Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Lúcio Antunes de Sousa
Bispo da Igreja Católica
Bispo do Botucatu
Atividade Eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Botucatu
Nomeação 20 de outubro de 1908
Predecessor criação diocese
Sucessor Dom Carlos Duarte Costa
Mandato 1908 - 1929
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 31 de maio de 1890
Diamantina, Minas Gerais
por Dom João Antônio dos Santos
Nomeação episcopal 20 de outubro de 1908
Ordenação episcopal 15 de novembro de 1908
Roma, Itália
por Dom Joaquim Cardeal Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti
Dados pessoais
Nascimento Monte Azul, Minas Gerais
13 de abril de 1863
Morte Botucatu, São Paulo
19 de outubro de 1923 (60 anos)
Nacionalidade Italiano
brasileiro
Progenitores Mãe: Joana Maria da Soledade
Pai: Antônio Antunes de Sousa
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Lúcio Antunes de Sousa (13 de abril de 186319 de outubro de 1923) foi bispo católico brasileiro, o primeiro da Diocese de Botucatu.

BiografiaEditar

Dom Lúcio nasceu na Fazenda Brejo dos Mártires, na freguesia de Boa Vista do Tremedal, província de Minas Gerais. Era filho de Joana Maria da Soledade e do coronel Antônio Antunes de Sousa.

Ingressou no Seminário de Diamantina em 1880. Foi ordenado presbítero em 31 de maio de 1890 (mesmo ano do decreto n. 119-A, de 7 de janeiro, que extinguiu o padroado). Até sua eleição para bispo de Botucatu no segundo semestre de 1908, Padre Luciano atuou como professor do seminário, como pároco de Montes Claros e como secretário de bispado no âmbito da Diocese de Diamantina.

Feito cônego em 1902, Lúcio foi um dos primeiros colaboradores, para alguns até mesmo co-fundador, do periódico diocesano "A Estrella Polar" cuja primeira edição data do ano de 1903 e foi impresso ininterruptamente ao longo do século XX, sendo um dos mais antigos periódicos católicos em atividade.

Eleito para o episcopado, Lúcio dirigiu-se a Roma, onde foi sagrado por D. Joaquim Arcoverde, D. Joaquim Silvério de Souza e D. Francisco do Rego Maia na Capela do Colégio Pio Latino-americano em 15 de novembro de 1908.

De volta a Minas Gerais, escreveu, ao longo do mês de janeiro de 1909, a sua primeira e única Carta Pastoral, intitulada "Da União dos Catholicos" (1909). Tomou posse de sua diocese no dia 20 de fevereiro de 1909. Dois anos depois, em 25 de março de 1911, inaugurava o Seminário São José.

Em 1912, acolheu as Irmãs de Santa Marcelina na fundação do Colégio dos Anjos (renomeado em 1953 como Colégio Santa Marcelina). Em 1917, inaugurou um dos mais belos Palácios Episcopais do Brasil, construído a partir de planta da chancelaria romana.

Visitou sua extensa diocese de 128.940 quilômetros quadrados por três vezes.

D. Lúcio faleceu em Botucatu no dia 19 de outubro de 1923. Seus restos mortais encontram-se na cripta da Catedral de Botucatu.

ReferênciasEditar

ALMEIDA, Luiz Castanho de. Dom Lúcio (1863-1923). São Paulo: Editora Odeon, 1938.

AQUINO, Maurício de. A criação da diocese de Botucatu-SP entre projetos civis e eclesiásticos (1904-1909). In: XII SIMPÓSIO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE HISTÓRIA DAS RELIGIÕES, 2011, Juiz de Fora - MG. http://www.abhr.org.br/plura/ojs/index.php/plura/index ISSN/ISBN 21790019.

AQUINO, Maurício de. A Igreja de Botucatu sob a gestão diocesana de D. Lúcio Antunes de Sousa (1909-1923). In: XI ENCONTRO REGIONAL DA ANPUH-PR/ XX SEMANA DE HISTÓRIA DA FAFIJA, 2008, Jacarezinho-PR. http://www.fafija.br/anpuh/textos/093.pdf ISSN/ISBN:9788561646011