Ladislau da Guia

futebolista brasileiro

Ladislau Antônio da Guia, ou simplesmente, Ladislau da Guia, (Rio de Janeiro, 27 de junho de 1906Rio de Janeiro, 31 de outubro de 1988) foi um futebolista brasileiro que atuou como atacante.[1][2][3]

Ladislau da Guia
Ladislau da Guia
Ladislau no Bangu (1938-1940)
Informações pessoais
Nome completo Ladislau Antônio da Guia
Data de nascimento 27 de junho de 1906
Local de nascimento Rio de Janeiro, Distrito Federal, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Data da morte 31 de outubro de 1988 (82 anos)
Local da morte Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Altura 1,90 m
destro
Apelido Tijoleiro, Tijolo Quente
Informações profissionais
Posição atacante
Clubes de juventude
Bangu
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1922–1933
1933
1933–1936
1936
1936
1937
1937
1938–1940
1941
Bangu
Flamengo
Bangu
Vasco
Flamengo
Bangu
São Paulo
Bangu
Canto do Rio
0325 00(222)
Seleção nacional
1931–1938 Seleção Carioca

Era irmão de Domingos da Guia e tio de Ademir da Guia.

Carreira editar

Foi o primeiro artilheiro "grandalhão" de sucesso no futebol brasileiro. Estreou em 1922 e jogou como centroavante no Bangu até 1940. É o maior artilheiro da história do clube com 222 gols, em 325 jogos,[4] com média de 0,68 gols por jogo, era conhecido como "Ladislau, o Tijoleiro" por conta de seus chutes potentes, chutes estes que ganharam o apelido de “Tijolo quente”, era um chute seco e altamente potente. Tinha presença constante nas convocações da Seleção Carioca de Futebol, foi convocado para a Copa do Mundo FIFA de 1930, mas preferiu ficar no Bangu.

Foi artilheiro do Campeonato Carioca de 1930, quando marcou 20 gols,[5] e em 1935 quando fez 18 gols liga FMD.

Muito assediado por outros clubes, Ladislau teve passagens relâmpago em outros agremiações: No começo de 1936, foi contratado pelo Vasco, em excursão ao nordeste do país. Depois, voltou para o Bangu no Campeonato Estadual, em outubro, foi contratado pelo Flamengo [1] – time pelo qual já havia feito uma excursão ao Uruguai, em 1933. Ficou pouco tempo. Fez 15 jogos e marcou sete gols. Voltou para o Bangu em junho de 1937. Em outubro, foi para o São Paulo, mas atuou em apenas uma partida. Em novembro, já estava de volta ao Bangu. Em 1941, foi atuar no Canto do Rio, em sua última temporada como profissional. Depois, voltou ao Bangu para ser o destaque da equipe de veteranos. Aproveitando-se do físico avantajado e foi trabalhar na Polícia, aposentou-se como agente da Polícia Especial do Exército.[2]

Títulos editar

Bangu
Flamengo
Vasco da Gama
  • Torneio Terra e Mar: 1936
Seleção Carioca

Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais: 1931, 1935, 1936, 1938

Ver também editar

Referências

  1. «LADISLAU DA GUIA». Bangu AC. Consultado em 19 de maio de 2024 
  2. «Ladislau da Guia». Heróis da Bola. Consultado em 19 de maio de 2024 
  3. «Quais são os maiores artilheiros da história do Campeonato Carioca?». Lance!. Consultado em 19 de maio de 2024 
  4. «80 CURIOSIDADES SOBRE ADEMIR DA GUIA NOS 80 ANOS DO CRAQUE». palmeiras.com.br. Consultado em 19 de maio de 2024 
  5. «Todos os campeões e artilheiros do Carioca». O Globo. Consultado em 19 de maio de 2024 
   Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.