Abrir menu principal
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde abril de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2015). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Henrique Afonso
Deputado Federal do Acre
Período 1º de fevereiro de 2003
até 31 de janeiro de 2011
Dados pessoais
Nascimento 3 de dezembro de 1964 (54 anos)
Cruzeiro do Sul, AC
Esposa Rosângela do Nascimento Lima (3 filhos)
Partido PV
Religião Presbiteriano
Profissão Pedagogo
Professor Universitário
Político

Henrique Afonso Soares Lima (Cruzeiro do Sul, 3 de dezembro de 1964) é um professor universitário, pedagogo e político brasileiro, atualmente deputado federal pelo estado do Acre.

BiografiaEditar

Iniciou sua inserção no movimento social, no início de sua juventude, através do Grupo de Jovem da Igreja Católica – MOJUC. Em 1983, aos 19 anos de idade, era professor do Colégio São José, em Cruzeiro do Sul. Em 1989 formou-se em pedagogia pela Universidade Federal do Acre (UFAC), em Rio Branco. Desde 1986, em Rio Branco, aderiu ao movimento sindical, Ao lado de líderes como: Marina Silva, Sérgio Roberto e outros.

De volta a Cruzeiro do Sul criou um grupo teatral denominado Poyanawas, nome da tribo indígena da qual sua esposa descendia. Além do grupo teatral, Henrique, com um grupo de amigos, fundou em Cruzeiro a comissão pró-cultura, através da qual realizavam a cada ano a Maratona Cultural. Em Cruzeiro do Sul, de 1991 a 1995, foi eleito presidente do SINTEAC.

Em 1997 foi eleito vereador pelo PC do B. Membro da Igreja Presbiteriana, convertido um dia antes da eleição. Dedicando-se aos ensinamentos de Cristo, depois que fundou uma congregação da Igreja Presbiteriana no bairro Saboeiro, em Cruzeiro do Sul, Henrique foi enviado, através da Igreja, ao Vale do Acre. Deixou para trás sua vida política e seu contrato de professor da Universidade Federal do Acre e foi pastorear a Igreja Presbiteriana de Senador Guiomard e, algum tempo depois, pastoreou, também, a Igreja Presbiteriana do Universitário, situada no Conjunto Universitário III.

Em 1999 filiou-se ao PT, elegendo-se deputado federal pelo partido em 2002, reelegendo-se em 2006.

Punição partidária e mudança de legendaEditar

Em setembro de 2009 o deputado federal Henrique Afonso foi punido pela direção do PT com a suspensão de suas atividades partidárias por três meses, além de ser impedido de representar o partido na Comissão de Seguridade Social e Família, da Câmara dos Deputados, por dois anos.

A penalidade foi causada pelo posicionamento do parlamentar contra a legalização do aborto no país. Processo semelhante foi atribuído também ao ex-deputado petista Luiz Bassuma, da Bahia.

O deputado baiano sofreu sanções ainda mais severas que Henrique Afonso: Suspenso do partido por um ano, ele não poderá se candidatar mais nas próximas eleições de 2010. Também não pode participar da Comissão por três meses.

No mesmo mês de setembro Henrique Afonso anunciou sua saída do PT e filiação ao PV, seguindo o mesmo caminho da senadora acreana Marina Silva.

Escândalo das passagens aéreasEditar

Em 2016 foi denunciado pela participação no Escândalo das passagens aéreas, ocorrido quando era deputado federal em 2009.[1] O escândalo consistia no repasse da cota de viagens aéreas a terceiros – o benefício, custeado com dinheiro público, é privilégio exclusivo de parlamentares.[2] Entre os 443 denunciados, foi o que mais emitiu passagens: 434 bilhetes recebidos e uma movimentação financeira de R$ 245.343,54, tudo custeado pelo contribuinte.[2]

Referências

  1. «Procuradoria denuncia 443 por 'farra das passagens' na Câmara, diz site». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 6 de novembro de 2016 
  2. a b Góis, Fábio (6 de novembro de 2016). «Menos da metade dos denunciados gastou 80% do total na farra das passagens». Congresso em Foco. UOL. Consultado em 19 de novembro de 2016 

Ligações externasEditar