Abrir menu principal

João Filipe, Duque de Saxe-Altemburgo

InfânciaEditar

Quando o seu pai morreu em 1602, tanto Frederico como os seus irmãos mais novos (João Guilherme, Frederico e Frederico Guilherme) eram menores de idade. Por causa disso, o seu tio João (que se interessava mais por ciências da natureza e arte do que política) assumiu a sua guarda e dos seus irmãos, assim como a regência da sua herança; no entanto, pouco depois, acabou por assumir o governo de todo o ducado de Saxe-Weimar.

No ano seguinte (1603), os jovens príncipes de Saxe-Weimar exigiram receber a sua herança, mas o duque João opôs-se a essa decisão. No entanto, todas as partes chegaram a acordo que era necessário dividir as terras da famíliaː João Filipe e os seus irmãos ficaram com Altemburgo e algumas cidades próximas enquanto que João ficou com Weimar e Jena.

Uma vez que os irmãos ainda eram menores de idade, a regência dos ducados ficou a cargo de Cristiano II, Eleitor da Saxónia (1603–1611) e, mais tarde do irmão mais novo e sucessor, João Jorge I (1611–1618).

Idade adultaEditar

Em 1618, como era o irmão mais velho, João Filipe foi declarado oficialmente adulto e assumiu o governo de Saxe-Altemburgo, tornando-se também guardião dos seus irmãos. Os quatro irmãos governaram o ducado em conjunto, mas dois deles acabariam por morrer ainda novosː Frederico, que morreu em batalha em 1625, e João Guilherme, que morreu em Brieg em 1632.

João Filipe e o seu único irmão sobrevivente, Frederico Guilherme II, continuaram a governar em conjunto, no entanto, quem governou realmente foi João Filipe, que assumiu o controlo total e supremo do governo até à sua morte.

Em 1613, João Filipe foi nomeado reitor da Universidade de Leipzig e era também um membro activo da Sociedade Frutífera.

Em 1638, recebeu as cidades de Coburgo, Bad Rodach, Römhild, HildburghausenNeustadt, graças a um acordo com o ramo de Saxe-Weimar realizado após a morte do duque João Ernesto de Saxe-Eisenach, que não deixou descentes.

Antes de morrer, João Filipe escreveu um testamento no qual nomeou a sua filha como herdeira única do ramo de Saxe-Altemburgo, caso a linha masculina da família fosse extinta. Este testamento acabaria por levar a uma disputa entre os ramos de Saxe-Gota e Saxe-Weimar.

João Filipe foi sucedido pelo seu irmão mais novo, Frederico Guilherme II.

Casamento e descendênciaEditar

Em Altemburgo, a 25 de Outubro de 1618, João Filipe casou-se com a princesa Isabel de Brunswick-Wolfenbüttel (cunhada-viúva dos seus antigos regentes, os príncipes-eleitores da Saxónia Cristiano II e João Jorge I). Tiveram apenas uma filha:

  1. Isabel Sofia (10 de Outubro de 1619 - 20 de Dezembro de 1680), casada com Ernesto I, Duque de Saxe-Gota.

GenealogiaEditar

Os antepassados de João Filipe, Duque de Saxe-Altemburgo em três gerações
João Filipe, Duque de Saxe-Altemburgo Pai:
Frederico Guilherme I, Duque de Saxe-Weimar
Avô paterno:
João Guilherme, Duque de Saxe-Weimar
Bisavô paterno:
João Frederico I da Saxônia
Bisavó paterna:
Síbila de Cleves
Avó paterna:
Doroteia Susana do Palatinado-Simmern
Bisavô paterno:
Frederico III, Eleitor Palatino
Bisavó paterna:
Maria de Brandenburg-Kulmbach
Mãe:
Ana Maria do Palatinado-Neuburgo
Avô materno:
Filipe Luís, Duque Palatino de Neuburgo
Bisavô materno:
Wolfgang, Conde Palatino de Zweibrücken
Bisavó materna:
Ana de Hesse
Avó materna:
Ana de Cleves
Bisavô materno:
Guilherme, Duque de Jülich-Cleves-Berg
Bisavó materna:
Maria da Áustria

ReferênciasEditar