João Almeida (ciclista)

ciclista português
João Pedro Almeida
Joao Almeida of Hagens Berman Axeon (48068730476).jpg
Informações
Nome nativo
João Pedro Gonçalves Almeida
Nascimento
Cidadania
equipa actual
equipas UCI

João Pedro Gonçalves Almeida (Caldas da Rainha, 5 de agosto de 1998) é um ciclista português, membro da equipa Deceuninck-Quick Step.

BiografiaEditar

Em 2016, João Almeida torna-se duplo campeão de Portugal, do ciclismo em estrada e do contrarrelógio.

Em 2017, apanha a equipa continental búlgara Unieuro Trevigiani-Hemus 1896.[1] No mês de abril, obtém o seu primeiro sucesso na terceira etapa da Tour de Mersin, onde domina num sprint a dois com Eduard Vorganov.[2] Cinco dias mais tarde, ele ganha com um sucesso na segunda etapa da Toscana-Terre de Cyclisme, que termina no quarto posto.[3] Nas semanas que seguem, classifica-se quarto da Volta a Ancara depois nono e melhor jovem da Volta à Ucrânia, após ter conseguido a última etapa.

Em 2018, assina com a equipa estadounidense Hagens Berman-Axeon.[4] Após um começo de temporada mais bem discreto em estrada, se ilustra no mês de abril resultando o primeiro ciclista português a conseguir Liège-Bastogne-Liège Esperanças.[5] Daqui por diante, mostra-se regular nas corridas por etapas nas prestigiosas do calendário esperança. É quinto e melhor jovem da Ronde d'Isard, depois segundo e melhor jovem do Giro d'Italia Esperanças, bem como sétimo da Tour de l'Avenir. Sobre pista, torna-se campeão de Portugal da corrida scratch. Em 2019, ele ganha ambos títulos nacionais em estrada nas esperanças e classifica-se quarto e melhor jovem do Tour de Utah.

As suas boas temporadas lhe permitem apanhar em 2020 o UCI WorldTeam Deceuninck-Quick Step.[6] Com esta equipa, é terceiro da Volta a Burgos ganhada pelo seu colega Remco Evenepoel, depois sétimo e melhor jovem da Tour de l'Ain. Em setembro, consegue o contrarrelógio por equipas da Semana internacional Coppi e Bartali, que termina no terceiro lugar final. Após um abandono no Giro de Lombardia, o seu primeiro Monumento, termina segundo da Giro de Emília a nove segundos de Aleksandr Vlasov. Participa depois no Giro d'Italia, a sua primeira grande volta, onde é promovido a líder devido à baixa de Remco Evenepoel. Durante o prólogo, classifica-se segundo por trás do italiano Filippo Ganna. Dois dias mais tarde, no topo da Etna, apodera-se aos 22 anos da camisola rosa de líder[7], uma primeira para um corredor português desde Acácio da Silva em 1989[8] Está classificado no mesmo tempo que o equatoriano Jonathan Caicedo, vencedor na etapa de Etna. Durante 15 dias consegue manter essa camisola, passando a ser o ciclista jovem (com menos de 23 anos) que mais dias envergou a camisola rosa no Giro d'Italia e o 3º em atividade com mais dias de camisola rosa [9], atrás de Vincenzo Nibali e Tom Dumoulin. Acabou o Giro d'Italia de 2020 no 4º lugar, sendo a melhor classificação de sempre de um português na prova[10].

Palmarés em estradaEditar

Resultados nas grandes voltasEditar

Giro d'ItaliaEditar

1 participação

  • 2020 :   camisola rosa durante 15 dias
  • 2020 : 4º lugar na geral individual [11]

Palmarés em pistaEditar

Campeonato de PortugalEditar

  • 2014
    •   Campeão de Portugal de corrida por pontos cadetes
  • 2018
    •   Campeão de Portugal do scratch
    • Top 5 no giro d'Itália

Referências

Ligações externasEditar