Lúcio Valério Messala Voleso

Lúcio Valério Messala Voleso (em latim: Lucius Valerius Messalla Volesus) foi um senador romano da gente Valéria eleito cônsul em 5 juntamente com Cneu Cornélio Cina Magno. Era filho de Potito Valério Messala, cônsul sufecto em 29 a.C. e prefeito urbano.

Lúcio Valério Messala Voleso
Cônsul do Império Romano
Consulado 5 d.C.

CarreiraEditar

Voleso serviu primeiro como triúnviro monetário e depois como procônsul da Ásia antes do consulado. No final de sua carreira, Voleso foi acusado de julgado e condenado por crimes contra as populações que governou[1]. Segundo Tácito, o próprio imperador Augusto escreveu sobre a queda de Lúcio Voleso em seu livro "De Voleso Messala", hoje perdido[2]. Conta-se que chegou a mandar decapitar 300 pessoas em um único dia e que teria cavalgado sobre elas afirmando tratar-se "de um espetáculo real ou mais que real, já que nenhum rei o havia feito antes".

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Sexto Élio Cato

com Caio Sêncio Saturnino
com Cneu Sêncio Saturnino (suf.)
com Caio Clódio Licino (suf.)

Lúcio Valério Messala Voleso
5

com Cneu Cornélio Cina Magno
com Caio Víbio Póstumo (suf.)
com Caio Ateio Capitão (suf.)

Sucedido por:
'Marco Emílio Lépido

com Lúcio Arrúncio
com Lúcio Nônio Asprenas (suf.)


Referências

  1. Sêneca, De Ira II 5,5
  2. Tácito Anais III 68, 1