Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Indigènes
Dias de Glória (PRT)
 Argélia
 França
 Marrocos
 Bélgica

2006 •  cor/pb •  128 min 
Direção Rachid Bouchareb
Elenco Jamel Debbouze
Samy Naceri
Sami Bouajila
Roschdy Zem
Bernard Blancan
Género drama de guerra
Idioma língua francesa
língua árabe

Dias de Glória[1][2] (em francês: Indigènes) é um filme franco-argelino-belgo-marroquino de 2006, do gênero drama histórico e de guerra, dirigido por Rachid Bouchareb.

Índice

SinopseEditar

O filme mostra a luta dos 130 mil combatentes africanos das colônias francesas em 1943, durante a Segunda Guerra Mundial, onde precisam enfrentar o preconceito ao mesmo tempo em que lutam pela vitória da França.

ElencoEditar

  • Jamel Debbouze - Saïd
  • Samy Naceri - Yassir
  • Roschdy Zem - Messaoud
  • Sami Bouajila - Abdelkader
  • Bernard Blancan - Martinez
  • Mathieu Simonet - Leroux
  • Benoît Giros - Capitão Durieux
  • Mélanie Laurent - Margueritte
  • Antoine Chappey - Coronel
  • Assaad Bouab - Larbi
  • Aurélie Eltvedt - Irène
  • Thibault de Montalembert - Capitão Martin
  • Dioucounda Koma - Touré
  • Philippe Beglia - Rambert
  • Momo Debbouze - Djellal
  • Abdelkim Bouchareb - Ahmed
  • Abdelhamid Idjaini - Omar
  • Thomas Langmann - Jornalista

Prêmios e indicaçõesEditar

  A Wikipédia tem o

Oscar 2006

  • Indicado na categoria de melhor filme estrangeiro.

César 2007

  • Venceu na categoria de melhor roteiro original.
  • Indicado nas categorias de melhor filme, melhor diretor, melhor fotografia, melhor figurino, melhor edição, melhor trilha sonora, melhor som e melhor desenho de produção.

Independent Spirit Awards

  • Indicado na categoria de melhor filme estrangeiro.

Festival de Cannes 2006

  • Venceu na categoria de melhor ator (Jamel Debbouze, Samy Naceri, Roschdy Zem, Sami Bouajila e Bernard Blancan).

Referências