Abrir menu principal

Igreja da Misericórdia (Angra do Heroísmo)

igreja em Angra do Heroísmo, Portugal
Igreja da Misericórdia, Angra do Heroísmo.
"Cidade de Angra - Egreja da Misericórdia" (Álbum Açoriano, 1903).
Igreja da Misericórdia: interior.

A Igreja da Misericórdia localiza-se no Pátio da Alfândega, na confluência das ruas Direita e do Santo Espírito, no Centro Histórico de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, Região Autónoma dos Açores, em Portugal.

HistóriaEditar

AntecedentesEditar

O primeiro capitão do donatário de Angra, João Vaz Corte-Real, e demais confrades da irmandade do Espírito Santo instituíram por compromisso, a 15 de Março de 1492, na então vila de Angra, o primeiro hospital dos Açores. Destinava-se não apenas ao tratamento dos pobres e desvalidos, mas também dos enfermos enfraquecidos pelas longas viagens marítimas.

Situava-se na Ermida de Santo Espírito, vizinha à atual Igreja da Misericórdia, junto aos portões do mar no Pátio da Alfândega, que comunicavam com o cais por uma pequena rampa.

Pouco depois, em 1498, a confraria foi absorvida pela Casa da Misericórdia que, no compromisso fundacional tinha tinha consignada a construção de uma pequena igreja, adaptada à morfologia das ruas Direita e de Santo Espírito. O templo assim erguido apresentava fachada de três portas, encimadas por um óculo, voltada para a rua Direita, numa orientação Ocidente-Oriente, com largura maior do que o comprimento. Comunicava-se com o hospital por um passadiço elevado sobre a rua de Santo Espírito, detalhes que podem ser confirmados pela observação da carta de Jan Huygen van Linschoten (1595).

O atual temploEditar

O atual templo data do século XVIII, tendo a sua pedra fundamental sido lançada em 21 de Outubro de 1728, pelo Bispo de Angra, D. Manuel Álvares da Costa. As obras prolongaram-se por quase duas décadas, sendo consagrada em 4 de Junho de 1746, pelo Vigário-geral Manuel dos Santos Rolim (SANTOS, 1904).

No século XVIII esta igreja abrigava a Ordem de Nossa Senhora do Carmo, com a respectiva imagem, em virtude de contrato firmado em 22 de Fevereiro de 1766 com a Mesa da Misericórdia. A 17 de Março de 1804, esta foi transferida para a Igreja do Colégio de Angra, após despacho favorável da Junta da Fazenda, na pessoa do general conde de Almada, datado de 12 do mesmo mês, e concessão do bispo D. José Pegado de Azevedo (SANTOS, 1904).

No século XIX transferiu-se o hospital para o Convento das Concepcionistas, à Guarita.

O templo pertence atualmente à Santa Casa de Misericórdia de Angra do Heroísmo.

Encontra-se classificada como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 95/78, de 12 de Setembro, classificação consumida por inclusão no conjunto classificado da Zona Central da Cidade de Angra do Heroísmo, conforme a Resolução n.º 41/80, de 11 de Junho, e artigo 10.º e alínea a) do artigo 57.º do Decreto Legislativo Regional n.º 29/2004/A, de 24 de Agosto.

CaracterísticasEditar

Apresenta planta retangular com duas torres ladeando a fachada, cada uma delas encimada por um zimbório de pedra.

O pórtico foi considerado "acanhado e desproporcionado com a grandeza do templo" (SANTOS, 1904). Acima do pórtico, inscrevem-se as Armas Reais, encimadas por um nicho a meio do frontão (atualmente sem imagem), por um relógio e, em remate, uma pequena sineira que suporta uma cruz de ferro. O frontão é ladeado por duas pequenas torres sineiras quadrangulares, culminando cada uma num pequeno zimbório de pedra.

O seu interior é de uma só nave, possuindo, ao fundo uma espaçosa capela-mor (onde se encontra unicamente o Sacramento), seis capelas laterais, sobre as quais corre uma galeria com varandas sobre o interior do templo. São elas (SANTOS, 1904):

  • Do lado do Evangelho:
    • Capela do Espírito Santo
    • Capela de Nossa Senhora da Natividade
    • Capela da Santa Cruz
  • Do lado da Epístola:
    • Capela do Senhor Cristo da Misericórdia
    • Capela da Divina Pastora
    • Capela do Senhor Jesus das Chagas

No altar do Senhor Cristo da Misericórdia venera-se uma escultura do Senhor Santo Cristo, padroeiro da cidade.

Sobre o paravento da igreja desenvolve-se um largo coro alto, com órgão próprio.

Por detrás da capela-mor encontrava-se a sala das sessões da Misericórdia.

Nesta igreja destaca-se ainda um belo quadro a óleo representando a descida dos Apóstolos, e as chamadas "catacumbas", galerias abertas por baixo do piso para a instalação de colunas de aço para a sustentação do templo.

BibliografiaEditar

  • Angra do Heroísmo: Janela do Atlântico Entre a Europa e o Novo Mundo. Horta (Faial): Direcção Regional de Turismo dos Açores, s.d..
  • Diário dos Açores, 1955.
  • SANTOS, Alfredo da Silva. Memória sobre a Ilha Terceira. Angra do Heroísmo: Imprensa Municipal, 1904.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Igreja da Misericórdia (Angra do Heroísmo)