Abrir menu principal

Instituto Presbiteriano Mackenzie

(Redirecionado de Instituto Mackenzie)

O Instituto Presbiteriano Mackenzie[1] é uma instituição educacional de natureza confessional presbiteriana, cujo objetivo é de desenvolver atividades dentro de um ambiente de fé reformada, sendo também a entidade mantenedora da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio (FPM RIO), da Faculdade Presbiteriana Mackenzie Brasília (FPMB) e da Faculdade Evangélica Mackenzie do Paraná. Apesar de ostentarem nomes iguais, são independentes e autônomas entre si por força de dispostos constitucionais.

Possui uma rede educacional tradicional fundada por missionários presbiterianos em 1870 na cidade de São Paulo, Barueri (Campus Tamboré), Brasília, Campinas, Recife e Rio de Janeiro. Atuando desde o ensino fundamental até pós graduação, passando pelo médio e superior. Mesmo subordinada à Igreja Presbiteriana do Brasil, têm como filosofia institucional junto à universidade total independência e liberdade para pesquisar qualquer tema, não sendo permitido qualquer tipo de censura por tradição ou crenças religiosas.

História do Instituto[2]Editar

O Instituto Presbiteriano Mackenzie iniciou suas atividades em 1870, quando o casal de missionários presbiterianos George e Mary Ann Annesley Chamberlain chega à cidade de São Paulo.

A senhora Chamberlain recebeu meninos e meninas para a escola que se iniciava, fazendo valer o princípio que permanece até os dias de hoje: não fazer distinção de sexo, credo ou etnia. No ano seguinte foi constituída a Escola Americana, embrião do Colégio, que abrigava filhos de escravos e de famílias tradicionais.

Em 1876, agora na esquina das ruas Ipiranga e São João, a Escola Americana implantou dois novos cursos: Escola Normal e o Curso de Filosofia. Em 1879, Dona Maria Antônia da Silva Ramos, baronesa de Antonina, vendeu ao reverendo Chamberlain área de sua chácara em Higienópolis. Era o início de uma nova fase.

A fama da Escola Americana não se restringia ao Brasil, chegando aos ouvidos do advogado americano John Theron Mackenzie que, sem nunca ter vindo ao Brasil, deixou em testamento uma doação à Igreja Presbiteriana americana para que se construísse no Brasil uma escola de Engenharia. Desta forma, tem início o nome utilizado até hoje: Mackenzie.

Em fevereiro de 1896, teve início o curso da Escola de Engenharia Mackenzie, com diplomas ainda expedidos pela Universidade de Nova Iorque. Na década de 1940, foram criados novos cursos, como a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (1946); Faculdade de Arquitetura (1947); e a Faculdade de Ciências Econômicas (1950). Com essas quatro escolas superiores, em 1952, o Mackenzie é reconhecido como universidade pelo então presidente Getúlio Vargas. Em 1955 teve início a primeira turma da Faculdade de Direito.

Em 1965, o Mackenzie nomeia Esther de Figueiredo Ferraz como reitora, a primeira mulher a assumir esse cargo em universidades brasileiras.

Já em 1970, criou-se a Faculdade de Tecnologia, suprindo a demanda por profissionais qualificados em cursos superiores da área.

Em Agosto de 2005, o Instituto Presbiteriano Mackenzie incorporou uma antiga e renomada instituição de ensino localizada no Centro do Rio de Janeiro: a Faculdade Moraes Júnior - FMJ, tornando a atual Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio.[3]

Visando à formação global de seus alunos, o Mackenzie oferece a oportunidade de permanecerem na instituição desde a educação básica até a pós-graduação, em níveis de especialização (lato sensu), mestrado e doutorado (stricto sensu), nas unidades de São Paulo, Alphaville/Tamboré, Brasília, Campinas, Palmas, Rio de Janeiro, Castro, Dourados e Curitiba.

Em 28 de Setembro de 2018 o Hospital Universitário Evangélico de Curitiba e a Faculdade Evangélica do Paraná foram arrematados em leilão judicial por R$215 milhões de reais pelo consórcio ”MACK-HE Dourados”, formado pelo Instituto Presbiteriano Mackenzie e a Associação Beneficente Douradense. O montante arrecado foi destinado ao saneamento de débitos trabalhistas e com credores.[4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Mackenzie, Comunicação-Marketing. «O Instituto». Portal Mackenzie. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  2. Mackenzie, Comunicação-Marketing. «História do Instituto». Portal Mackenzie. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  3. Mackenzie, Comunicação-Marketing. «História». Portal Mackenzie. Consultado em 15 de março de 2019 
  4. «Em novo leilão, Hospital Evangélico de Curitiba é arrematado por R$ 215 milhões». Gazeta do Povo 

Ligações externasEditar