Killing Eve

série de televisão norte-americana
Killing Eve
Killing Eve: Dupla Obsessão (BR)
Informação geral
Formato série
Gênero Drama[1]
Humor negro[2]
Suspense e espionagem[2]
Duração 41–55 minutos
Baseado em Série de livros Villanelle, de Luke Jennings
País de origem  Reino Unido
 Estados Unidos
Idioma original inglês
Produção
Produtor(es) Colin Wratten
Elinor Day
Produtor(es) executivo(s) Sally Woodward Gentle
Lee Morris
Phoebe Waller-Bridge
Emerald Fennell
Gina Mingacci
Damon Thomas
Câmera Câmera única
Distribuição IMG
Elenco
Música David Holmes
Keefus Ciancia
Empresa(s) produtora(s) Sid Gentle Films Ltd
Endeavor Content
Exibição
Emissora original Estados Unidos BBC America
Brasil Globoplay
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 8 de abril de 2018 (2018-04-08) – presente
Temporadas 3
Episódios 24 (lista de episódios)

Killing Eve é uma série de televisão britânica de suspense e espionagem, produzida no Reino Unido pela Sid Gentle Films para a BBC America. A série segue Eve Polastri (Sandra Oh), uma investigadora da inteligência britânica encarregada de capturar a assassina psicopata Villanelle (Jodie Comer); À medida que a perseguição avança, as duas desenvolvem uma obsessão mútua. Baseado na série de romances Villanelle, de Luke Jennings, cada uma das temporadas do programa apresentou uma showrunner feminino diferente. Phoebe Waller-Bridge foi a principal escritora da primeira temporada, enquanto Emerald Fennell assumiu a segunda temporada. Suzanne Heathcote liderou a terceira, e Laura Neal será encarregada da quarta – e talvez última – temporada.

O programa tem sido altamente bem-sucedido nos Estados Unidos e no Reino Unido, recebendo elogios da crítica tanto pela primeira quanto pela segunda temporada, principalmente por seus roteiros e performances das atrizes principais. A primeira temporada teve um crescimento ininterrupto nas classificações semanais, especialmente entre os adultos. A série recebeu vários elogios, incluindo do Prêmio Peabody e o British Academy Television Award de Melhor Série Dramática. Oh e Comer ganharam vários prêmios de Melhor Atriz por seus papéis, com Fiona Shaw ganhando um de Melhor Atriz Coadjuvante como Carolyn Martens.

A terceira temporada de Killing Eve entretanto, foi criticada ao minimizar o protagonismo de Sandra Oh em prol da personagem de Jodie Comer e do desenvolvimento redundante de personagens secundários. A hashtag "#whereiseve" foi utilizada por fãs a fim de expressar o descontentamento, fomentando discussões a respeito do racismo na indústria televisiva. Expectativas estão direcionadas à quarta temporada, confirmada sob o comando de Laura Neal.[3][4]

PremissaEditar

Entediada com seu papel de guarda de proteção dentro das agências de inteligência britânicas, Eve Polastri está muito interessada em assassinos, particularmente mulheres, suas psicologias e métodos de matar. Depois de investigar descaradamente os bastidores em relação a uma testemunha que ela está tratando, ela é demitida do MI5, mas recrutada por uma divisão secreta no MI6, perseguindo uma assassina internacional, para seu deleite. Apelidando a assassina de Villanelle, Eve cruza o caminho com ela e descobre que os membros de ambos os círculos secretos podem estar mais conectados do que ela gosta, mas forma uma atração e obsessão por Villanelle que é mais entusiasticamente correspondida; as duas mulheres começam a se concentrar menos em suas missões iniciais, a fim de buscar desesperadamente mais sobre a outra.[5]

EpisódiosEditar

 Ver artigo principal: Lista de episódios de Killing Eve
TemporadaEpisódiosOriginalmente exibido
Estreia da temporada Final da temporada
188 de abril de 2018 (2018-04-08)27 de maio de 2018 (2018-05-27)
287 de abril de 2019 (2019-04-07)26 de maio de 2019 (2019-05-26)
38[6]12 de abril de 2020 (2020-04-12)[6]31 de maio de 2020 (2020-05-31)[6]

Elenco e personagensEditar

Ator Personagem Temporadas
1 2 3
Sandra Oh Eve Polastri Principal
Jodie Comer Villanelle / Oksana Astankova Principal
Kirby Howell-Baptiste Elena Felton Principal
Fiona Shaw Carolyn Martens Principal
Kim Bodnia Konstantin Vasiliev Principal
Sean Delaney Kenny Stowton Principal
Owen McDonnell Niko Polastri Principal
David Haig Bill Pargrave Principal
Darren Boyd Frank Haleton Principal
Nina Sosanya Jess Principal
Edward Bluemel Hugo Turner Principal
Henry Lloyd-Hughes Aaron Peel Principal
Raj Bajaj Mo Jafari Principal
Turlough Convery Bear Principal
Steve Pemberton Paul Bradwell Principal
Danny Sapani Jamie Principal
Harriet Walter Dasha Principal

PrincipalEditar

  • Sandra Oh como Eve Polastri, uma oficial do MI5 que se torna obcecada por uma assassina notório[7][8]
  • Jodie Comer como Villanelle / Oksana Astankova, uma assassina psicopata habilidosa que se torna obcecada com uma oficial do MI5 que começa a rastreá-la[9]
  • Fiona Shaw como Carolyn Martens, chefe da Seção da Rússia no MI6[10]
  • Kim Bodnia como Konstantin Vasiliev, o manipulador de Villanelle
  • Owen McDonnell como Niko Polastri, marido de Eve, professor
  • Sean Delaney como Kenny Stowton, um ex-hacker que foi recrutado pelo MI6
  • Darren Boyd como Frank Haleton, supervisor de Eve no MI5 (primeira temporada)
  • Kirby Howell-Baptiste como Elena Felton, assistente de Eve (primeira temporada)[11]
  • David Haig como Bill Pargrave, associado do MI5 de Eve que vem com ela para o MI6 (primeira temporada)
  • Nina Sosanya como Jess, uma experiente agente do MI6 que agora trabalha como parte da equipe de Eve (segunda temporada)[12][13]
  • Edward Bluemel como Hugo Turner, um rico graduado em Oxford, que trabalha como parte da equipe de Eve no MI6 (segunda temporada)[12][13]
  • Henry Lloyd-Hughes como Aaron Peel, o herdeiro de uma empresa de tecnologia após o assassinato de seu pai, o magnata Alistair Peel (segunda temporada)[13]
  • Raj Bajaj como Mo Jafari, um jovem e promissor agente da MI6 (terceira temporada)
  • Turlough Convery como Bear
  • Steve Pemberton como Paul Bradwell, novo assessor de Carolyn e agente da MI6 (terceira temporada)
  • Danny Sapani como Jamie
  • Harriet Walter como Dasha, atleta olímpica que se tornou espiã, ex-treinadora e mentora de Villanelle (terceira temporada)

RecorrenteEditar

  • Susan Lynch como Anna, ex-professora de idiomas de Villanelle e interesse amoroso (primeira temporada)[14]
  • Adrian Scarborough como Raymond, um membro dos Doze e um dos ex-treinadores de Villanelle (segunda temporada)[13]
  • Shannon Tarbet como Amber Peel, irmã de Aaron (segunda temporada)[13]
  • Adeel Akhtar como Martin, especialista britânico em inteligência em psicopatas (segunda temporada)
  • Emma Pierson como Gemma, professora colega de Niko. (temporada 2)
  • Gemma Whelan como Geraldine Stowton (terceira temporada)

Participações especiaisEditar

  • Remo Girone como Cesare Greco, alvo de Villanelle (primeira temporada)
  • Julian Barratt como Julian, um homem mais velho que deixa Villanelle ficar com ele (segunda temporada)
  • Zoë Wanamaker como Helen Jacobsen, uma oficial sênior da Inteligência Britânica e chefe de Carolyn (segunda temporada)

ProduçãoEditar

Sally Woodward Gentle, da Sid Gentle Films, escolheu o Codename Villanelle de Luke Jennings, que começou como uma série de novela em quatro partes publicada de 2014–2016. Phoebe Waller-Bridge, após o sucesso de Fleabag no palco, foi recrutada para escrever o programa, que foi encomendado pela BBC America em novembro de 2016.[15] Sandra Oh foi a primeira a ser escalada em junho de 2017.[16] A IMG embarcou para os direitos de distribuição no mesmo mês.[17] Jodie Comer foi anunciada como personagem principal Villanelle cerca de um mês depois.[18] Kirby Howell-Baptiste foi escalado como Elena em agosto de 2017. A produção também começou em agosto de 2017, com filmagens em locais como Paris, Toscana, Berlim, Romênia,[19] Cheshunt, Londres[20] e West London Film Studios. O prédio usado como base de operações de Eve está localizado na Warwick House Street, perto da Trafalgar Square.[carece de fontes?]

Pouco antes de sua estréia, Killing Eve foi renovada para uma segunda temporada.[21][22] As filmagens para a segunda temporada começaram em 16 de julho de 2018.[23] Está definido para estrear na primavera de 2019.[24]

Episódios

Transmissão internacionalEditar

No Reino Unido, a série foi exibida na BBC One e também na BBC Three.[25] O primeiro episódio foi transmitido em 15 de setembro de 2018[26] e visto por 5,42 milhões de telespectadores dentro de sete dias da primeira transmissão.[27]

A emissora irlandesa RTÉ2 foi a primeira emissora na Europa a estrear o programa,[28] e o primeiro episódio foi transmitido em 27 de agosto de 2018..[29]

Já no Brasil, o Globoplay lançou a série no seu serviço de streaming, sendo um grande sucesso nessa plataforma e alavancando ainda mais os números de assinantes,tendo o primeiro episódio exibido em 31 de março de 2020, pela Rede Globo.[30]

RecepçãoEditar

Resposta críticaEditar

O show tem 97% de aprovação no Rotten Tomatoes com base em 58 avaliações, o consenso afirmando: "Sedutor e surpreendente, a reviravolta de Killing Eve no conceito espião vs. espião recompensa espectadores com um programa audaciosamente divertido que finalmente faz bom uso do talento de Sandra Oh."[31] Metacritic, que usa uma média ponderada, atribuiu uma pontuação de 83 em 100 com base em 22 críticos, indicando "aclamação universal".[32]

Jenna Scherer, escrevendo na revista Rolling Stone, descreveu Killing Eve como "hilária, sangrenta, inclassificável" e idiossincrática, "uma história elegante de obsessão e psicopatia que é calorosamente acolhedora e vivida". Scherer continuou a escrever que o programa "enfraquece todas as regras da TV", com o que faz melhor ser a "inteligência seca, a tensão do fio-máquina, o apelo sexual e a ameaçadora ameaça da violência". Hanh Nguyen escreveu no IndieWire que um dos aspectos mais atraentes do programa é "como ele subverte a expectativa", permitindo que "surpreenda e encante constantemente".[33] Na mesma linha, Troy Patterson escreveu em The New Yorker que a história revela "uma vida independente das convenções de gênero" e que o triunfo do estilo da série é sua "reconciliação entre o estranho e o íntimo", acrescentando que "Jason Bourne" O estilo de escapismo da premissa básica, infletido pelo tom assertivamente estranho, produz novas representações de medo e pesar".[34] No contexto da seleção de Sandra Oh como a melhor atriz na televisão (junho de 2018), Matt Zoller Seitz escreveu que não havia "precedentes" para os "extremos selvagens" dos "elementos de comédia e suspense" do programa".[35] Enquanto Mike Hale reconheceu no The New York Times que "cenas e caracterizações são diferentes de como estamos acostumados" e o estilo cômico é distinto, ele também escreveu – em contraste com a maioria dos críticos – de ser "tão consciente de show's) congruências com exemplos padrão do gênero ... como ... das diferenças", citando Berlin Station, La Femme Nikita, Covert Affairs e Homeland.[36]

Scherer descreveu o programa como uma versão feminina de um gênero tradicionalmente masculino – "mais interessado em dar espaço às batidas de personagens e ao estranho caos que pode vazar nos planos mais bem definidos".[37] Da mesma forma, Melanie McFarland escreveu para Salon que Killing Eve foi apelidada de "thriller feminista", chamando-a de "show perfeito para a era #MeToo", dizendo que "desperta o desejo de ver os misóginos porcos chegarem a eles". também investiga complexas questões de confiança entre as mulheres e mostra "a irmandade e o perigo (as) poderosos ... mas ... também complicados e desprovidos de garantias".[38] Na mesma linha, Willa Paskin escreveu em Slate que Killing Eve é uma história sobre "os perigos literais de subestimar as mulheres: de não ver a mulher que pode matá-lo, subestimando a mulher que pode impedi-la". Paskin acrescentou que o "coração desfigurado e pulsante" do programa é "a maneira como o gênero e a maneira de Villanelle, sua própria feminilidade, impedem que nossos cérebros aculturados fiquem apropriadamente apavorados com ela".[39]

Jia Tolentino reconheceu no The New Yorker como os críticos notaram que os personagens femininos substituem os homens "em todas as partes significativas", que os homens são "estereotipados", mas as mulheres são "profundamente estranhas". No entanto, Tolentino afirmou que Killing Eve "não é moldado em torno do conceito de mulheres; é moldado em torno dessas mulheres, que são diferentes de qualquer outro na sua estranheza, estranheza e fluxo interior". Ela acrescentou que uma característica definidora do programa é sua "reversão constante de tom e ritmo", com a emoção do programa surgindo "do padrão ao invés da resolução".[40]

Ben Goldberg escreveu em Into que a série "nunca explora as sexualidades de seus personagens, mas ao contrário de programas que queerbait suas audiências, Killing Eve não precisa nomear o relacionamento entre Eve e Villanelle, a fim de reconhecê-lo", acrescentando que o show " não evita a atração sexual de seus personagens, mas também complica essa narrativa a cada passo".[41]

Hannah Giorgis escreveu no The Atlantic que o maior sucesso do programa é "quão sedutor faz o seu vilão: tanto para Eve ... como para o público", e que o personagem de Villanelle subverte os estereótipos femininos para "esculpir um espaço irregular no serial-killer". cânone".[42]

Referências

  1. Waterson, Jim (7 de abril de 2019). «Killing Eve fans in UK may have to wait months to watch season two». The Guardian. Consultado em 1 de maio de 2019 
  2. a b Nicholson, Rebecca (15 de setembro de 2018). «'It's anarchic': the cast of Killing Eve on Phoebe Waller-Bridge's killer thriller». The Guardian. Consultado em 27 de abril de 2019 
  3. Webb Mitovich, Matt (8 de abril de 2019). «Killing Eve Renewed for Season 3». TVLine. United States. Consultado em 8 de abril de 2019 
  4. Snierson, Dan (3 de janeiro de 2020). «Killing Eve renewed for season 4». Entertainment Weekly 
  5. «About the Show». BBC America. Consultado em 24 de maio de 2018 
  6. a b c «Shows A-Z - killing eve on bbc america». The Futon Critic. Consultado em 2 de abril de 2020 
  7. «Sandra Oh To Star In Title Role Of Killing Eve BBC America Series». Deadline Hollywood 
  8. «BBC acquires Phoebe Waller-Bridge's Killing Eve». BBC Media Centre 
  9. «Killing Eve: Jodie Comer Cast As Lead In BBC America Series». Deadline Hollywood 
  10. «Sandra Oh's Killing Eve Gets Premiere Date, Intense First Photos». TVLine 
  11. «Killing Eve: Kirby Howell-Baptiste Cast As Series Regular In BBC America Drama». Deadline Hollywood 
  12. a b Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome ThreeJoinCastSeason2
  13. a b c d e Carr, Flora (10 de junho de 2019). «Meet the cast of Killing Eve series two». Radio Times. Consultado em 11 de junho de 2019 
  14. Knight, Lewis (26 de setembro de 2018). «Killing Eve: Who is Anna? The character from Villanelle's past revealed». Daily Mirror. Consultado em 11 de junho de 2019 
  15. «BBC America Greenlights Dark Thriller Series Killing Eve From Fleabag Creator». Deadline Hollywood 
  16. «Sandra Oh Cast in New BBC America Series Killing Eve». BBC America 
  17. «IMG Boards BBC America's Killing Eve With Sandra Oh». Deadline Hollywood 
  18. «Jodie Comer Cast Opposite Sandra Oh in BBC America's Killing Eve». BBC America 
  19. «Phoebe Waller-Bridge Twists the Spy Genre With BBC America's Thriller 'Killing Eve'» 
  20. «BBC America's New Thriller Killing Eve Starts Filming in Europe». BBC America 
  21. «Killing Eve Renewed for Season 2 at BBC America Ahead of Premiere». TVLine 
  22. «Sandra Oh's Killing Eve Renewed at BBC America». The Hollywood Reporter 
  23. damonUK (July 16, 2018). «And so it begins....#killingeve2» (Tweet) – via Twitter  Verifique data em: |data= (ajuda)
  24. «'Killing Eve' Returns Spring 2019 with Three Cast Additions». BBC America 
  25. «BBC - BBC acquires Phoebe Waller-Bridge's Killing Eve for BBC One and BBC Three - Media Centre». www.bbc.co.uk 
  26. «Twitter». mobile.twitter.com 
  27. «Weekly top 30 programmes - BARB». www.barb.co.uk 
  28. «RTÉ launches first-rate new autumn season» 
  29. «What's on? TV highlights for Monday» 
  30. TV, Notícias da (31 de março de 2020). «Com ex-Grey's Anatomy, Killing Eve vai passar na Globo; vale a pena assistir?» 
  31. «Killing Eve: Season 1 (2018)». Rotten Tomatoes 
  32. «Killing Eve: Season 1». Metacritic 
  33. «Killing Eve: TV's Newest Assassin Subverts Storytelling Cliches, Which Makes Her Scary as Hell». IndieWire 
  34. «Why "Killing Eve" Is Not the Show It First Appeared to Be» 
  35. «The Best Actress on TV Is Killing Eve's Sandra Oh». Vulture 
  36. «Review: In Killing Eve, Female Spy Hunts Female Assassin» 
  37. «'Killing Eve': The Cracked Female Spy-Thriller Buddy Comedy of the Year». Rolling Stone 
  38. «Feminist thriller "Killing Eve" has proven a perfect show for the #MeToo era». Salon 
  39. «Killing Eve Makes Murder Dangerously Fun». Slate 
  40. «The Pleasurable Patterns of the Killing Eve Season Finale» 
  41. «The Queer Ambiguity of Killing Eve» 
  42. «Killing Eve and the Riddle of Why Women Kill». The Atlantic 

Ligações externasEditar