Abrir menu principal
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Guerrilha urbana refere-se a uma forma de guerra assimétrica na qual grupos armados enfrentam forças regulares, em meio urbano. Embora, a princípio, a expressão designe uma tática militar com métodos e objetivos precisos, atualmente é aplicada a todo tipo de guerrilha que ocorra em cidades, tais como a guerrilha iraquiana e a afegã.[1]

Índice

Teoria e história da guerrilha urbanaEditar

A guerrilha urbana é um fenômeno característico dos grandes centros urbanos. Michael Collins, um dos comandantes das Irish Republican Army Exercito Republicano Irlandês] (IRA) é frequentemente considerado como o precursor da moderna guerra de guerrilha. Em abril de 1919, uma unidade de elite de assassinos, conhecidos como O Squad ou Twelve Apostles (Doze Apóstolos) foi organizada em Dublin, com o objetivo de neutralizar os serviços de inteligencia britânicos na cidade. O Squad pode ser considerado como a primeira unidade de combate de guerrilha urbana.

Historicamente a luta de guerrilha urbana foi um fenômeno rural até 1960. A tática foi muito efetiva na luta armada em Cuba, ao contrário de outros esforços na América Latina durante os anos 1960, que não surtiram os resultados desejados. O ápice dessa época foi a campanha liderada por Che Guevara, primeiramente em Cuba e depois na Bolívia, onde foi morto.

A dificuldade da politização (fator necessário para a insurgência rural) forçou os movimentos dessa época a encontrar novas formas de ação em países cujas populações passavam a se concentrar nas cidades.

Nem todo grupo armado pode ser rotulado como de guerrilha urbana. Os Panteras Negras (EUA), por exemplo, não são considerados como organização guerrilheira, embora a política da autodefesa tenha sido aplicada com a força das armas, numa espécie de "ocupação militar" de territórios. Similarmente, o movimento autonomista italiano e o alemão Autonomen se utilizavam da violência política urbana, mas não como uma guerrilha urbana.[carece de fontes?]

Exemplos históricosEditar

 
Este artigo ou seção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.

BrasilEditar

A estratégia da guerrilha urbana no Brasil consistia em atacar o governo, para que este revidasse, e privasse a liberdade a população, pretendendo assim a insurgência do povo contra o governo. Neste contexto destaca-se o mentor e líder da Ação Libertadora Nacional, Carlos Marighella. Antes de sua morte ele escreveu o Manual do Guerrilheiro Urbano que, foi rapidamente adotado por outros ao redor do mundo.

A Ação Libertadora Nacional(ALN)Editar

Ação Libertadora Nacional (ALN) foi uma organização guerrilheira, revolucionária brasileira de tendência comunista que empreendeu luta contra a ditadura brasileira, liderados por Carlos Marighella.

O Movimento Popular de Libertação Nacional (Molipo)Editar

Movimento de Libertação Popular (Molipo) foi uma ação guerrilheira da esquerda no Brasil, que surgiu em 1971, a partir de uma dissidência da Ação Libertadora Nacional.

O Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8)Editar

O Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR8) é uma organização brasileira de esquerda que participou do combate armado ao regime militar.

O VAR Palmares (VAR-Palmares)Editar

A Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares) foi uma guerrilha política brasileira de extrema esquerda, que combateu o regime militar de 1964.

A Vanguarda Popular Revolucionária (VPR)Editar

A Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) foi uma organização de luta armada brasileira de extrema esquerda que lutou contra o regime militar de 1964

ArgentinaEditar

BélgicaEditar

Grã-BretanhaEditar

CanadáEditar

ChileEditar

ColômbiaEditar

FrançaEditar

AlemanhaEditar

GréciaEditar

IraqueEditar

IrlandaEditar

ItaliaEditar

MalasiaEditar

LíbanoEditar

PalestinaEditar

  • Hamas
  • Frente Popular para a Libertação do povo palestino (FPLP)

FilipinasEditar

EspanhaEditar

UruguaiEditar

USAEditar

Referências

  1. (em francês) Des roquettes contre les élections. Por Nicolas Bertrand. Radio France internationale, 10 de agosto de 2009.

Ver tambémEditar