Abrir menu principal
Giovanni Urbani
Cardeal da Igreja Católica
Patriarca de Veneza
Card. Urbani consagra o crucifixo a Giannino Lay - 1964
Atividade Eclesiástica
Diocese Patriarcado de Veneza
Nomeação 11 de novembro de 1958
Predecessor Dom Angelo Giuseppe Cardeal Roncalli
Sucessor Dom Albino Cardeal Luciani
Mandato 1958 - 1969
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 24 de setembro de 1922
Basílica dei Santi Maria e Donato di Murano
por Dom Pietro Cardeal La Fontaine
Nomeação episcopal 26 de outubro de 1946
Ordenação episcopal 8 de dezembro de 1946
Basílica de São Marcos
por Dom Adeodato Giovanni Cardeal Piazza, O.C.D.
Nomeado arcebispo 27 de novembro de 1948
Nomeado Patriarca 11 de novembro de 1958
Cardinalato
Criação 15 de dezembro de 1958
por Papa João XXIII
Ordem Cardeal-presbítero
Título Santa Priscila (1958-1962)
São Marcos (1962-1969)
Lema IN MISERICORDIA TUA
Dados pessoais
Nascimento Veneza
26 de março de 1900
Morte Veneza
17 de setembro de 1969 (69 anos)
Nacionalidade Italiano
Progenitores Mãe: Elisabetta Borghi
Pai: Angelo Urbani
Sepultado Basílica de São Marcos
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Patriarca Giovanni Cardeal Urbani[1] (Veneza, 26 de março de 1900 - 17 de setembro de 1969) foi um cardeal italiano, patriarca de Veneza[2].

BiografiaEditar

Nascido em Veneza, filho de Angelo Urbani e Elisabetta Borghi, era o caçula de seis irmãos[3]. Foi batizado em 8 de abril do mesmo ano, recebendo os sacramentos iniciais em 1906, pelo patriarca Aristide Cavallari, amigo da família[3]. Fez seus estudos primários na escola Sant'Agnese, do Instituto de Padres Cavani, dedicado à educação de jovens. Recebeu a primeira comunhão em 21 de junho de 1910. Deu entrana no Seminário Patriarcal Santa Maria della Salute em 16 de outubro de 1913[3]. Durante a Primeira Guerra Mundial, serviu em Cornegliano[3]. Em 24 de setembro de 1922, é ordenado padre na Basílica dei Santi Maria e Donato di Murano.

Vida religiosaEditar

SacerdócioEditar

Entre 1922 e 1944, exerceu as mais diversas funções eclesiásticas na arquidiocese de Veneza. Em 1 de janeiro de 1945, foi nomeado pelo Papa Pio XII como secretário da Comissão Episcopal para o Estudo dos Estatutos da Ação Católica Italiana e da Comissão para Coordenação dos Trabalhos Católicos. Em 1946, foi consagrado bispo-titular de Axomis[4].

EpiscopadoEditar

Na Basílica de São Marcos, em 8 de dezembro de 1946, foi consagrado pelo Cardeal Patriarca Adeodato Giovanni Piazza, O.C.D.[3]. Entre 1946 e 1955, foi secretário e conselheiro nacional da comissão central da Ação Católica Italiana. Em 27 de novembro de 1948, foi elevado a arcebispo, como arcebispo-titular de Sardes[4]. Em 14 de abril de 1955, foi transferido para a Diocese de Verona, mantendo o título de arcebispo ad personam[3][4]. Em 11 de novembro de 1958, é nomeado Patriarca de Veneza[2][3][4].

Patriarcado e CardinalatoEditar

Como é tradição para os Patriarcas de Veneza[5], Urbani foi elevado a cardeal no Consistório realizado em 15 de dezembro de 1958[2][3][4], com o título de Cardeal-padre de Santa Priscila[2][3][4], sendo-lhe imposto o barrete cardinalício em 18 de dezembro[3]. Em 19 de março de 1962, alterou seu titulus para São Marcos que é tradicionalmente atribuído aos Patriarcas de Veneza.

Participou do Concílio Vaticano II, entre 1962 e 1965. Participou do Conclave de 1963, que elegeu o Papa Paulo VI[3][4]. Entre 1966 e 1969, foi presidente da Conferência Episcopal Italiana[3].

MorteEditar

Faleceu vítima de um ataque cardíaco, em Veneza, em 17 de setembro de 1969. Jaz sepultado na Basílica de São Marcos[3]. Giovanni Urbani acabaria por se tornar um caso único da Igreja Católica, pois passou à história como único patriarca de Veneza entre dois patriarcas que se tornaram Papas.

Referências

  1. Segundo o site The Cardinals of the Holy Roman Church, o nome de batismo seria Giovanni Emilio Maria.
  2. a b c d GCatholic.com
  3. a b c d e f g h i j k l m The Cardinals of the Holy Roman Church
  4. a b c d e f g Biografia no site do Catholic Hierarchy
  5. Aos Patriarcas de Veneza e Lisboa, por tradição e de forma perpétua, é dada a elevação ao cardinalato de forma automática e acontece no consistório seguinte ao da nomeação.
Precedido por
Angelo Giuseppe Roncalli
 
Patriarca de Veneza

19581969
Sucedido por
Albino Luciani
Precedido por
Angelo Giuseppe Roncalli
 
Cardeal-presbítero de Santa Prisca

19581962
Sucedido por
José da Costa Nunes
Precedido por
Elia Dalla Costa
 
Cardeal-presbítero de São Marcos

19621969
Sucedido por
Albino Luciani