Igreja Ortodoxa Bielorrussa

Igreja Ortodoxa Bielorrussa (em bielorrusso: Беларуская праваслаўная царква, em russo: Белорусская православная церковь) é o Exarcado Bielorrusso (em bielorrusso: Беларускі экзархат, em russo: Белорусский экзархат) da Igreja Ortodoxa Russa na Bielorrússia.[1][2] Ele representa a união das eparquias ortodoxas russas no território da Bielorrússia e é a maior organização religiosa do país, unindo a maioria predominante de seus cristãos ortodoxos.

Igreja Ortodoxa Bielorrussa
(Exarcado Bielorrusso do Patriarcado de Moscou)
Belarus-Minsk-Cathedral of Holy Spirit-3.jpg
Catedral do Espírito Santo (Minsk)
Fundador Conselho Episcopal da Igreja Ortodoxa Russa
Independência 11 de outubro de 1989 (estabelecimento)
Reconhecimento Igreja Ortodoxa Russa, como Exarcado
Primaz Metropolita Benjamin (Tupeko)
Sede Primaz Minsk, Bielorrússia
Território Bielorrússia
Posses 15 Dioceses, 1.612 Paróquias e 35 Mosteiros
Língua eslavônico, bielorrusso
Adeptos 81% dos crentes se autodenominam ortodoxos (ou 75,7% da população da Bielorrússia) (2019)
Site www.church.by

O Primaz da Igreja Ortodoxa Bielorrussa é Benjamin (Tupeko), Metropolita de Minsk e Zaslavsky, Exarca Patriarcal de Toda a Bielorrússia[3].

A Igreja Ortodoxa Bielorrussa goza de um grau de autonomia muito menor em comparação com a Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Moscou, que é uma entidade autônoma associada à Igreja Ortodoxa Russa.

A Igreja Ortodoxa Bielorrussa se opõe fortemente à Igreja Ortodoxa Autocéfala da Bielorrússia[4], de menor porte e em grande parte baseada na emigração.

HistóriaEditar

Ortodoxia na BielorrússiaEditar

 
2.000 anos do Cristianismo. Bloco Postal de 3 Selos da Bielorrússia, 2000. Questão conjunta com a Rússia e a Ucrânia.

As terras bielorrussas foram batizadas principalmente em simultâneo com outras terras da Rússia de Quieve, com um ligeiro atraso no norte do país, embora algumas tradições pagãs tenham persistido na região de Polotsk por muito tempo e tenham sobrevivido de uma forma modificada até hoje.[carece de fontes?]

Em 992, a Diocese de Polotsk foi estabelecida como parte da Metrópole de Quieve do Patriarcado de Constantinopla. Por volta do século XIII, haviam 2 Dioceses no território da Bielorrússia moderna: Polotsk e Turov (1005), que faziam parte da Metrópole de Quieve.[carece de fontes?]

Em conexão com a divisão real, no início do século XIV, da Metrópole de Quieve e Toda a Rússia em uma Igreja centralizada em Moscou (dentro do Principado de Moscou) e a Igreja Ortodoxa no Grão-Ducado da Lituânia (Metrópole Lituana, 1316), Polotsk, e a partir de 1347 a Diocese de Turov, passaram a fazer parte da última.[carece de fontes?]

Em 1459, ocorreu a separação final da Metrópole de Quieve lituana da Metrópole de Quieve moscovita. Em meados do século XVI, a Metrópole lituana de Novogrudok (com centro em Novogrudok, depois em Vilnius) incluía Polotsk, Turov (com uma cátedra em Pinsk), Smolensk, Chernigov, Galitsk, Przemysl, Kholmsk, Lutsk, Dioceses de Vladimir-Volyn.[carece de fontes?]

Após a União de Brest em 1596, a Igreja Ortodoxa no Grão-Ducado da Lituânia como um todo deixou de existir canonicamente. Fundada novamente em 1632 em Mogilev. A Diocese de Mogilev era a única Diocese ortodoxa na Bielorrússia até o final do século XVIII. Após a segunda partição da Comunidade Polonesa-lituana em 1793, a Diocese de Minsk foi estabelecida. Em 1833, a Diocese de Polotsk foi restaurada, as Dioceses de Vilna (1840) e Grodno (1900) foram criadas. Em Brest, Bialystok, Slutsk, Gomel, Kaunas e Dvinsk haviam cátedras de Bispos Vigários. Todas as Dioceses faziam parte da Igreja Ortodoxa Russa e estavam sob a jurisdição do Santo Sínodo Governante. Antes do início da Primeira Guerra Mundial, haviam 3552 igrejas e 35 mosteiros, três seminários teológicos nas cinco Dioceses ortodoxas da Bielorrússia. Cada uma das Dioceses tinha seus próprios periódicos.[carece de fontes?]

A Igreja Ortodoxa na Bielorrússia sob domínio soviéticoEditar

Durante o período soviético, especialmente a partir de 1929, no leste da Bielorrússia, bem como na União Soviética como um todo, quase todas as igrejas foram fechadas e o clero foi reprimido. Na República Socialista Soviética da Bielorrússia, em 20 de dezembro de 1936, 1.371 igrejas foram fechadas das que antes funcionavam, e os serviços continuaram apenas em 74.[carece de fontes?]

Nas décadas de 1940 e 1950, quase todas as Dioceses ortodoxas no território da Bielorrússia foram abolidas. Até 1988, havia apenas uma Diocese ortodoxa na Bielorrússia (Minsk).[5]

Criação do Exarcado BielorrussoEditar

O Exarcado Bielorrusso (Igreja Ortodoxa Bielorrussa) do Patriarcado de Moscou foi estabelecido em outubro de 1989 de acordo com a decisão do Conselho Episcopal da Igreja Ortodoxa Russa, realizado de 9 a 11 de outubro de 1989.

O Conselho Episcopal da Igreja Ortodoxa Russa, em reuniões de 30 a 31 de janeiro de 1990, após ouvir um relatório de Sua Graça Cirilo, Arcebispo de Smolensk e Kaliningrado (agora Sua Santidade Patriarca de Moscou e de Toda a Rússia), decidiu aceitar o "Estatuto dos Exarcados" e introduzi-lo no atual Estatuto da Igreja Ortodoxa Russa. As decisões deste Conselho Episcopal foram aprovadas pelo Conselho Local da Igreja Ortodoxa Russa, ocorrido de 7 a 8 de junho de 1990. Em termos canônicos, o Exarcado Bielorrusso é uma unidade territorial administrativa da Igreja Ortodoxa Russa, unindo dioceses com seus decanatos, paróquias, mosteiros e instituições educacionais teológicas localizadas na República da Bielorrússia. O Exarcado Bielorrusso é administrado pelo Exarca Patriarcal.

A cátedra principal do Metropolita de Minsk e Zaslavsky, Exarca Patriarcal de Toda a Bielorrússia, está localizada na Catedral do Espírito Santo de Minsk. A segunda é a Catedral da Transfiguração do Senhor na cidade de Zaslavl[6].

Em 7 de janeiro de 2008, ao visitar a Catedral do Espírito Santo em Minsk, o Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, chamou a Igreja Ortodoxa Bielorrussa de “o principal ideólogo de nosso país”.[7]

Em outubro de 2010, durante uma visita a Istambul (Turquia), o Presidente Lukashenko, de acordo com relatos da mídia, em uma reunião com o Patriarca Bartolomeu de Constantinopla poderia discutir a perspectiva de conceder autocefalia à Igreja Bielorrussa; os especialistas consideraram as negociações como uma iniciativa política do Presidente contra a liderança russa.[8][9][10] Em 13 de outubro, o Chefe da Administração Presidencial da República da Bielorrússia, Vladimir Makei, negou esses relatórios, chamando-os de "outra provocação hedionda" e associando-os ao agravamento das relações russo-bielorrussas.[11][12]

Em 20 de dezembro de 2018, a Igreja Ortodoxa Bielorrussa decidiu “reconhecer a chamada Igreja Autocéfala Ortodoxa da Ucrânia, chefiada pelo chamado Metropolita de Quieve e de Toda a Ucrânia, Epifânio, como uma comunidade cismática”.[13]

Em 25 de agosto de 2020, o Santo Sínodo da Igreja Ortodoxa Russa demitiu o Chefe do Exarcado Bielorrusso, Metropolita de Minsk e Zaslavsky Pavel (Ponomarev)[14]. O Bispo Benjamin (Tupeko) de Borisov e Maryingor foi nomeado o novo Exarca Patriarcal na Bielorrússia.[15]

O ExarcaEditar

 
Metropolita Benjamin

Benjamin (Tupeko) (nome secular Vitaly Tupeko; bielorrusso: Віталь Іванавіч Тупека; nascido em 16 de setembro de 1968, Luninets, Região de Brest) - Bispo da Igreja Ortodoxa Russa, Metropolita de Minsk e Zaslavsky, Exarca Patriarcal de Toda a Bielorrússia, Primaz da Igreja Ortodoxa da Bielorrússia (Exarcado da Bielorrússia do Patriarcado de Moscou), Membro permanente do Santo Sínodo da Igreja Ortodoxa Russa (ex officio). Administrador Temporário da Diocese de Borisov desde 25 de agosto de 2020 e da Diocese de Slutsk desde 9 de junho de 2021.[3][16][17]

EstruturaEditar

 
Eparquias ortodoxas bielorrussas

No início de 2015, a estrutura da Igreja Ortodoxa Bielorrussa consistia em 14 eparquias (dioceses), atualmente são 15[6]:

  • Diocese de Bobruisk
  • Diocese de Borisov
  • Diocese de Brest
  • Diocese de Vitebsk
  • Diocese de Gomel
  • Diocese de Grodno
  • Diocese de Lida
  • Diocese de Minsk
  • Diocese de Mogilev
  • Diocese de Molodechno
  • Diocese de Novogrudok
  • Diocese de Pinsk
  • Diocese de Polotsk
  • Diocese de Slutsk
  • Diocese de Turov

Links externosEditar

ReferênciasEditar

  1. «Белорусский экзархат Московского Патриархата / Организации / Патриархия.ru». Патриархия.ru (em russo). Consultado em 16 de outubro de 2021 
  2. «Carta da Associação Religiosa Republicana "Igreja Ortodoxa Bielo-russa" "Exarcado Bielo-russo do Patriarcado de Moscou" trechos das disposições principais.». church.by. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  3. a b «Официальный портал Белорусской Православной Церкви». church.by. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  4. «Schismatics using unrest in Belarus to try to further divide Moscow Patriarchate». OrthoChristian.Com. Consultado em 17 de agosto de 2020 
  5. «Exarcado Bielo-russo da Igreja Ortodoxa Russa». Enciclopédia Católica. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  6. a b «Белорусский Экзархат | Белорусский Экзархат | Официальный портал Белорусской Православной Церкви». www.church.by. Consultado em 17 de agosto de 2020 
  7. «Белорусскую православную церковь Лукашенко назвал главным идеологом страны». NEWSru.com (em russo). 8 de janeiro de 2008. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  8. «Александр Лукашенко, возможно, обсуждал возможность автокефалии белорусских православных». Газета.Ru (em russo). Consultado em 16 de outubro de 2021 
  9. «Слухи вокруг поездки Лукашенко в Турцию: он дразнит Москву возможным отделением белорусской церкви от РПЦ». NEWSru.com (em russo). 13 de outubro de 2010. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  10. «Автокефалистский аргумент Лукашенко». www.ng.ru (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2021 
  11. «Лукашенко не обсуждал с Патриархом Варфоломеем возможность автокефалии Белорусской церкви, заявляют в его администрации». NEWSru.com (em russo). 13 de outubro de 2010. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  12. «Интерфакс-Религия: Лукашенко не обсуждал с патриархом Варфоломеем возможность автокефалии Белорусской церкви, заявляют в его администрации». www.interfax-religion.ru. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  13. «Igreja Ortodoxa Bielo-russa reconheceu a nova Igreja Ortodoxa da Ucrânia como cismática.». Interfax.ru (em russo). Consultado em 16 de outubro de 2021 
  14. «Официальный портал Белорусской Православной Церкви». church.by. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  15. «РПЦ сменила главу Белорусской православной церкви». www.kommersant.ru (em russo). 25 de agosto de 2020. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  16. «Епископ Слуцкий Антоний назначен управляющим Гродненской епархией | Новости епархии | События | Официальный портал Слуцкой епархии». sluck-eparchiya.by. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  17. «Управляющий Слуцкой епархией митрополит Вениамин официально принял дела у епископа Антония | Новости епархии | События | Официальный портал Слуцкой епархии». sluck-eparchiya.by. Consultado em 16 de outubro de 2021