Abrir menu principal

José Júlio de Bettencourt Rodrigues

Professor e político madeirense.
José Júlio de Bettencourt Rodrigues
Nascimento 8 de maio de 1843
Funchal
Morte 9 de abril de 1923 (79 anos)
Lisboa
Cidadania Portugal
Alma mater Universidade de Coimbra
Ocupação professor, político, escritor

José Júlio de Bettencourt Rodrigues ComSE (Funchal, , 8 de Maio de 1843Lisboa, 9 de Abril de 1923) foi um cientista, académico e político português.[1][2]

Índice

FamíliaEditar

Filho primogénito de José Júlio Rodrigues (Goa, Goa Norte, Bardez, Salvador do Mundo, 6 de Maio de 1812 - Luanda), Goês católico, Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, Delegado do Procurador Régio no Funchal, Juiz do Tribunal da Relação de Luanda, e de sua mulher (Funchal, Sé, 13 de Agosto de 1842) Teresa Cristina de Sá e Bettencourt (Funchal, Sé - ?).[3][4]

BiografiaEditar

Bacharel em Filosofia e Matemática pela Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, foi Professor no Liceu Nacional de Lisboa, Professor do Instituto Comercial e Industrial, Lente de Química da Escola Politécnica de Lisboa e do Instituto Industrial de Lisboa, que se notabilizou pela introdução em Portugal dos modernos métodos da investigação em Química.[5][6]

Foi Inspetor Técnico das Contribuições Industriais, Presidente do Mercado de Produtos Agrícolas, Fundador da Secção de Fotografia da Direcção-Geral de Trabalhos Geodésicos, Topográficos, Hidrográficos e Geológicos do Reino, etc.[5]

Foi, entre outras agremiações, Sócio da Academia Real das Ciências de Lisboa, do Instituto de Coimbra, da Sociedade de Geografia de Lisboa, Sócio Honorário da Sociedade de Ciências Médicas, Sócio da Société des Gens de Lettres e da Sociedade Francesa de Fotografia.[4][6]

Foi Conselheiro de Sua Majestade Fidelíssima, tendo sido agraciado com a Carta de Conselho em 1888, Comendador da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, Cavaleiro da Ordem Nacional da Legião de Honra de França e Oficial da Ordem da Instrução Pública de França.[5]

Deputado às Cortes pela Índia e pelo Funchal, autor duma vastíssima obra sobre geodésia, mineralogia, cartografia, fotografia, etc.[5][7][8][9]

Casamento e descendênciaEditar

Casou com Eulália Henriqueta de Bettencourt, sua prima direita, da qual teve um filho, também José Júlio de Bettencourt Rodrigues.[5]

Notas

  1. Aleixo Manuel da Costa, "Dicionário de Literatura Goesa", Vol. 3, p. 157 faz-se eco duma lenda que nasceu, vá lá saber-se porquê, de que estes irmãos se chamavam de Bettencourt porque eram conhecidos em Coimbra por os "bitoncares", talvez porque o pai era natural de Britona. Então para acabar com esse epíteto que lhes desagradava tê-lo-iam transformado em de Bettencourt! Esta lenda só foi possível por ignorar o seu autor que a mãe dos dois irmãos Rodrigues se chamava de Bettencourt, pelo que o nome que usaram era perfeitamente legítimo.
  2. José Júlio Bettencourt Rodrigues (1843-1893).
  3. Fernando de Meneses Vaz, "Famílias da Madeira e Porto Santo", Vol. 1, p. 138, tít. de Araújos, § 4.º, n.º 9
  4. a b "Os Luso-Descendentes da Índia Portuguesa", Jorge Eduardo de Abreu Pamplona Forjaz e José Francisco Leite de Noronha, Fundação Oriente, 1.ª Edição, Lisboa, 2003, Volume III N - Z, pp. 428 e 431
  5. a b c d e "Os Luso-Descendentes da Índia Portuguesa", Jorge Eduardo de Abreu Pamplona Forjaz e José Francisco Leite de Noronha, Fundação Oriente, 1.ª Edição, Lisboa, 2003, Volume III N - Z, p. 431
  6. a b «"Bettencourt Rodrigues" no Ciência em Portugal». Instituto Camões 
  7. de Bettencourt Rodrigues, José Júlio, "Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira", Vol. 4, p. 622
  8. Aleixo Manuel da Costa, "Dicionário de Literatura Goesa", Vol. 3, pp. 169 a 173
  9. Padre Fernando Augusto da Silva e Carlos de Azevedo de Meneses, "Elucidário Madeirense", Vol. 3, pp. 202 a 293

Ligações externasEditar