Quinto Lutácio Cercão

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Quinto Lutácio Cátulo.

Quinto Lutácio Cercão (em latim: Quintus Lutatius Cerco) foi um político da gente Lutácia da República Romana eleito cônsul em 241 a.C. com Aulo Mânlio Torquato Ático. Era irmão do almirante Caio Lutácio Cátulo, herói da Batalha das ilhas Égadas contra os cartagineses.

Quinto Lutácio Cercão
Cônsul da República Romana
Consulado 241 a.C.
Morte 236 a.C.

Consulado (241 a.C.)Editar

Em 241 a.C., o vigésimo-quarto e último ano da Primeira Guerra Púnica, foi eleito novamente, desta vez com Aulo Mânlio Torquato Ático. Segundo o cronista João Zonaras, era irmão de Cátulo, o que é consistente com a informação nos Fastos Capitolinos, que atribui aos dois o mesmo pai, chamado "Caio". Zonaras informa que Cercão foi enviado à Sicília para administrar os novos territórios conquistados por seu irmão.

Finalizada a guerra contra os cartagineses, começou uma revolta entre os faliscos contra Roma, mas os motivos não são claros. Os dois cônsules foram enviados para a região para acabar com a agitação, o que foi feito em apenas seis dias, o que rendeu a Roma metade do território falisco, a destruição de sua capital, Falérios, cuja população foi obrigada a se mudar para um local na planície, muito menos defensável. Por conta desta vitória, Ático e Cercão celebraram um triunfo.

Censor (236 a.C.)Editar

Foi eleito censor em 236 a.C. com Lúcio Cornélio Lêntulo Caudino, mas morreu no mesmo ano.[1]

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Caio Lutácio Cátulo

com Aulo Postúmio Albino

Aulo Mânlio Torquato Ático II
241 a.C.

com Quinto Lutácio Cercão

Sucedido por:
'Caio Cláudio Centão

com Marco Semprônio Tuditano


Referências

BibliografiaEditar

Fontes primáriasEditar

Fontes secundáriasEditar