Abrir menu principal

Wikipédia β

Joshua Reynolds (Plymouth, 16 de Julho de 1723[1] –  Londres, 23 de Fevereiro de 1792[1]) foi um pintor inglês retratista[1]. Reynolds foi um dos principais retratistas do século XVIII [1]. Sua técnica e habilidade influenciaram as gerações futuras de pintores retratistas. Suas pinturas invocavam os valores morais clássicos. Seu estilo retratava muito as cores em fortes pinceladas e costumava pintar retratos de mulheres e crianças[1]. Deixou sua marca em pinturas ricas que exibiam o luxo. Foi o primeiro presidente da Academia Real Inglesa[1], preocupando-se em divulgar a arte através dos seus trabalhos e pregações aos estudantes e membros da academia britânica.

Joshua Reynolds
Auto-retrato, 1776.
Nome completo Joshua Reynolds
Nascimento 16 de julho de 1723
Plymouth (Devon),  Inglaterra
Morte 23 de fevereiro de 1792 (68 anos)
Londres,  Inglaterra
Residência Richmond upon Thames (1772-1792)
Nacionalidade inglês
Ocupação Pintor
Influências

Morreu em 1792 em Londres[1], e foi sepultado na Catedral de São Paulo.

Índice

CarreiraEditar

A primeira experiência artística de Reynolds começou ainda cedo, no ano de 1740, como aprendiz do pintor retratista de moda, Thomas Hudson, onde ficou até 1743. Após sua experiência com Hudson, Reynolds trabalhou por um tempo no Plymouth Dock como pintor de retratos. No mesmo ano, ele retornou a Londres, porém, com a morte do pai, em 1745, teve de voltar a Plymouth Dock, onde dividiu uma casa com as irmãs.[2]

Durante os anos anos de 1749 e 1752, a convite de Augustus Keppel, o autor se uniu à HMS Centurion e viajou pela Europa até chegar em Roma, onde viveu por dois anos. Em 1752, ele voltou à Inglaterra e, depois de passar três meses em Devon, retornou a Londres, onde morou até sua morte.

O Lorde Edgecumbe recomendou que o Duque de Devonshire e o Duque de Grafton posassem para ele, o que seguiu de mais pedidos de retratos, como aconteceu com o Duque de Cumberland, terceiro filho do George II.[3]

Royal AcademyEditar

Joshua Reynolds foi um dos primeiros artistas a se tornar membro da Royal Academy of Arts do Reino Unido e, em 1776, se tornou o primeiro presidente da Royal Academy. Em 1769, ele foi condecorado por George III, sendo apenas o segundo artista a conseguir tal feito.[4] Os discursos de Reynolds são lembrados por sua percepção e sensibilidade, como quando afirmou que "A invenção, estritamente falando, é pouco mais do que uma nova combinação dessas imagens previamente reunidas e depositadas na memória.".[5]

BiografiaEditar

Nascido em Plymouth[1] Reynolds fez o seu primeiro retrato com apenas 12 anos[1]!

Estudou em Londres com o retratista Thomas Hudson em 1740[1].

Em 1749 viaja a Itália[1].

Volta a Londres em 1752[1].

Funda o Clube Literário em 1764[1].

Torna-se no primeiro presidente da Real Academia em 1768[1].

Escreve e apresenta o seu primeiro Discursos em 1769[1].

Jorge III nomeia-o cavaleiro em 1769[1].

Em 1784 torna-se pintor do rei[1].

Morre a 23 de Fevereiro de 1792 em Londres[1].

ReferênciasEditar

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r La Historia del Arte, Blume,ISBN 978-84-8076-765-1
  2. Penny, Nicholas (1986). "The Ambitious Man". [S.l.]: Royal Academy of Arts. pp. p. 17–18 
  3. Penny, Nicholas (1986). "The Ambitious Man". [S.l.]: Reynolds (Exhibition catalogue). Royal Academy of Arts. pp. p. 22 
  4. Wendorf, Richard (1998). «Sir Joshua Reynolds: The Painter in Society». Cambridge, Mass.: Harvard University Press 
  5. William Jackson (1798). The Four Ages; Together with Essays on Various Subjects: Together with ... (em English). [S.l.]: Printed for Cadell andDavies 
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Joshua Reynolds
  Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.