Abrir menu principal
Juan Francisco Fresno Larraín
Cardeal da Igreja Católica
Arcebispo-emérito de Santiago do Chile
Atividade Eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Santiago do Chile
Nomeação 3 de maio de 1983
Entrada solene 10 de junho de 1983
Predecessor Dom Raúl Silva Henriquez
Sucessor Dom Carlos Oviedo Cavada
Mandato 1983 - 1990
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 18 de março de 1937
por Dom Horacio Campillo
Nomeação episcopal 15 de junho de 1958
Ordenação episcopal 15 de agosto de 1958
por Dom Alfredo Cifuentes Gómez
Nomeado arcebispo 28 de junho de 1967
Cardinalato
Criação 25 de maio de 1985
por Papa João Paulo II
Ordem Cardeal-presbítero
Título Santa Maria Imaculada de Lurdes em Boccea
Brasão
Escudo de Juan Francisco Fresno.svg
Dados pessoais
Nascimento Santiago (Chile)
24 de julho de 1914
Morte Santiago (Chile)
14 de outubro de 2004 (90 anos)
Nacionalidade chileno
Progenitores Mãe: Elena Larraín Hurtado
Pai: Luís Alfredo Fresno Ingunza
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Juan Francisco Fresno Larraín (26 de julho de 1914 - 14 de outubro de 2004) foi um cardeal chileno da Igreja Católica Romana. Ele serviu como Arcebispo de Santiago do Chile de 1983 a 1990, e foi elevado ao Cardinalato em 1985.

Índice

Início da vida e ordenaçãoEditar

Ele nasceu em Santiago do Chile como o filho de Luís Alfredo Fresno Ingunza e Elena Larraín Hurtado. Foi educado no seminário de Santiago do Chile e depois na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, onde se licenciou em teologia . Foi ordenado sacerdote em 18 de dezembro de 1937, na catedral de Santiago, por Horácio Campillo, arcebispo de Santiago.

Padre e bispoEditar

Entre 1937 e 1958, trabalhou como pastor, em diretor espiritual e foi vice-diretor do Seminário Menor. SS Papa Pio XII nomeou-o bispo de Copiapó em 15 de junho de 1958. Ele participou do Concílio Vaticano II . Ele foi promovido à sede metropolitana de La Serena em 28 de julho de 1971 pelo papa Paulo VI .

Presidente da Conferência Episcopal do ChileEditar

Ele foi eleito presidente da Conferência Episcopal do Chile em 1975. Ele desempenhou um papel fundamental nos esforços para restaurar a democracia no Chile durante a ditadura militar de Augusto Pinochet , fazendo contato com líderes da oposição e persuadindo-os a se unirem em um esforço pró-democracia. que incluía marxistas e o direito democrático. Após a queda de Pinochet, ele promoveu seus primeiros contatos de tensão com o governo e foi um dos apoiadores do Acuerdo Nacional para a Transição à Democracia Plena (Acordo Nacional para a Transição para a Democracia Plena). Isso, por sua vez, levou ao plebiscito nacional chileno, de 1988, que marcou o início do fim do regime militar.

CardealEditar

O Papa João Paulo II nomeou-o Arcebispo de Santiago do Chile em 3 de maio de 1983. Foi criado Cardeal-Sacerdote de S. Maria Immacolata de Lourdes a Boccea no consistório de 25 de maio de 1985. Ele renunciou ao governo pastoral da Arquidiocese em 30 de março de 1985. 1990. Ele perdeu o direito de participar de um conclave quando completou 80 anos de idade, em 1994.

MorteEditar

Ele morreu em 14 de outubro de 2004 às 20h50 em sua residência particular em Santiago.

ReferênciasEditar