Abrir menu principal
Retrato de Vênus e do Cupido, c.1605-1610

Jacob de Gheyn II (também Jacques de Gheyn II) (c. 1565 - 1629) foi um pintor e gravador holandês, cujas obras representam a transição do Maneirismo Nórdico para o Realismo Holandês.

De Gheyn nasceu em Antuérpia e recebeu suas primeiras lições de arte de seu pai, Jacob de Gheyn I, um pintor de vitrais, gravador e desenhista técnico.[1] Em 1585, mudou-se para Haarlem, onde estudou com Hendrik Goltzius por cinco anos. Por 1600, de Gheyn abandonou a gravura e focou na pintura e em água-forte.

Ao mudar-se para Haia, em 1605, foi empregado pela Monarquia dos Países Baixos, projetando um jardim para Maurício de Nassau e, após, trabalhando para Frederico Henrique, Príncipe de Orange. De Gheyn pintou alguns dos primeiros nus femininos, vanitas e naturezas-mortas florais na Pintura dos Países Baixos. Morreu em Haia.

Referências

  1. Gheyn, de. (2000). Grove Dictionary of Art. Retrieved January 26, 2007.

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Jacob de Gheyn II

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.