Lúcio Cornélio Lêntulo Caudino (cônsul em 237 a.C.)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Lúcio Cornélio Lêntulo.

Lúcio Cornélio Lêntulo Caudino (em latim: Lucius Cornelius Lentulus Caudinus) foi um político da gente Cornélia da República Romana eleito cônsul em 237 a.C. com Quinto Fúlvio Flaco. Era filho de Lúcio Cornélio Lêntulo Caudino, cônsul em 275 a.C., e irmão de Públio Cornélio Lêntulo Caudino, cônsul no ano seguinte. Além de ter sido pontífice máximo entre 217 e 213 a.C., foi o primeiro de sua família a utilizar abertamente o agnome "Caudino".[2]

Lúcio Cornélio Lêntulo Caudino
Cônsul da República Romana
Consulado 237 a.C.
Morte 213 a.C.[1]
Lúcio Cornélio Lêntulo Caudino
Nascimento Século III a.C.
Morte 213 a.C.
Cidadania Roma Antiga
Progenitores Pai:Lúcio Cornélio Lêntulo Caudino
Filho(s) Cneu Cornélio Lêntulo, Lúcio Cornélio Lêntulo
Ocupação político, militar

Cneu Cornélio Lêntulo, cônsul em 201 a.C., e Lúcio Cornélio Lêntulo, cônsul em 199 a.C., eram provavelmente seus filhos.

Consulado (237 a.C.) e censorado (236 a.C.)Editar

Foi eleito cônsul em 237 a.C. com Quinto Fúlvio Flaco[3].

Foi eleito censor em 236 a.C. com Quinto Lutácio Cercão, que morreu no cargo.[3]

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Tibério Semprônio Graco

com Públio Valério Falto

Quinto Fúlvio Flaco
237 a.C.

com Lúcio Cornélio Lêntulo Caudino

Sucedido por:
'Públio Cornélio Lêntulo Caudino

com Caio Licínio Varo


Referências

BibliografiaEditar