Hermenegildo Alvites

Hermenegildo Alvites (em castelhano: Hermenegildo Alóitez, ou Menendo ou Mendo Alvites c.898966), foi um magnata e membro da mais alta nobreza da Galiza no século X. Seus pais foram o conde Alvito ou Aloito Guterres e Argilo Alvites, filha de Alvito e Paterna, os fundadores do Mosteiro de São Salvador de Cines no território de Nendos na Corunha[1][2][3]

Hermenegildo Alvites
Conde de Présaras
Cônjuge Paterna Gundesindes
Descendência
    • Sisnando Menendes
    • Rodrigo Menendes
  •   Galiza
    Morte 966
      Sobrado
    Enterro Mosteiro de Sobrado dos Monges
    Pai Alvito Guterres
    Mãe Argilo Alvites

    Esboço biográficoEditar

     
    Mosteiro cistercense de Sobrado dos Monges

    Seus tios paternos foram o conde Hermenegildo Guterres, que derrotou as tropas muçulmanas e conquistou Porto e Coimbra, e Ossorio Guterres, o avô da rainha Adosinda Guterres, a primeira esposa do rei Ramiro II, e de Ossorio Guterres o fundador do Mosteiro de São Salvador de Vilanova de Lourenzá. Hermenegildo tinha três irmãos; Gundesindo Alvites, bispo de Iriæ Flaviæ, Arias Alvites e o conde Guterre Alvites.[4]

    Em 920, foi nomeado conde de Présaras pelo rei Ramiro II a quem serviu como seu mordomo-mor entre 937 e 949. Em 942, com sua esposa Paterna fundou o Mosteiro de Sobrado dos Monges[5][6] que foi herdado pelos seus descendentes da Casa de Trava. Quase dois séculos depois, em janeiro de 1142, dois dos membros mais relevantes deste linhagem, os irmãos Vermudo e Fernando Peres de Trava doarom o mosterio aos monges cistercienses.[7] Em 958, Hermenegildo e Paterna doaram o condado de Présaras ao mosteiro que tinha fundado e,[8] no mesmo ano, Hermenegildo retirou-se lá onde viveu como um monge pelo resto de sua vida e onde morreu antes de 10 de dezembro 966 e foi sepultado.[5]

    Matrimónio e descendênciaEditar

    Casou-se com Paterna Gundesindes (morta antes de dezembro 955), filha de Gundesindo e Senior com quem aparece em 916 comprando umas propriedades.[4]

    Deste matrimónio nasceram:

    • Sisnando Menendes (morto em 968), bispo de Iriæ Flaviæ,[9], devido a um conflito com o rei Sancho I de Leão, foi despojado de seus privilégios que foram dadas ao bispo Rosendo de Celanova, embora fosse capaz de recuperá-los em uma data posterior. Sisnando morreu em 968 lutando contra os invasores normandos.[10]
    • Rodrigo Menendes,[4] dux e dono do castelo de Aranga, casado com Elvira Alvites.[11] Um de seus filhos, Guterre Rodrigues e sua esposa Gundesinda foram os pais de Ilduara Guterres, a mãe de Elvira de Faro, a primeira esposa do conde Froila Bermudes.[6] Este último foi o pai de vários filhos, incluindo o conde Pedro Froilaz de Trava e foi através desse casamento que o mosteiro de Sobrado foi herdado pelos irmãos Fernando e Bermudo de Trava.
    • Uma filha, cujo nome não é registrado, casada com Garcia Íñiguez. Em 984, sua filha Jimena Garcês, fez uma doação ao Mosteiro de Sobrado, onde ela menciona seus pais e seus tios maternos Sisnando e Rodrigo.[12]

    Referências

    BibliografiaEditar