Língua lehali

Lehali (Loli - Predefinição:IPA-xx)
Falado(a) em: Vanuatu
Região: Ureparapara
Total de falantes: 200 (2010)
Família: Austronésia
 Malaio-Polinésia
  Oceânica
   Oceânica Meridional
    Vanuatu
     Vanuatu Setentrional
      Torres–Banks
       Lehali (Loli - Predefinição:IPA-xx)
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: tql

Lehali anteriormente conhecido como Teqel) é uma língua Oceânica falada por cerca de 200 pessoas, na costa oeste da ilha Ureparapara em Vanuatu.[2] É diferente de Löyöp, a língua falada na costa leste da mesma ilha.

Um falante de Lehali, gravado em Vanuatu.[1]

NomeEditar

A língua tem o nome da aldeia onde é falada, nativamente referida como Loli Predefinição:IPA-xx. O nome Lehali não tem nenhum valor etimológico, além de ser uma corrupção do nome nativo.

FonologiaEditar

Lehali apresenta 16 fonemas consoantes e 10 vogais [3]

ConsoantesEditar

Consoantes Lehali
Bilabial Alveolar Dorsal Labializada
velar
Glotal
Nasal m ⟨m⟩ n ⟨n⟩ ŋ ⟨n̄⟩ ŋʷ ⟨n̄w⟩
Oclusiva surda p ⟨p⟩ t ⟨t⟩ k ⟨k⟩ ⟨q⟩
prénasalizada ⁿd ⟨d⟩
Fricativa β ⟨v⟩ s ⟨s⟩ ɣ ⟨g⟩ h ⟨h⟩
semivogal l ⟨l⟩ j ⟨y⟩ w ⟨w⟩

VogaisEditar

Os 10 fonemas vocálicos são todos monotongos curtos /i ɪ ɛ æ ə a ɒ̝ ɔ ʊ u/:[4][3]

Vogais Lehali
Anterior Central Posterior
Fechada i ⟨i⟩ u ⟨u⟩
quase Fechada ɪ ⟨ē⟩ ə ⟨ë⟩ ʊ ⟨ō⟩
meio Aberta ɛ ⟨e⟩ ɔ ⟨o⟩
quase Aberta æ ⟨ä⟩ ɒ̝ ⟨ö⟩
Aberta a ⟨a⟩

EscritaEditar

A forma do alfabeto latino usado pelo língua não apresenta as letras B, C, F, J, R, X, Z. Usam-se as formas n̄ e n̄w

GramáticaEditar

O sistema de ppronomes pessoais em Lehali contrasta clusividadena 1ª pessoa do plural, e distingue quatro númerosgramaticais (singular, dual, trial, plural).[5]

A referência espacial em Lehali é baseada em um sistema de direcionais geocêntricos absolutos, o que é algoe típico das línguas oceânicas, e também inovador.[6]

NotasEditar

  1. Uma tradução aproximada pode ser encontrada nos comentários ao Youtube version of this video.
  2. List of Banks islands languages.
  3. a b François (2021).
  4. François 2011, p. 194.
  5. François 2016.
  6. François 2015, pp. 175–176.

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar