Abrir menu principal

José Del Nero

futebolista brasileiro

José Del Nero, ou simplesmente Del Nero (Pirassununga, SP, 13 de dezembro de 1910São Paulo, 14 de julho de 2003), foi um futebolista brasileiro.

Começou a carreira no Pirassununguense, de sua cidade natal, e teve uma rápida passagem pelo América-MG antes de ser descoberto por Maturo Fabbi, técnico do Palmeiras.[1] Meia rápido e veloz, sabia também ser duro na marcação, mas só foi expulso uma vez ao longo de sua carreira.[2] Pela raça, era conhecido como "Puro Sangue"[1] e "Sangue Azul".[2] Foi convocado pela primeira e única vez à seleção brasileira em 9 de janeiro de 1940[3] e disputou as duas últimas partidas da Copa Roca, ambas contra a Argentina. Na primeira, entrou aos 35 minutos do segundo tempo, no lugar de Afonsinho, embora Argemiro tivesse pedido substituição por estar machucado — o técnico Silvio Lagreca não quis nem saber.[3] Na segunda partida atuou os noventa minutos.

Depois de se aposentar do futebol, foi advogado e chegou a preparar um relatório em 1974 com sugestões de alterações nas regras do futebol para aumentar o número de gols, entre elas, a proibição do recuo de bolas para o goleiro em determinadas partes do campo e a vitória dada ao time com maior número de escanteios no caso de empate no número de gols.[2] Era pai do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero.[1]

TítulosEditar

Palmeiras
Seleção Brasileira

Referências

  1. a b c Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti, Almanaque do Palmeiras Placar, Editora Abril, 2004, págs. 457-458
  2. a b c "Que fim levou", Mauro Pinheiro, Placar número 231, 23/8/1974, Editora Abril, pág. 2
  3. a b Ivan Soter, André Fontenelle, Mario Levi Schwartz, Dennis Woods e Valmir Storti, Todos os jogos do Brasil, Editora Abril, 2006, págs. 68-69


  Este artigo sobre futebol brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.