Abrir menu principal

O Kyōto Shoshidai ( 京都所司代 Kyōto Shoshidai?) foi um posto administrativo e político responsável pela segurança da região de Kyōto no Período Edo da História do Japão [1]. A importância e eficácia do cargo foi reforçada pelo terceiro shogun Tokugawa Iemitsu, que desenvolveu as criações iniciais de elementos burocráticos em um todo consistente e coerente [2].

Papel do ShoshidaiEditar

Kyōto Shoshidai era o representante pessoal dos generais Oda Nobunaga e Toyotomi Hideyoshi , e foi institucionalizado como o representante do shogunato Tokugawa [3].

Tinha uma função semelhante ao Rokuhara Tandai dos Séculos XIII e XIV. Tandai era o nome dado aos governadores e magistrados das cidades importantes do shogunato Kamakura. O cargo tornou-se importante sob a Regência dos Hōjō e sempre foi realizada por um membro de confiança do Clã [4].

Sua funções foram ampliadas e passaram a estar hierarquicamente ligada ao Shogunato Tokugawa. O Shoshidai, geralmente escolhidos entre os daimyō fudai , e era o representante do Shogun na região de Kyōto, responsável pela manutenção de boas relações e da comunicação aberta entre o shogunato e a corte imperial [5]. Era também encarregado de controlar o acesso dos daimyōs à Corte. Supervisionava as medidas financeiras e judiciais, e garantia a segurança pessoal do Imperador e da Corte [2]. Por exemplo, o Shoshidai orientava o Magistrado de Kyōto ou o administrador municipal (o Machi-Bugyo) na prevenção e na organização do combate a incêndios nos palácios reais [6]. Neste contexto, o trabalho do shoshidai era acompanhado pelo administrador da corte (Kinri-Zuki Bugyō) [7] e pelo administrador da Corte do ex-imperador (Sendō-Zuki Bugyō), ambos nomeados pelo xogunato [2]. Também era o cabeça de uma rede de espiões, cuja tarefa era descobrir e relatar quaisquer fontes de sedição, insurreição ou outros tipos de agitação [8].

Como Governador-Geral de Kyōto e das oito províncias vizinhas [2], o Shoshidai era responsável pela coleta de impostos nas províncias e para outras funções inerentes a este cargo [2]. Os administradores de Nara e Fushimi, além do governador (Daikan) de Kyōto, e dos funcionários do Castelo de Nijō eram todos subordinados ao Shoshidai. Este detinha também o controle de fiscalização de todos os templos e santuários [2]. O Shoshidai tinha sua própria guarda pessoal (Yoriki) além dos efetivos policiais (Dōshin) [9] sob o seu comando [2].

Além de funções administrativas, o Shoshidai deveria participar em eventos cerimoniais com o objetivo de consolidar o poder e a influência do shogunato. Por exemplo, em setembro de 1617, uma delegação coreana foi recebido por Hidetada no Castelo Fushimi, e o Shoshidai foi convocado por duas razões: (1) para os coreanos, para ressaltar a importância da missão, e (2) para os kuges da corte, para se certificar de que eles estavam devidamente impressionado [10].

Para se qualificar para este alto cargo, deveria ter sido anteriormente governador de Osaka como um pré-requisito. O próximo requisito seria uma ligação pessoal com o Shogun que era mantida através de visitas a Edo a cada cinco ou seis anos para se reportar diretamente ao Shogun [2]. A rota convencional da promoção era do Governador de Osaka (Judai) para o Kyōto Shoshidai e dessa posição para o Alto Conselho de Anciãos ( Rōjū) [2]. O Shusidai ganhava uma renda de 10.000 koku anualmente, além da renda de seu próprio daimyō [8].

Em setembro de 1862, um concorrente, um cargo com funções parecidas foi criado, o "Kyoto Shugoshoku", foi criado em uma tentativa de fortalecer a facção Kōbu-gattai ( 公武合体 ? , um movimento para promover a cooperação entre a Corte e o Shogunato). O Kōbu-gattai era constituído por daimyō e kuges que buscavam uma maior parcela de poder político sem destruir o shogunato, em contraste com a facção mais radical, o Tōbaku ( 倒幕 derrubar o shogunato?) , que atraiu homens como Toshimichi Okubo. O escritório do Shugoshoku tinha essencialmente as mesmas funções que o Shoshidai, mas foi considerado hierarquicamente superior e apenas os membros do Clã Matsudaira foram nomeados para esse cargo [5].

O último Kyōto Shoshidai , Matsudaira Sadaaki , fazia parte do ramo Kuwana dos Tokugawa . Por uma questão prática, pode-se dizer que seu mandato terminou com sua renúncia em 1867, mas as questões não estavam tão calmas na época. Após o édito imperial que sancionou a restauração do governo imperial (Novembro de 1867), houve um lapso de tempo antes que o cargo de Shoshidai fosse abolido (janeiro de 1868) e os assuntos da cidade foram temporariamente confiados aos clãs de Sasayama (Aoyama), Zeze (Honda) e Kameyama (Matsudaira)[11].

Kyōto Shoshidai do Período EdoEditar

Kyōto Shoshidai do Período Edo
Ordem Nome Duração Notas
1 Okudaira Nobumasa 1600–1601
2 Itakura Katsushige 1601–1619
3 Makino Chikashige 1654–1668
4 Itakura Shigenori 1668–1670
5 Nagai Naotsune 1670–1678
6 Toda Tadamasa 1678–1681
7 Inaba Masamichi 1681–1685
8 Tsuchiya Masanao 1685–1687
9 Naitō Shigeyori 1687–1690
10 Matsudaira Nobuoki 1690–1691
11 Ogasawara Nagashige 1691–1697
14 Matsudaira Nobutsune 1697–1714
15 Mizuno Tadayuki 1714–1717
16 Matsudaira Tadachika 1717–1724
17 Makino Hideshige 1724–1734
18 Toki Yoritoshi 1734–1742
19 Makino Sadamichi 1742–1749
20 Matsudaira Sukekuni 1749–1752
21 Sakai Tadamochi 1752–1756
22 Matsudaira Terutaka 1756–1758
23 Inoue Masatsune 1758–1760
24 Abe Masasuke 1760–1764
25 Abe Masachika 1764–1768
26 Doi Toshisato 1769–1777
27 Kuze Hiroakira 1777–1781
28 Makino Sadanaga 1781–1784
29 Toda Tadatō 1784–1789
30 Ōta Sukeyoshi 1789-1782
31 Hotta Masanari 1792–1798
32 Makino Tadakiyo 1798–1801
33 Doi Toshiatsu 1801–1802
34 Aoyama Tadayasu 1802–1804
35 Inaba Masanobu 1804–1806
36 Abe Masayoshi 1806–1808
37 Sakai Tadayuki 1808–1815
38 Ōkubo Tadazane 1815–1818
39 Matsudaira Norihiro 1818–1823
40 Naitō Nobuatsu 1823–1825
41 Matsudaira Yasutō 1825–1826
42 Mizuno Tadakuni 1826–1828
43 Matsudaira Muneakira 1828–1832
44 Ōta Sukemoto 1832–1834
45 Matsudaira Nobuyori 1834–1837
46 Doi Toshitsura 1837–1838
47 Manabe Akikatsu 1838–1840
48 Makino Tadamasa 1840–1843
49 Sakai Tadaaki 1843–1850
50 Naitō Nobuchika 1850–1851
51 Wakisaka Yasuori 1851–1857
52 Honda Tadamoto 1857–1858
53 Sakai Tadaaki 1858–1862
54 Matsudaira Munehide 1862 Daimyō de Tango-Miyazu, depois envolvido em negociações internacionais .
55 Makino Tadayuki 1862–1863 Daimyō de Nagaoka.
56 Inaba Masakuni 1863–1864
57 Matsudaira Sadaaki 1864–1867 Último Shoshidai; irmão de Matsudaira Katamori.


Referências

  1. Shinsho Ito "Hideyoshi's Inauguration to Kampaku and the Foundation of Shoshidai," Journal of Japanese history (em inglês) Vol.419 (1997) pp. 1-19.
  2. a b c d e f g h i Francis Brinkley A History of the Japanese People from the Earliest Times to the End of the Meiji Era, (em inglês) Encyclopaedia Britannica Company, 1915 p. 632 -636
  3. Louis Frédéric Nussbaum Kyōto-shosidai in Japan Encyclopedia, (em inglês) Harvard University Press, 2002 pp. 587 ISBN 9780674017535
  4. James Murdoch A History of Japan, Vol. 1 (em inglês) Routledge, 1996 p. 10 ISBN 9780415154154
  5. a b William G. Beasley Select Documents on Japanese Foreign Policy, 1853-1868(em inglês) Oxford University Press, 1955 pp. 301 - 325.
  6. Maruyama, Toshiaki. "The Fire Fighting for the Royal Palace by Kyoto Shoshidai and Machi-bugyō-shō: A study on the fire fighting in Kyoto under Tokugawa era (No.3) Journal of Architecture and Planning, Architectural Institute of Japan . No.591(2005), (em japonês) pp. 149-153
  7. Louis Frédéric Nussbaum Kinri-zuki in Japan Encyclopedia, (em inglês) Harvard University Press, 2002 pp. 525 ISBN 9780674017535
  8. a b James Murdoch A History of Japan,(em inglês) Routledge, 1996 p. 134 ISBN 9780415154154
  9. Louis Frédéric Nussbaum Dōshin in Japan Encyclopedia (em inglês) Harvard University Press, 2002 pp. 587 ISBN 9780674017535
  10. Ronald Toby State and Diplomacy in Early Modern Japan: Asia in the Development of the Tokugawa Bakufu, (em inglês) Stanford University Press, 1984 p. 69 ISBN 9780804719520
  11. Richard Ponsonby-Fane Kyoto: the Old Capital, 794-1869 (em inglês)Ponsonby Memorial Society, 1966 pp. 326-327.


  Este artigo sobre História do Japão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.