História do Benim

Benim foi onde se localizaram civilizações antigas e ilustres, que se desenvolveram a partir de cidades-estado. Os três principais reinos, criados pelos fons, foram os reinos de Aladá, fundado no século XVI, o de Daomé, em 1625, e o de Hobonu (atual Porto Novo). Estas unidades políticas se estruturaram em torno de centros urbanos. Eles desenvolveram o comércio local que, a partir do século XVII, foi baseado no tráfico de escravos e, a partir da abolição do tráfico, em 1807, no óleo de palma. Esta economia facilitou que se estabelecessem, na costa denominada de Costa dos Escravos, entrepostos comerciais dos ingleses, dinamarqueses, portugueses e franceses.[1]

Guezô (r. 1818–1858) foi o 10º rei do Daomé

Linha do tempoEditar

Texto em grande parte baseado no site do governo de Benim[1]
  • c. 1400 - O reino do Benim é fundado e dominado pelos obás.[2]
  • c. 1500 - Navegadores portugueses começam a fazer negócio com governantes da costa.[3]
  • 1625 - Comerciantes de escravos indígenas, os fons, criam o Reino de Daomé.
  • 1650 - Os ingleses constroem um forte em Uidá.
  • 1664 - Primeiro estabelecimento de missionários em Uidá, de capuchinhos britânicos.
  • 1704 - A França recebe autorização para construir um porto em Uidá.
  • 1752 - Os portugueses se instalam em Hogbonou, e mudam seu nome para Porto Novo.
  • c. 1850 - O óleo de palma torna-se a principal exportação após a abolição do comércio de escravos.[4]
  • 1863 - O primeiro protetorado francês é estabelecido com o rei de Porto Novo,[5] que procurou ajuda diante das pretensões do rei de Daomé e dos ataques dos ingleses, estabelecidos em Lagos. Glelé, rei de Daomé, autoriza os franceses a se estabelecerem em Cotonu.
  • 1882 - O soberano de Porto Novo assina um novo acordo de protetorado com a França, que envia um "residente francês" como conselheiro do rei.
  • 1890-94 - Guerra entre Daomé e a França, França vence.[6]
  • 1894 - Daomé vira uma colônia francesa, após a rendição do rei de Daomé. Um novo decreto denomina os territórios de colônia de Daomé e suas dependências.
  • 1904 - Daomé é incorporado à África Ocidental Francesa (AOF, em francês Afrique Occidentale Française)
  • 4 de dezembro de 1958 - A República é proclamada, e Daomé se torna um estado independente em 1 de agosto de 1960.[7]
  • 1960 - 1972 - Período de instabilidade, com seis golpes de estado, que termina quando Mathieu Kérékou toma o poder.
  • 30 de novembro de 1975 - Daomé muda seu nome para República Popular do Benim (em francês, Republique Populaire du Bénin (RPB), por iniciativa do governo militar revolucionário do coronel Kérékou.
  • Dezembro de 1989 - Depois de dezessete anos de regime marxista, o Presidente Kérékou anuncia o abandono do marxismo-leninismo diante da pressão das ruas e da inadimplência.
  • 19 a 28 de fevereiro de 1990 - Sob a presidência de De Souza, arcebispo de Cotonu, é realizada a Conferência das Forças Vivas da Nação (em francês, Conférence des forces vives de la Nation), que estabelece um governo de transição, sob comando do primeiro ministro Nicéphore Soglo.
  • Março de 1991 - Após eleições presidenciais, Nicéphore Soglo é eleito com mais de 67% dos votos.
  • 1996 - Eleições presidenciais recolocam na presidência o idoso Mathieu Kérékou apesar das acusações de fraude.[8]
  • Março de 2001 - Mathieu Kérékou é reeleito presidente.

Desde então, Benim tem se mostrado um exemplo para a África subsaariana, por ter feito uma transição democrática sem derramamento de sangue nem golpes de estado.

Referências

  1. a b Governo do Benim, Informations Generales, Histoire [https://web.archive.org/web/20111104170539/http://www.gouv.bj/spip.php?article644 Arquivado em 4 de novembro de 2011, no Wayback Machine. [em linha]
  2. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554
  3. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554
  4. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554
  5. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554
  6. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554
  7. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554 | referencia deste a última vírgula exceto a data exata
  8. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 554
  Benim
Bandeira • Brasão • Hino • Culinária • Cultura • Demografia • Economia • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens