cidade de Buenos Aires.

  • San Martín: É o maior edifício, com uma área de 139.000 metros quadrados na avenida Figueroa Alcorta. Praticam-se aqui desportos como futebol, patinagem em linha, rugby union, ténis de mesa e voleibol. Será igualmente sede do hóquei em campo nas Olimpíadas da Juventude de 2018.[11]

Atletas notáveisEditar

 
José Sesana, elemento da equipa de rugby que venceu o último título do clube, em 1939.
Atleta Desporto
  Martin Naidich Natação
  Damián Blaum [12][13] Natação
  José Sesana [14] Rugby union
  Luciana Aymar Hóquei em campo
  Jorge Prezioso [15] Rugby union
  Patricio Cammareri [16][17] Hóquei em campo

EquipamentosEditar

O Gimnasia y Esgrima usa nas suas equipas uma camisola branca com uma faixa horizontal azul clara ao nível do peito, que permanece no equipamento suplente habitual, cuja cor principal é azul escuro.

PalmarésEditar

 
A equipa feminina de hóquei em campo campeã em 2010.

BasquetebolEditar

  • Primera División (2): 2006, 2014

FutebolEditar

Hóqueim em campoEditar

Feminino

Rugby unionEditar

Concertos musicaisEditar

 Ver artigo principal: Estádio G.E.B.A.

O clube costuma arrendar duas das suas instalações para concertos e eventos, sobretudo a de Jorge Newbery. Diversos artistas nacionais já tocaram no Estádio G.E.B.A. do Gimnasia y Plata.[24]

Referências

  1. a b c Luis Erdociaín (Junho de 2011). «Folio 37 Club Gimnasia y Esgrima» (em espanhol). Consultado em 22 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2015  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome ":02" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  2. «Segunda División - Campeones» (em espanhol). Asociación del Fútbol Argentino (AFA). Consultado em 22 de Agosto de 2015. Arquivado do original em 1 de julho de 2014  |urlmorta= e |ligação inativa= redundantes (ajuda)
  3. «Argentina - Table of Honor» (PDF). Soccer Library. 78 páginas. Consultado em 22 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 22 de agosto de 2015 
  4. a b Iwanczuk (1992). Historia del Fútbol Amateur en la Argentina. [S.l.]: Autores Editores. ISBN 9504343848 
  5. «URBA - Historia» (em espanhol). Unión de Rugby de Buenos Aires. Consultado em 22 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 16 de março de 2015 
  6. a b «Banco Nación, Los Tilos y GEBA regresaron a Primera» (em espanhol). ESPN. 20 de Setembro de 2014. Consultado em 22 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2015  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome ":122" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  7. «Una sana costumbre: GEBA y Banco Provincia campeones» (em espanhol). Ámbito. Consultado em 22 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2015 
  8. Mario García (26 de Março de 2010). «GEBA y el desafío de un grande» (em espanhol). mundoD. Consultado em 22 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2015 
  9. «Rugby - Argentina G.E.B.A. Match List» (em inglês). ESPN. Consultado em 22 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2015 
  10. «Estadio G.E.B.A. - Sede Jorge Newbery» (em espanhol). t4f.com.ar. Consultado em 22 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2015 
  11. a b «Buenos Aires 2018 - Dossier de Candidatura» (PDF) (em inglês). Buenos Aires 2018. 25 páginas. Consultado em 22 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 21 de agosto de 2015 
  12. «Heroico: Damián Blaum es campeón mundial de aguas abiertas» (em espanhol). tn.com.ar. 1 de Setembro de 2013. Consultado em 23 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 5 de setembro de 2013 
  13. «Damián Blaum y un reinado que se hizo esperar» (em espanhol). Canchallena. 6 de Janeiro de 2014. Consultado em 23 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 23 de agosto de 2015 
  14. El Gráfico N° 1105 (1939) - Publicado por Editorial Atlántica, Buenos Aires
  15. Tomás Deagustini (6 de Junho de 2013). «Jorge Prezioso: "Creo que no hicimos los puntos que merecíamos"» (em espanhol). Rugby Champagne. Consultado em 23 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 30 de junho de 2013 
  16. «Geba, el primer tricampeón de la Liga Nacional de Hockey» (em espanhol). Canchallena. 12 de Setembro de 2011. Consultado em 23 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 23 de agosto de 2015 
  17. Sofia Escudero (20 de Outubro de 2013). «Sufrió pero zafó del repechaje» (em espanhol). Hockey Mobile. Consultado em 23 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 23 de agosto de 2015 
  18. «Ganadores campeonatos de 1ra. División» (em espanhol). HRSA. Arquivado do original em 11 de novembro de 2013  |urlmorta= e |ligação inativa= redundantes (ajuda)
  19. «GEBA, campeón por quinta vez consecutiva» (em espanhol). TyC Sports. Arquivado do original em 11 de novembro de 2013  |urlmorta= e |ligação inativa= redundantes (ajuda)
  20. Javier Bon (11 de Novembro de 2012). «Las chicas de GEBA se consagraron campeonas». Tea&Deportea. Consultado em 23 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 23 de agosto de 2015 
  21. «Hockey (F): GEBA, heptacampeón» (em espanhol). ESPN. 13 de Novembro de 2013. Consultado em 23 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 14 de dezembro de 2013 
  22. «GEBA vence a Belgrano y es campeon por septimo año consecutivo» (em espanhol). El Comercial. Arquivado do original em 11 de novembro de 2013  |urlmorta= e |ligação inativa= redundantes (ajuda)
  23. «Hepta Campeonas» (em espanhol). GEBA. Consultado em 23 de Agosto de 2015. Arquivado do original em 11 de novembro de 2013 
  24. «Estadio G.E.B.A. - Sede Jorge Newbery» (em espanhol). t4f.com.ar. Consultado em 22 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2015 

Ligações externasEditar