Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais

O Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais foi uma competição disputada entre os melhores jogadores de clubes do mesmo estado, entre 1922 e 1962, com regularidade anual, bienal ou trienal, além de uma edição isolada em 1987.[2] Das 30 edições,[3][4] 26 foram organizadas pela CBD, três pela FBF (1933 a 1935) e a última pela CBF (1987), sucessora da CBD.[5] Em dois anos, 1934 e 1935, houve torneio pelas duas instituições (CBD e FBF).[5]

Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais
Brasileirão de Seleções
Dados gerais
Organização CBD/CBF, FBF
Edições 30[1]
Local de disputa Brasil
Sistema Temporada
editar

A convocação era relacionada ao Estado do time do jogador, não ao seu local de nascimento. Como exemplo, o mineiro Pelé, jogador do Santos, que se apresentou pela Seleção Paulista.[6]

História editar

O nome oficial da competição, dado pela CBD, foi "Campeonato Brasileiro" ou "Campeonato Brasileiro de Futebol".[7][8][9][10] Passou a ser referida como "Campeonato Brasileiro de Seleções" ou "Campeonato Brasileiro de Seleções de Estaduais" (CBSE), como forma de diferir do atual Campeonato Brasileiro de Futebol entre clubes, regularmente disputado desde 1959, mas que adotaria esta nomenclatura de forma oficial, pela CBF, apenas em 1989.[9][10][11][12][13] Conforme o jornalista Mário Filho (1946), em 1920, dois anos antes do primeiro CBSE, a CBD já havia organizado "um torneio a que deu o título de Campeonato Brasileiro", o triangular entre os clubes campeões estaduais de RJ (DF), SP e RS.[7] Ainda mais antigamente, em 1907, foi jogada a Taça Brasil, tira-teima de ida-e-volta entre as seleções Carioca e Paulista, organizada pelas respectivas federações estaduais, que usaram a rubrica "Campeonato Brasileiro" na comunicação entre si.[7][8]

A primeira edição, em 1922, foi vencida pela Seleção de São Paulo contra a Seleção do Rio de Janeiro (antigo Distrito Federal), em 13 de agosto, pelo placar de 4 a 1. A Folha de S.Paulo do dia seguinte (14/08) destaca que na conquista do "Campeonato Brasileiro de futebol de seleções estaduais", ocorrida na praça de esportes do Parque Antarctica, "A equipe paulista atuou com firmeza. Os dianteiros foram incansáveis, desenvolvendo aquela técnica impecável".[14] Só neste primeiro campeonato de seleções envolvendo sete estados que a CBD passou a referir uma competição oficialmente como "Campeonato Brasileiro.[7]

Também aponta Mário Filho que, diante do resultado frustrante dos cariocas nesta primeira edição, a mídia local passou a questionar e negar o caráter de "Campeonato Brasileiro", adotando o termo "Torneio de Seleção".[7]

Em 1934, após dez edições (uma da FBF), uma seleção que não a de São Paulo ou do Distrito Federal venceu a competição, a Seleção Baiana, que derrotou São Paulo no torneio da CBD.

Em 1937, a FBF, uma federação de dissidentes,[15] defensora da profissionalização e então opositora da CBD (que relutava em abandonar o amadorismo), reuniu campeões estaduais profissionais para a disputa do "Torneio dos Campeões" (em 2023, homologado pela CBF como primeira edição do Brasileirão), assim chamado pelo Jornal dos Sports e outros jornais.[5][13] Dessa forma, em 1937, pressionada financeiramente, a FBF substituiu sua competição de seleções por uma competição entre clubes.[5] De acordo com o Correio da Manhã (RJ), de 06 de janeiro de 1937, o "1º Torneio dos Campeões" era um novo modelo do "Campeonato Nacional".[16][17][18] O Correio de S. Paulo, de 7 de janeiro de 1937, por sua vez, usou a nomenclatura "III Campeonato Brasileiro de Futebol" (houve antes duas disputas de clubes organizadas pela FBF, atualmente contabilizadas como as duas primeiras edições do Torneio Rio-São Paulo).[19]

Fundada em 1933, a FBF passou por um processo de pacificação com a CBD, entre 1937 e 1938, que ratificou-lhe os atos após sua extinção, em 1941. Assim, a edição de 1938, edição de retorno após a ausência de 1937, foi a primeira com a FBF vinculada à CBD. "O CBSE (Campeonato Brasileiro de Seleções) voltou a ser disputado no final de 1938, até março de 1939 (...). Em agosto de 1938, a FBF abandonou a ideia de um campeonato de clubes campeões estaduais e confirmou o CBSE”, conforme o pesquisador Rodrigo Guimarães Saturnino Braga.[5][20]

Em 1959, após a criação da Taça Brasil (disputa entre clubes de vários estados, em 2010 unificada ao Campeonato Brasileiro, que até então tinha 1971 como primeira edição), realizou-se a antepenúltima disputa de seleções, em que se viu o último título da Seleção Paulista, ao vencer Pernambuco. A penúltima ocorreu em 1962, com triunfo da Seleção Mineira, quebrando uma hegemonia de 17 edições (duas da FBF) do eixo Rio de Janeiro-São Paulo, não tendo os clubes grandes destes estados cedido seus melhores jogadores.[5] A Seleção Carioca, quando do vice desta edição, representava o Estado da Guanabara.[4]

A competição de seleções foi desgastada pela nacionalização e internacionalização do futebol de clubes, definitivamente estabelecidas a partir da Taça Brasil, Copa Libertadores e Copa Intercontinental. Os clubes ainda expandiram sua agenda internacional via excursões, mas sem abandonar os longos campeonatos estaduais. Além disso, as convocações para os selecionados estabeleciam uma forma de concorrência com a Seleção Brasileira, cada vez mais requisitada para amistosos após ser bicampeã mundial. A disputa, antes anual, vinha apresentando maior tempo entre edições, até ser inativada, por falta de espaço no calendário e pela inadequação ao novo cenário do futebol.[5]

Em 1987, depois de 25 anos sem competição, foi realizada a última edição, uma reação das federações ao que aparentava ser uma busca por autonomia pelos clubes,[5] que naquele ano, a partir do Clube dos 13 (formado na época pelo G-12 e o Bahia), foram protagonistas na gestão da polêmica e inovadora Copa União.[21][22] Sem o mesmo prestígio de outrora, teve como vencedora a Seleção do Rio de Janeiro (RJ pós-unificação), que começou baseada no plantel do Vasco da Gama, mas na final foi representada pelo Americano (clube de torcida do então presidente da FERJ, Eduardo Viana), de Campos dos Goytacazes, derrotando a Seleção de São Paulo.[5][9] Um segundo jogo decisivo foi cancelado por desacordo sobre datas.[5]

A Seleção Carioca foi a maior campeã, 15 vezes (13 pela CBD, uma pela CBF e uma pela FBF), sendo 14 como Distrito Federal e uma como Estado unificado; a Seleção Paulista, em segundo, venceu 13 vezes (11 pela CBD e duas pela FBF). Bahia e Minas Gerais venceram uma vez cada (ambas pela CBD).[4]

Campeões editar

# Ano Campeão Placar(es) Vice 3ºlugar 4ºlugar
I 1922
Detalhes
 
São Paulo
Quadrangular final  
Distrito Federal
 
Bahia
 
Rio Grande do Sul
II 1923
Detalhes
 
São Paulo
4 – 1  
Distrito Federal
 
Bahia
 
Paraná
III 1924
Detalhes
 
Distrito Federal
1 – 0  
São Paulo
 
Bahia
 
Rio de Janeiro
IV 1925
Detalhes
 
Distrito Federal
1 – 1
3 – 2
 
São Paulo
 
Bahia
 
Pará
V 1926
Detalhes
 
São Paulo
3 – 2  
Distrito Federal
 
Pará
 
Bahia
VI 1927
Detalhes
 
Distrito Federal
2 – 1  
São Paulo
 
Rio Grande do Sul
 
Bahia
VII 1928
Detalhes
 
Distrito Federal
5 – 1  
Paraná
 
Pará
 
Bahia
VIII 1929
Detalhes
 
São Paulo
4 – 1
3 – 3
1 – 3
4 – 2
 
Distrito Federal
 
Pará
 
Bahia
IX 1931
Detalhes
 
Distrito Federal
3 – 1
0 – 3
3 – 0
 
São Paulo
 
Bahia
 
Pernambuco
X 1933
(FBF)
Detalhes
 
São Paulo
2 – 1
2 – 1
 
Distrito Federal
 
Minas Gerais
 
Paraná
XI 1934
(CBD)

Detalhes
 
Bahia
4 – 2
2 – 3
2 – 0
 
São Paulo
 
Rio Grande do Norte
 
Espírito Santo
XII 1934
(FBF)

Detalhes
 
São Paulo
0 – 2
2 – 1
3 – 1
 
Distrito Federal
 
Paraná
 
Minas Gerais
XIII 1935
(CBD)

Detalhes
 
Distrito Federal
5 – 2
2 – 3
2 – 1
 
São Paulo
 
Rio Grande do Sul
 
Bahia
XIV 1935
(FBF)

Detalhes
 
Distrito Federal
5 – 1
3 – 2
 
São Paulo
 
Paraná
 
Minas Gerais
XV 1936
Detalhes
 
São Paulo
1 – 2
3 – 1
2 – 1
 
Rio Grande do Sul
 
Distrito Federal
 
Bahia
XVI 1938
Detalhes
 
Distrito Federal
2 – 4
3 – 1
0 – 0
3 – 1
 
São Paulo
 
Minas Gerais
 
Pernambuco
XVII 1939
Detalhes
 
Distrito Federal
5 – 1
2 – 3
4 – 1
 
São Paulo
 
Pernambuco
 
Bahia
XVIII 1940  
Distrito Federal
2 – 3
4 – 0
2 – 2
 
São Paulo
 
Espírito Santo
 
Pernambuco
XIX 1941  
São Paulo
4 – 2
3 – 4
1 – 0
 
Distrito Federal
 
Bahia
 
Rio Grande do Sul
XX 1942
Detalhes
 
São Paulo
3 – 1
0 – 1
3 – 3
4 – 3
 
Distrito Federal
 
Rio Grande do Sul
 
Minas Gerais
XXI 1943  
Distrito Federal
1 – 3
2 – 3
3 – 0
6 – 1
2 – 1
 
São Paulo
 
Rio Grande do Sul
 
Rio de Janeiro
XXII 1944  
Distrito Federal
1 – 1
3 – 1
1 – 2
3 – 4
3 – 1
 
São Paulo
 
Rio Grande do Sul
 
Minas Gerais
XXIII 1946  
Distrito Federal
2 – 5
3 – 2
4 – 1
 
São Paulo
 
Rio Grande do Sul
 
Minas Gerais
XXIV 1950  
Distrito Federal
4 – 0
2 – 2
1 – 1
 
São Paulo
 
Minas Gerais
 
Rio Grande do Sul
XXV 1952
 
São Paulo
1 – 1
3 – 0
1 – 1
 
Distrito Federal
 
Minas Gerais
 
Rio Grande do Sul
XXVI 1954  
São Paulo
3 – 1
4 – 3
 
Distrito Federal
 
Rio Grande do Sul
 
Minas Gerais
XXVII 1956  
São Paulo
Quadrangular final  
Distrito Federal
 
Minas Gerais
 
Pernambuco
XXVIII 1959
Detalhes
 
São Paulo
Quadrangular final  
Pernambuco
 
Distrito Federal
 
Minas Gerais
XXIX 1962  
Minas Gerais
1 – 0
2 – 1
 
Guanabara
 
São Paulo
 
Ceará
XXX 1987
Detalhes
 
Rio de Janeiro
1 – 0  
São Paulo
 
Minas Gerais
 
Goiás

Títulos por estado editar

Estado Títulos Vices Terceiro lugar Quarto lugar
  Rio de Janeiro

(Entre 1922 e 1960 como Distrito Federal, em 1962 como Guanabara e em 1987 como Rio de Janeiro)

15 (1924, 1925, 1927, 1928, 1931, 1935(1), 1935(2), 1938, 1939, 1940, 1943, 1944, 1946, 1950 e 1987) 12 (1922, 1923, 1926, 1929, 1933, 1934(2),1941, 1942, 1952, 1954, 1956 e 1962) 2 (1936 e 1959) 0
  São Paulo 13 (1922, 1923, 1926, 1929, 1933, 1934(2), 1936, 1941, 1942, 1952, 1954, 1956 e 1959) 15 (1924, 1925, 1927, 1931, 1934(1), 1935(1), 1935(2), 1938, 1939, 1940, 1943, 1944, 1946, 1950 e 1987) 1 (1962) 0
  Minas Gerais 1 (1962) 0 6 (1933,1938, 1950,1952,1956 e 1987) 7 (1934(2), 1935(2), 1942, 1944, 1946, 1954 e 1959)
  Bahia 1 (1934(1)) 0 6 (1922, 1923, 1924, 1925, 1931 e 1941) 7 (1926, 1927, 1928, 1929, 1935(1), 1936 e 1939)
  Rio Grande do Sul 0 1 (1936) 7 (1927, 1935(1), 1942, 1943, 1944, 1946 e 1954) 4 (1922, 1941, 1950 e 1952)
  Paraná 0 1 (1928) 2 (1934(2) e 1935(2)) 2 (1923 e 1933)
  Pernambuco 0 1 (1959) 1 (1939) 4 (1931, 1938, 1940 e 1956)
  Pará 0 0 3 (1926, 1928 e 1929) 1 (1925)
  Espírito Santo 0 0 1 (1940) 1 (1934(1))
  Rio Grande do Norte 0 0 1 (1934(1)) 0
  Rio de Janeiro (antes da fusão com a Guanabara em 1975) 0 0 0 2 (1924 e 1943)
  Goiás 0 0 0 1 (1987)
  Ceará 0 0 0 1 (1962)

(1) Referente aos campeonatos da CBD de 1934 e 1935.
(2) Referente aos campeonatos da FBF de 1934 e 1935.

Artilheiros editar

Ano Artilheiro Gols
1922   Arthur Friedenreich
  Neco
8
1923   Tatu
  Junqueira
3
1924   Lagarto
  Nilo
6
1925   Nilo
  Manteiga
6
1926   Petronilho de Brito 13
1927   Nilo 12
1928   Mário Seixas
  Staco
7
1929   Russinho 12
1931   Oswaldo 8
1933   Waldemar
  Hércules
  Canhoto
  Said
4
1934 (CBD)
1934 (FBF)   Mendes 7
1935 (CBD)
1935 (FBF)   4
1936
1938
1939
1940
1941
1942
1943
1944   Tará
  Siduca
7
1946
1950
1952
1954
1956
1959
1962
1987

Outras competições de seleções editar

Taça Brasil editar

Ano Campeão Placar(es) Vice
1907
Detalhes
 
São Paulo
4 - 1
1 - 0
 
Distrito Federal

Copa de Seleções Estaduais Sub-20 editar

Ano Campeão[23] Placar(es) Vice 3º lugar 4º lugar
2015
Detalhes
 
São Paulo
1 - 0  
Rio de Janeiro
 
Minas Gerais
 
Rio Grande do Sul
2017
Detalhes
 
Rio Grande do Sul
1 - 1
5 - 4 (pen)
 
Rio de Janeiro
 
São Paulo
 
Mato Grosso

Torneio João Lira Filho editar

Ano Campeão Placar(es) Vice 3º lugar 4º lugar
1954
Detalhes
 
São Paulo
3 - 1  
Rio de Janeiro
 
Paraná
1955
Detalhes
 
Distrito Federal
1 - 1  
São Paulo
 
Rio de Janeiro
 
Paraná

Campeonato Brasileiro de Seleções Amadoras editar

Ano Campeão Placar(es) Vice 3º lugar 4º lugar
1942
Detalhes
 
Distrito Federal
3 – 1
2 – 4
2 – 1
 
São Paulo
 
Rio de Janeiro
 
Minas Gerais
1962
Detalhes
 
Guanabara
-  
São Paulo
desconhecido desconhecido
1965
Detalhes
 
Guanabara
0 - 0
1 - 0 (pro)
 
São Paulo
 
Paraná
 
Bahia
1967
Detalhes
 
São Paulo
1 - 0  
Guanabara
 
Minas Gerais
 
Rio Grande do Sul
1970
Detalhes
 
São Paulo
Por Tabela  
Minas Gerais
 
Guanabara
 
Paraná

Campeonato Brasileiro Júnior editar

Ano Campeão Placar(es) Vice 3º lugar 4º lugar
1978
Detalhes
 
Rio de Janeiro
2 - 0  
Rio Grande do Sul
 
Alagoas
 
Ceará
1979
Detalhes
 
Rio de Janeiro
3 - 0
3 - 1
 
São Paulo
 
Bahia
 
Paraná

Campeonato Brasileiro Juvenil editar

Ano Campeão Placar(es) Vice 3º lugar 4º lugar
1953
Detalhes
 
Guanabara
3 - 0  
Minas Gerais
 
São Paulo
 
Distrito Federal

Campeonato Brasileiro Sub-19 editar

Ano Campeão Placar(es) Vice 3º lugar 4º lugar
2002
Detalhes
 
Minas Gerais
1 - 1
4 - 3
 
Rio Grande do Sul
 
Rio de Janeiro
 
Pernambuco

Campeonato Brasileiro Sub-17 editar

Ano Campeão Placar(es) Vice 3º lugar 4º lugar
2002
Detalhes
 
Rio Grande do Sul
1 - 0  
Bahia
 
Goiás
 
Santa Catarina

Campeonato Brasileiro Sub-15 editar

Ano Campeão Placar(es) Vice 3º lugar 4º lugar
2001
Detalhes
 
Minas Gerais
Por Tabela  
Pernambuco
 
São Paulo
 
Santa Catarina

Taça de Ouro editar

Ano Campeão Placar(es) Vice
1935
Detalhes
não decidido [nota 1]

Taça Delfim Moreira editar

Ano Campeão Placar(es) Vice
1917
Detalhes
 
Distrito Federal
2 - 1  
Minas Gerais
1918
Detalhes
 
Distrito Federal
3 - 1
13 - 0
 
Minas Gerais
1919
Detalhes
 
Distrito Federal
2 - 1
2 - 2
 
Minas Gerais
1920
Detalhes
 
Distrito Federal
2 - 1
15 - 0
 
Minas Gerais

Jogos Sul-Brasileiros editar

Ano Campeão Placar(es) Vice
1951
Detalhes
 
Santa Catarina
2 - 1  
Paraná
1957
Detalhes
 
Santa Catarina
3 - 0  
Paraná

Maiores Goleadas editar

Data Mandante Placar Visitante Estádio
29 de setembro de 1926   São Paulo 16 - 0   Santa Catarina
12 de novembro de 1939   Pernambuco 15 - 0   Paraíba
23 de julho de 1922   São Paulo 13 - 0   Minas Gerais
24 de outubro de 1926   São Paulo 13 - 1   Bahia   Laranjeiras
2 de outubro de 1927   Rio de Janeiro 13 - 1   Sergipe   Laranjeiras
12 de outubro de 1927   São Paulo 13 - 1   Maranhão
8 de dezembro de 1940   Bahia 12 - 1   Alagoas
21 de outubro de 1928   Bahia 11 - 0   Alagoas
16 de outubro de 1927   Pará 12 - 2   Maranhão
12 de julho de 1931   Pará 12 - 2   Maranhão
28 de outubro de 1928   Bahia 11 - 1   Sergipe
30 de outubro de 1941   Ceará 11 - 1   Rio Grande do Norte
2 de novembro de 1927   Distrito Federal 10 - 0   Ceará   Laranjeiras
11 de novembro de 1939   Ceará 10 - 0   Rio Grande do Norte
8 de dezembro de 1940   Ceará 10 - 0   Rio Grande do Norte
22 de setembro de 1946   Amazonas 10 - 0   Guaporé

Notas

  1. São Paulo venceu o primeiro jogo por 8 - 3, Distrito Federal (1891–1960) venceu o segundo jogo por 4 - 1. De acordo com as regras, o troféu seria entregue à primeira equipe que ganhasse três partidas consecutivas ou cinco jogos alternados. Aparentemente apenas dois jogos foram disputados.

Ver também editar

Referências

  1. «Copa Placar de Seleções Estaduais reúne promessas de clubes de 4 estados». EBC. 11 de dezembro de 2015. Consultado em 14 de outubro de 2023. A primeira edição aconteceu em 1922 e a última, em 1987, com 30 campeonatos disputados neste intervalo. 
  2. «Quando deixou de ser disputado o Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais?». Placar – Edição Tira-Teima (1). São Paulo: Abril. Novembro de 1997. p. 61. 98 páginas 
  3. BRAGA, Rodrigues Guimarães Saturnino. Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais de futebol: uma história política do futebol brasileiro (1922-1987). https://museudofutebol.org.br/crfb/acervo/766365/
  4. a b c CBF (11 de dezembro de 2015). «Campeonato de Seleções: 30 edições». Consultado em 30 de junho de 2018 
  5. a b c d e f g h i j BRAGA, Rodrigo Guimarães Saturnino. Campeonato brasileiro de seleções estaduais de futebol: Uma história política do futebol brasileiro da Primeira República ao Estado Novo (1922-1945). 2021. 244 f. Dissertação (Mestrado em História) - Programa de Pós-Graduação em História, Bens Culturais e Projetos Sociais, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2021.
  6. Mounique, Vilela (29 de dezembro de 2022). «Os times em que Pelé jogou | Goal.com Brasil». www.goal.com. Consultado em 20 de setembro de 2023 
  7. a b c d e Mario Filho (15 de março de 1946). História do Campeonato Brasileiro - 1 O Globo Sportivo, p.3.
  8. a b «Folha de S.Paulo - Paulo Vinicius Coelho: O Brasileirão de 1907 - 19/12/2010». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 26 de outubro de 2023 
  9. a b c «Campeonato Brasileiro de seleções - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 16 de setembro de 2023 
  10. a b «Esportes: Campeonato Brasileiro de Foot-ball - pág. 11». Jornal do Brasil. 31 de maio de 1952. Consultado em 8 de novembro de 2022 
  11. Jornal do Brasil, 02/09/1988 pág. 32 do acervo - "Campeonato Brasileiro começa sem destino" - Com o nome, ao que parece definitivo, de Campeonato Brasileiro, começa esta noite, com a programação...
  12. Sarmento, Carlos Eduardo (2006). «A Regra do Jogo: Uma História Institucional da CBF» (PDF). Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. 176 páginas. Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  13. a b «Correio de São Paulo 1937». Bn Digital Brasil. 7 de janeiro de 1937 
  14. «1922: São Paulo vence o Campeonato Brasileiro de seleções estaduais». Folha de S.Paulo. 13 de agosto de 2022. Consultado em 18 de setembro de 2023 
  15. Jornal do Brasil (12 de janeiro de 1937). «O torneio interestadual de football dos dissidentes - pág. 29» 
  16. Correio da Manhã (RJ) (6 de janeiro de 1937). «Inicia-se hoje o Torneio dos Campeões». Consultado em 9 de abril de 2023 
  17. «Atlético-MG agora é tricampeão brasileiro, mas o que está por trás da decisão?». www.band.uol.com.br. 25 de agosto de 2023. Consultado em 15 de outubro de 2023. À época, o troféu foi tratado como campeonato nacional, uma vez que o Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais não aconteceu em 1937. 
  18. «CBF reconhece Atlético-MG como campeão brasileiro de 1937». UOL. 25 de agosto de 2023. Consultado em 15 de outubro de 2023. A façanha foi tratada como conquista nacional porque o Brasileiro de Seleções Estaduais havia sido interrompido na época. 
  19. «III Campeonato Brasileiro de futebol». Bn Digital Brasil. Correio de São Paulo. 7 de janeiro de 1937 
  20. Simões, Alexandre (25 de agosto de 2023). «Como o Atlético buscou o reconhecimento do título de 1937». Rádio Itatiaia. Consultado em 15 de outubro de 2023 
  21. O Estado de S. Paulo (27 de setembro de 1986). «Vasco cria torneio pirata para 1987 - pág 20» 
  22. Hirata, Edson. «Clube dos 13: ícone inacabado da modernização do futebol brasileiro (1980-2012)». www.efdeportes.com. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires - Año 18 - Nº 181 - Junio de 2013. Consultado em 12 de março de 2021 
  23. «Copa de Seleções Estaduais Sub-20»