Hi-Fi Discos

A Hi-Fi Discos foi uma loja de discos de São Paulo, fundada por Celso, Dario e Hélcio Serrano na década de 1960 e localizada na Rua Augusta, importante via comercial da cidade de São Paulo.[1][2][3]

Hi-Fi Discos
Loja de discos
Fundação década de 1960
Fundador(es) Helcio, Celso e Dario Serrano
Encerramento 2002
Sede São Paulo
Área(s) servida(s) Rua Augusta, São Paulo, SP

Shopping Iguatemi

Proprietário(s) Helcio, Celso e Dario Serrano

Era considerada uma das mais badaladas lojas de discos da capital paulista, ponto de encontro de grandes nomes da música, como Chico Buarque e Elis Regina.[4]

Foi operante durante 45 anos, até seu fechamento no ano de 2002.[5]

HistóriaEditar

No início da década de 1960, Hélcio Serrano e os irmãos Celso e Dario foram pioneiros ao receber o recém-lançado primeiro disco dos Beatles, Please Please Me, apostando no grupo antes mesmo deles alcançarem o seu sucesso estrondoso.[3][6] A Hi-Fi sempre foi responsável por lançamentos de qualidade em vários estilos, porque Helcio aliava seu gosto musical apurado com sua necessidade de antecipar ao consumidor os últimos lançamentos nacionais e internacionais.[7][8][9]

A loja se tornou tradicional por ser frequentada pelos representantes das rádios locais, que buscavam novidades, e inúmeros artistas da cena nacional e internacional, que muitas vezes se tornavam amigos dos fundadores.[4] Dentre os visitantes, estão: Evandro Mesquita, do grupo BLITZ, Marina Lima, Alcione, Fafá de Belém, Guilherme Arantes, Ivan Lins, Gonzaguinha, Vanusa, os integrantes do duo Carpenters, Karen e Richard, e Gilbert O'Sullivan.

Helcio Serrano buscava formas de ampliar seu público e atrair mais frequentadores para a loja, tendo criado promoções de troca de selos por discos, e até apoiado uma equipe de patinação, a Hi-Fi Roller, que competia e divulgava o nome da loja em diferentes localidades.[7][10]

A partir da década de 90, Helcio não vislumbrava um futuro promissor nos gêneros musicais que despontavam a partir da década de 90. Ele se negava a tocar em suas lojas o axé, pagode, e sertanejo universitário. No ano de 2002, depois de 45 anos de história, a Hi-Fi fechou suas portas na Rua Augusta e sua filial no Shopping Iguatemi.[11][5]

No fechamento da loja, Hélcio deu uma entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, em que não atribuiu o fechamento da loja a crise da indústria fonográfica nos início dos anos 2000, mas sim por uma predileção no estilo de vida: "A ideia de sair se deve ao fato de que estou coroa e quero aproveitar a vida. Vou emagrecer num spa e depois vou para Miami, vou viajar de navio pela Ásia [...] Quis me livrar porque não se consegue manter um negócio sem a personalidade do dono. A característica da loja, de sempre manter uma linha de música de qualidade, quem dava era eu."[11][12]

Referências

  1. «Revista J.P relembra a casa de chá que fez história na rua Augusta – Glamurama». Glamurama. UOL. 10 de agosto de 2013. Consultado em 20 de março de 2021 
  2. Moreno, Rafael (18 de abril de 2017). «Rafael Moreno: Hi-Fi Discos lança The Beatles». Portal do Andreoli. Consultado em 19 de março de 2021 
  3. a b Oliveira, Abrahão de (13 de março de 2013). «A via mais famosa de São Paulo: a rua Augusta». SP In Foco. Consultado em 13 de maio de 2021 
  4. a b Queiroz, Guilherme (20 de dezembro de 2019). «Lojas que fecharam as portas, mas seguem na memória de SP | Memória». Veja São Paulo. Consultado em 20 de março de 2021 
  5. a b «Hi-Fi fecha as portas depois de 36 anos». Estadão. 12 de março de 2002. Consultado em 20 de março de 2021 
  6. Day, Doris (1 de fevereiro de 2007). «Rua Augusta, parte II :: São Paulo - Minha Cidade». São Paulo Minha Cidade. Consultado em 13 de maio de 2021 
  7. a b Alpendre, Ricardo (2 de outubro de 2014). «Como funcionava uma loja de discos nos anos 70?». poeira Zine. Consultado em 13 de maio de 2021 
  8. Coelho, Natascha. «Projeto Autobahn - Lojas de Discos dos anos 80 - Parte I». Auto Bahn. Consultado em 13 de maio de 2021 
  9. Jr, Cimitan (6 de janeiro de 2012). «Meu Fusca 1972: HiFi um clássico no vinil». Meu Fusca 1972. Consultado em 13 de maio de 2021 
  10. TV Banqueta - Relembre a loja de discos Hi-Fi, consultado em 13 de maio de 2021 
  11. a b Sanches, Pedro (8 de março de 2002). «Hi-Fi fecha após 45 anos vendendo discos a SP». Folha de S. Paulo. Consultado em 20 de março de 2021 
  12. Fraga, Danilo (1 de janeiro de 1970). «O beat e o bit do rock brasileiro: internet, indústria fonográfica e a formação de um circuito médio para o rock no Brasil». E-Compós. ISSN 1808-2599. doi:10.30962/ec.173. Consultado em 13 de maio de 2021 
  Este artigo sobre uma loja é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.