Heinz Guderian

Heinz Wilhelm Guderian (Kulm, 17 de junho de 1888Schwangau, 14 de maio de 1954) foi um general alemão durante a Segunda Guerra Mundial que, após o conflito, se tornou um autor bem sucedido ao escrever suas memórias. Um pioneiro na defesa da tática da "blitzkrieg", ele desempenhou um papel central no desenvolvimento do conceito das divisões panzer (uma das táticas de vanguarda da ideia da guerra mecanizada). Em 1936, ele se tornou Inspetor de Tropas Motorizadas.[1][2]

Heinz Guderian
Nome completo Heinz Wilhelm Guderian
Apelidos "Heinz Veloz"
"Heinz Marreta"
Nascimento 17 de junho de 1888
Kulm, Prússia Ocidental, Prússia, Alemanha
Morte 14 de maio de 1954 (65 anos)
Schwangau, Baviera, Alemanha Ocidental
Progenitores Mãe: Clara Kirchoff
Pai: Friedrich Guderian
Cônjuge Margarete Goerne (1913–1954)
Filho(s) Heinz Günther Guderian
Kurt Guderian
Serviço militar
Lealdade  Império Alemão
 República de Weimar
 Alemanha Nazista
Anos de serviço 1907–1945
Patente Coronel-general
Conflitos Primeira Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Condecorações Cruz de Ferro
Ordem de Frederico
Ordem de Saxe-Ernestina
Cruz de Honra da
Guerra Mundial

Ordem de São Sava
Cruz de Cavaleiro da
Cruz de Ferro

e outras

No começo da Segunda Grande Guerra, Guderian liderou um corpo de blindados na invasão da Polônia, em 1939. No ano seguinte, durante a invasão da França, ele comandou as unidades blindadas que atacaram os franceses pela floresta das Ardenas e sobrepujaram as forças Aliadas na Batalha de Sedan. Ele liderou o 2º Exército Panzer durante a Operação Barbarossa, a invasão alemã da União Soviética. A operação terminou em fracasso na Batalha de Moscou e Guderian foi dispensado do serviço ativo.[2]

No começo de 1943, Adolf Hitler apontou Guderian para a nova posição de Inspetor-Geral de Tropas Motorizadas. Neste papel, ele tinha a responsabilidade de reconstruir e treinar nova divisões panzer mas teve pouco sucesso devido ao declínio e deterioração da economia de guerra alemã. Em 1944, Guderian foi apontado então como Chefe Interino do Estado-Maior do Alto Comando do Exército, imediatamente após o Atentado de 20 de Julho contra Hitler. Ele negou envolvimento com movimentos anti-nazistas dentro do exército, embora houvesse evidências circunstanciais de que ele de fato os apoiasse.[3] Contudo, Guderian foi um nazista fervoroso, tendo afirmado, no fim da guerra, que os princípios básicos do nazismo tinham sido "ótimos".[4]

Em 1944, Guderian foi colocado no comando da "Corte de Honra" de Hitler, que, após a tentativa de assassinato de Hitler, foi usada para demitir oficiais das forças armadas para que pudessem ser julgados no "Tribunal do Povo" e executados. [5] Segundo vários historiadores, ele teria tido conhecimento da conjura contra Hitler, e convidado a integrá-la, recusou, seguindo o método de "esperar para ver". [6] Ele passou então a ser o conselheiro pessoal de Hitler para a Frente Oriental e se tornou, a vista popular, extremamente associado ao regime nazista. As tropas de Guderian executaram com cruel precisão a chamada "Ordem dos Comissários" durante a Operação Barbarossa, e ele foi implicado na comissão de represálias após a Revolta de Varsóvia de 1944.[7]

Heinz Guderian se rendeu para as forças dos Estados Unidos em 10 de maio de 1945 e permaneceu sob custódia até 1948. Ele foi solto sem ser indiciado por qualquer crime e se aposentou do serviço ativo e começou a escrever suas memórias. Intitulada Erinnerungen eines Soldaten (traduzido literalmente como "Memórias de um Soldado", mas em inglês foi lançado como Panzer Leader, ou "Líder de Tanque"), sua autobiografia se tornou um bestseller, que é um sucesso de vendas até os dias atuais. Os livros de Guderian perpetuaram vários mitos do pós-guerra, incluindo o da teoria da "Wehrmacht limpa".[3][8] Em seu livro, Guderian se apresenta como o único originador das doutrinas de blindados das forças panzer alemãs, enquanto omite qualquer menção de sua relação com Hitler e o regime nazista, ou de seu envolvimento com crimes de guerra. Guderian faleceu em 1954 e foi enterrado na cidade de Goslar.[9]

BiografiaEditar

 
Guderian, em 1941, durante a Operação Barbarossa.

Heinz Guderian nasceu na cidade de Kulm, na Prússia Oriental. Entrou para o Exército no ano de 1907 como cadete. Serviu em diversas unidades de sinalização no inicio da Primeira Guerra Mundial, ocupando após vários postos no staff. Encerrou a guerra com a patentes de Hauptmann (capitão).[9]

No período de entreguerras teve papel importante na criação da arma motorizada, tendo revolucionado a doutrina do uso de blindados com o livro que ele publicou no ano de 1937, intitulado de Achtung Panzer!.[9]

Foi promovido para Oberst (coronel) no dia 1 de outubro de 1933, sendo designado, no dia 1 de julho de 1934, comandante das unidades motorizadas, assumindo mais tarde o comando da 2ª Divisão Panzer quando esta foi criada no dia 15 de outubro de 1935.[9]

Foi promovido para Generalmajor (major-general) no dia 1 de agosto de 1936, Generalleutnant (tenente-general) no dia 10 de fevereiro de 1938 e General der Panzertruppe no dia 23 de novembro de 1938. Assumiu o comando do XVI Corpo de Exército no dia 1 de abril de 1938 e em seguia do XIX Corpo de Exército no dia 26 de agosto de 1939, estando no comando desta unidade quando foi promovido para Generaloberst (coronel-general) no dia 19 de julho de 1940.[9]

Após a Batalha de Moscou e um desentendimento com o Marechal von Kluge, ele foi dispensado do serviço ativo no mês de dezembro de 1941. Foi reconvocado no dia 28 de fevereiro de 1943 como Inspetor das Tropas Blindadas, assumindo no dia 21 de julho o comando do Staff do OKH (o alto-comando do Exército). Permaneceu no serviço ativo até o dia 28 de março de 1945, quando foi novamente dispensado.[9]

Foi feito prisioneiro pelos norte-americanos no dia 10 de maio de 1945, sendo libertado da prisão no ano de 1948. Ele passou os últimos anos de sua vida escrevendo suas memórias, defendendo o legado do exército alemão e sua contribuição para as ciências militares, embora este útilmo seja questionado. Guderian faleceu em 1954, aos 65 anos.[9]

PatentesEditar

  • Cadete - 1907
  • Hauptmann - 1918
  • Oberst - 1 de outubro de 1933
  • Generalmajor - 1 de agosto de 1936
  • Generalleutnant - 10 de fevereiro de 1938
  • General der Panzertruppe - 23 de novembro de 1938
  • Generaloberst - 19 de julho de 1940

CondecoraçõesEditar

  • Cruz de Ferro (1914) 2ª Classe - 17 de setembro de 1914
  • Cruz de Ferro (1914) 1ª Classe - 8 de novembro de 1916
  • Medalha da Anschluss - 13 de março de 1938
  • Cruz de Ferro (1939) 2ª Classe 5 de setembro de 1939
  • Cruz de Ferro (1939) 1ª Classe 13 de setembro de 1939
  • Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro - 27 de outubro de 1939[10]
  • Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro com Folhas de Carvalho - (nº 24 17 de julho de 1941)[11]

ComandosEditar

Cargos militares
Precedido por
criação
2ª Divisão Panzer
15 de outubro de 1935 - de fevereiro de 1938
Sucedido por
Generalleutnant Rudolf Veiel
Precedido por
criação
XIX Corpo de Exército
1 de setembro de 1939 — 5 de junho de 1940
Sucedido por
Precedido por
criação
Panzergruppe Guderian
5 de junho de 1940 - 30 de junho de 1940
Sucedido por
-
Precedido por
XIX Corpo de Exército
30 de junho de 1940 — 16 de novembro de 1940
Sucedido por
2º Panzergruppe
Precedido por
2º Grupo Panzer
16 de novembro de 1940 - 25 de dezembro de 1941
Sucedido por
Precedido por
-
Inspetor das Tropas Panzer (OKH)
1 de março de 1943 — 20 de abril de 1944
Sucedido por
-
Precedido por
Generalleutnant Adolf Heusinger
Chefe do Estado-Maior do Exército
21 de julho de 1944 — 28 de março de 1945
Sucedido por
General der Infanterie Hans Krebs

Referências

  1. Corum, James (1992). The Roots of Blitzkrieg: Hans von Seeckt and German Military Reform. [S.l.]: University Press of Kansas. ISBN 0-7006-0541-X 
  2. a b Battistelli, Pier (2011). Heinz Guderian: Leadership, Strategy, Conflict. United Kingdom: Osprey Publishing Ltd. ISBN 978-1-84908-366-9 
  3. a b Felix Römer (2012). Nazi Policy on the Eastern Front, 1941: Total War, Genocide, and Radicalization. [S.l.]: University of Rochester Press. ISBN 978-1-58046-407-9 
  4. Hart 2006, p. 114.
  5. Battistelli 2011, p. 57.
  6. Hart 2006, p. 98-103.
  7. «Heinz Guderian» (em inglês). WW2 Awards. Consultado em 21 de junho de 2014 
  8. Epstein, Catherine (2015). Nazi Germany Confronting the Myths. U.K.: John Wiley & Sons, Ltd. ISBN 978-1-118-29479-6 
  9. a b c d e f g Lannoy 2001, p. 47
  10. Fellgiebel 2000, p. 171
  11. Fellgiebel 2000, p. 50

BibliografiaEditar

  • Battistelli, Pier P. (2011) -Heinz Guderian: Leadership, Strategy, Conflict - Osprey Publishing Ltd
  • Fellgiebel, Walther-Peer (2000). Die Träger des Ritterkreuzes des Eisernen Kreuzes, 1939-1945. die Inhaber der höchsten Auszeichnung des Zweiten Weltkrieges aller Wehrmachtteile (em alemão). Friedburg: Podzun-Pallas. 472 páginas. ISBN 3-7909-0284-5 
  • Hart , Russell A. (2006) - Guderian: Panzer Pioneer or Myth Maker? - Potomac Books, Inc.
  • Lannoy, François de; Josef Charita (2001). Panzertruppen: German armored troops 1935-1945 (em inglês e francês). Bayeux: Heimdal. 280 páginas. ISBN 978-2840481515 
  • Scherzer, Veit (2007). Die Ritterkreuzträger. 1939 - 1945 ; die Inhaber des Ritterkreuzes des Eisernen Kreuzes 1939 von Herr, Luftwaffe, Kriegsmarine, Waffen-SS, Volkssturm sowie mit Deutschland verbündeter Streitkräfte nach den Unterlagen des Bundesarchivs, Volume 1 (em alemão). Jena: Scherzers Miltaer-Verlag. 846 páginas. ISBN 978-3-938845-17-2 

FilmesEditar

  • The Wehrmacht - The Turning Point(Ep 02) - ZDF 2007- (Documentário da TV Alemã ZDF)
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.